A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

sábado, 30 de junho de 2012

O "Professor de ponta"





... sala cheia e sistema oco, projeto torto e governo tonto que gasta mal e lhe paga troco. Luta contra quem trata o aluno como objeto e não sujeito, dando-lhe o alinhavado e malfeito, alcunhando de educação...


Antonio Pereira Apon.


Professora dando aula.

Verdadeiramente "de ponta",

é o professor que a tirania afronta,

em números sem noção.


Não tem Datashow, microfone ou lousa eletrônica,

tem salário curto e jornada longa,

benesse aguda e desdita crônica.


Faz milagre onde só a quadro e voz,

carrega a cruz do ensino,

nessa terra de nenhum de nós.


Encara sala cheia e sistema oco,

projeto torto e governo tonto

que gasta mal e lhe paga troco.


Luta contra quem trata o aluno como objeto e não sujeito,

dando-lhe o alinhavado e malfeito,

alcunhando de educação.


Covardia e petulância prolongam a greve

que o educador queria breve,

mas o descaso preferiu alongar.


Do FUNDEB não se viu a conta,

não se quis ou pôde revelar,

só pagar um dito "Professor de ponta",

um fazer de conta, para a sociedade tapear.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

6 comentários:

  1. E, em muitos casos, maquia-se o ambiente com parafernálias eletrônicas para classificar ensino de primeiro mundo... Agressão maior que essa só mesmo o salário de esmola do professor... que ensina de graça, sem valor algum!
    [] Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui na Bahia. O pouco caso do governo. Que se nega a cumprir acordo firmado. Segundo ele por falta de dinheiro. Joga os professores numa greve que já passa de 80 dias. No entanto, tem mais de R$ 1.5 milhão para pagar a afortunados ditos “professores de ponta” e outro tanto para publicar notinhas marotas na mídia. É o preço do voto errado nos partidários da trairagem e seus coveiros aliados. Assim jaz a Bahia.

      Excluir
  2. Olá meu querido,
    Como sempre palavras e versos muito bem colocados e verdadeiros.
    Realmente, a Educação é uma vergonha e não é só na Bahia não, é neste Brasil lindo e trigueiro, neste Brasil brasileiro...
    Adoro te ler!!!!
    Um beijo grande

    ResponderExcluir
  3. Oi Antonio!

    Que triste, né!
    Pensar que todas as outras profissões passam pela "mão" do professor!
    É tem que ter muito amor, para ser professor!
    Linda poesia!
    Tenha uma ótima semana!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi estimado Antônio,

    Olha que tema você abordou!
    Professor, antes, como nos tempos de minha mãe, que também era Professora era elite, bem vista respeitada e muito considerada.
    Agora, as coisas estão feias. Professor é para "desrespeitar". Já nem falo em salário, porque sempre ganhou mal.
    Não se pode dar um puxãozinho de orelhas, ou falar com voz menos doce, porque é anti democrático e anti pedagógico.
    Eu, no início do ano, estabeleço direitos e deveres para ambos, Professores e Alunos, em reunião com os encarregados de educação. Ambas as partes assinam, e têm de cumprir. Caso não, pode até haver "divórcio".

    Abraços da Luz.

    ResponderExcluir
  5. Olá meu caro,

    Fazer da verdade bruta, nua e crua um poema. Isso é talento!

    O seu poema é real e cruel. Mas peço que não desistam como eu. A profissão é e sempre será maravilhosa!

    Grande abraço

    Leila

    ResponderExcluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.