Alvorada proseando na janela;



... amarelo dourando a água calma, o vermelho rosando a rosa. E o branco todo prosa, Proseando a paz... Vaga um barco lá distante, toque humano no horizonte, Ocasional...


Antonio Pereira Apon.



Barco ao alvorecer.


Brilha o sol em minha janela.

É a vida a despertar!

Traz o prosear da alvorada

e o cantar da passarada,

Vem o dia musicar.

Dissipada a noite escura,

sai a luz de sua clausura,

vem as cores despertar.

Acorda o verde

para falar da esperança,

e o azul dizer da bonança,

inspirada no céu

O amarelo dourando a água calma,

o vermelho rosando a rosa.

e o branco todo prosa,

Proseando a paz.

Vaga um barco lá distante,

toque humano no horizonte,

Ocasional composição.

Tarda a cidade adormecida,

e a beleza sem guarida,

faz-se da poesia inspiração.



(Postado aqui em 14 de maio de 2011)


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Obrigado amiga.

    Procuro fazer da arte uma mensageira para a mente, a alma e o coração.

    Um abração.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Acróstico junino

Precisa de tinta para escanear?

Vidas por um cinto. Sinto...

Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Qual o limite da amizade?

Você não precisa de cerveja para ser feliz

Querido defeito de estimação…