O assédio de Cassandra e a queda de Troia - Apon na arte da vida

Bom estar com você aqui no APON NA ARTE DA VIDA!



Leitura sorteada - Nossos vídeos

Postagem em destaque

Por onde anda você?

Você, que vaga em meus sonhos, qual a brisa de outrora; acordando sentidos, acarinhando sentimentos; exumando lembranças, memórias ...

O assédio de Cassandra e a queda de Troia

Publicado em quarta-feira, 8 de março de 2017


Cassandra, ilustração de Evelyn de Morgan. #PraCegoVer

Quem pensa que assédio é alguma novidade, está enormemente enganado. Na antiguidade, esse “jogo” de dominação, rolava de A a Z, ou melhor, de Apolo a Zeus. As aventuras e estrepolias de Zeus, o “altíssimo pegador” do Olimpo, são famosas, contadas em prosa, verso e machismo. Entre outros tantos, Apolo também aprontou. A mitologia grega, até parece delação da “Lava Jato”, compromete “deuses” e o mundo. Mas, vamos ao que interessa:


Os irmãos gêmeos, Cassandra e Heleno, filhos do rei Príamo e da rainha Hécuba de Troia, brincavam no Templo de Apolo. Sem se dar conta do tempo, as crianças brincaram até tarde demais para voltarem para casa e ali mesmo foram acomodadas. No dia seguinte, os dois ainda dormiam, quando, aterrorizada, sua ama, flagrou duas serpentes passando as línguas por suas orelhas. Ilesas, as crianças desenvolveram uma sensível audição que lhes permitia ouvir os deuses.


Cassandra cresceu formosa, devota servidora de Apolo. Tão dedicada que provocou a paixão do “deus”, que lhe ensinou os segredos de profetizar. Mas, negando-se a deitar com Apolo. Ele se vingou lançando-lhe uma maldição: Ninguém daria crédito às profecias da moça. Assim, Cassandra foi tida como louca e constantemente ridicularizada, fez profecias a alguns de seus irmãos como Heitor, Dêifobo, Polidoro… No nascimento de Páris, Cassandra previu que esse seu irmão causaria a destruição de Troia. Ignorada ao tentar alertar os troianos sobre suas previsões catastróficas, inutilmente a jovem implorou a Príamo para que destruísse o “presente de grego” engendrado por Ulisses. O descrédito nas previsões de Cassandra levou à derrocada de Troia. “O castigo veio a cavalo”. Literalmente.


Cavalo de Troia.


Antonio Pereira Apon.

Siga-nos

Dê uma espiadinha em nossas postagens mais recentes:


Leia abaixo alguns de nossos escritos tendo a mulher como tema:


6 comentários:

  1. Obrigada, por textos tão significativos para uma data, como a maioria delas, consumista, apenas...
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos sempre buscar ir além do óbvio e encontrar significados reais que transcendam os ditames consumistas, inspiradores de datas comemorativas, transformadas em efemérides vazias.

      Um abraço. Felizes todos 365 dias da mulher!

      Excluir
  2. Amei, nossa, adoro mitologia, sim, literalmente o castigo veio a cavalo!
    Tivemos as mesmas intuições, pois nessa mitológica história há um entrelaçamento incrível de deuses, humanos, semi deuses, tudo muito fascinante!
    Amei ler aqui, abraços amigo Antonio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em geral, a mitologia grega já é muito rica. O mito de Troia em particular, tem incontáveis facetas a serem abordadas. É uma obra-prima.

      Um abraço.

      Excluir
  3. Olá, António!

    Mto significativo, bem escrito e explicado teu texto. De facto, acho que tudo o que hoje acontece, de ruim, embora com outros contornos, já vem de longe, de muito longe e nada melhor que a mitologia para explicar tudinho.

    Abracinho, menino!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O presente reflete o passado. Deveríamos aprender com o pretérito, para não ficarmos repetindo os mesmos erros. Mas...

      Um abraço.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

@INSTAGRAM