Acróstico da primavera. Poesia em flor



A estação das flores, na poesia da vida que encanta, inspira e acorda o coração, orvalhando a alma com o perfume do sentir.

Antonio Pereira Apon.
Campo florido

Policromo mosaico florido,

Renovando a vida no reflorir dos campos.

Impar, singular poema natural.

Multicores, versos, flores,

Aromas, perfumes, odores.

Versejar do chão,

Ensejar canção.

Reencontrar encanto, redescobrir recantos,

Amor no coração.


Pintura mais que impressionista,

Obra-prima sem igual,

Enlevo e perfeição.

São pinceladas Divinas,

Inspiração do Grande Artista,

Artífice Criador.


Eis Deus; que uns dizem inexiste.

Manifesto no versar de cada flor.


Flora em festa,

Lidar da estética,

Ode de uma estação.

Renovação!


Flores rosa.



Postado aqui em 17 de setembro de 2012.


Show de imagens.





Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Antonio, lindo acróstico, amei, adoro escrever assim,parece que entramos em transe a a Vida fala por nós, que lindos versos em prelúdio à PRIMAVERA!
    Abraços amigo poeta querido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flores, primavera e poesia. Combinam, inspiram, fazem a alma versar.

      Obrigado Ivone.

      Um abração.

      Excluir
  2. Olá Antonio!

    Lindo!Lindo!
    Sou apaixonada por flores e poesia!
    Primavera é encantamento!
    Tenha uma linda semana!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primavera tem cara de poesia e poesia tem perfume de flor.

      Obrigado Jossara.

      Um abração.

      Excluir
  3. Olá Antonio, faz tempo que aqui não venho e hoje, ao chegar, me deparo com um acróstico maravilhoso.
    É uma das formas de poesia que eu mais aprecio e rabisco sempre lá no meu blog.
    Você está de parabéns!

    Um abraço com muito carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Majoli. Também gosto muito dos acrósticos, dão um toque especial à poesia.

      Um abração.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Precisa de tinta para escanear?

Vidas por um cinto. Sinto...

Acróstico junino

Qual o limite da amizade?

Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!

Amigos não tão virtuais

Um até...

Querido defeito de estimação…