Hoje é dia da consciência Humana (Com mp3)



... Tantas datas, efemérides, não teriam razão de ser. Se não faltasse no bicho homem, essa consciência. Assim...


Hoje é dia da consciência humana (mp3)
Antonio Pereira Apon.


Aperto de mãos.


São tantas as datas que tentam nos lembrar, daquilo que precisamos e deveríamos não esquecer. Algo supostamente elementar. Acima de tudo e qualquer coisa: Somos seres humanos! Gente! Pessoas!


Antes de sermos homens ou mulheres, independente de nacionalidade, regionalismos, idioma, etnia, religião, classe social, nível cultural, idade, opção sexual, ideologia... Somos todos, seres humanos! Israelenses e palestinos, cristãos e muçulmanos, católicos e protestantes, ricos e pobres, heterossexuais e homossexuais doutores e analfabetos... Cabe-nos aprender: Todo dia, é dia da consciência humana.


Tantas datas, efemérides, não teriam razão de ser. Se não faltasse no bicho homem, essa consciência. Assim, temos: Dia em Memória das vítimas do holocausto, da escravidão, de torturas; das vítimas de armas químicas, discriminação, injustiça, intolerância, ra cismo... dia internacional de tolerância Zero à mutilação genital feminina, dia da justiça social, da língua materna, dos povos indígenas, da mulher, do homem, da criança, da felicidade, do refugiado, dos desaparecidos, da Síndrome de Down, da verdade, dos direitos humanos, da consciência negra, da paz, contra a exploração sexual e o tráfico de mulheres e crianças, contra testes nucleares... Momento de lembrança e reconciliação para aqueles que perderam suas vidas durante a segunda guerra Mundial, dia para a Diversidade Cultural e para o Diálogo e o desenvolvimento, para a erradicação da pobreza, dia das crianças inocentes vítimas de agressão, dia da conscientização contra o abuso de idosos... ... ...



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Lindo de se ler, fácil seria se todos pudessem ter a consciência humana!
    Todos viveriam em paz, mas infelizmente o homem não é de paz, é de guerra, a História que o diga!
    Abraços apertados amigo poeta querido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente o homem guerreia por tudo e nada, deliberadamente esquecido do que é a vida.

      Um abração.

      Excluir
  2. O preconceito, a agressividade, a descriminação toma conta da nossa sociedade, infelizmente... Há um ódio "congênito"! Humanamente deixamos e muito a desejar! Agredimos com palavras tal como flechas que ferem e não retornam... muitas vezes doem mais que agressões físicas... E, ainda somos catalogados com "seres racionais"...
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dominar esse espírito beligerante e irascível que tem desnorteado e desumanizado o ser dito humano. Só assim para conquistarmos uma real consciência humana.

      Um abração.

      Excluir
  3. oi Antonio

    Um dia ouvi uma frase que dizia mais ou menos assim: "Se eu pudesse condensar todas as leis em uma única lei, faria a lei do amor, obrigatoriamente todos teriam que amar profundamente, e, esta única lei eliminaria todas as outras, pois o amor não permite que façamos nada contra algo ou alguém".

    Penso que, se a lei do amor existe, nenhum desses dias para alertar consciências, iria existir.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo. E tem aquele rapaz que foi crucificado a uns 2000 anos. Ele falava na "lei de amor", falava em "amar ao próximo como a si mesmo"... Pois é... Até hoje, não sabemos o que fazemos. Uma absoluta inconsciência humana.

      Um abração e um bom fim de semana.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”