A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

quinta-feira, 19 de março de 2015

Gente é...





... Aparentar é imprecisamente preciso! Gente apressa e adora apreçar; ignora o valor do que não tem preço, desvalor de endividar! Gente é meio torta, meio porta... Arranja dor sem ter como desdoer...


Pessoas.


Gente tem cor de gente, seja ela qual for:

Negro, branco... Cor é tão desimportante!

Tudo de uma só raça.

A humana!

Pode ser homem, mulher, diferente... É mesmo indiferente!

Gente nasce só e morre sozinha.

Mas inventa tanta coisa

para ocupar esse tempinho entre o berço e o túmulo.

Termina esquecendo de onde veio,

não lembra para onde vai.

Gente curte a utopia de “ter” o que não tem,

“ser” quem não é,

“saber” o que não sabe...

Aparentar é imprecisamente preciso!

Gente apressa e adora apreçar;

ignora o valor do que não tem preço,

desvalor de endividar!

Gente é meio torta, meio porta...

Arranja dor sem ter como desdoer,

doença que não pode remediar;

engendra “Deus” à sua imagem e semelhança...

Depois,

feito criança.

Reclama triste a choramingar.

Gente é pergunta e resposta,

Aprendizado e aposta.

Uma sempre inacabada construção.

Gente adora “precisar” do que não precisa,

desperdiçar o tempo que diz não ter,

desdenhar do necessário.

Gente é uma dízima nem sempre tão periódica,

indecifrável enigma, incógnita.

Esfinge a si e nos devorar.

Gente é poesia e prosa,

espinho e rosa.

Zéfiro e vendaval.

Gente é...



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

6 comentários:

  1. Gente... Muito bom sermos "gente"... E, o melhor é termos escritores como você, Antonio, que com tamanha sensibilidade fala-nos do "humano"... que realmente, concordo "ser uma incógnita"!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Gente é gente né?
    Quem entende?
    Pois é, poetizar é o que podemos fazer quando assim sentimos que a inspiração vem!
    Gostei de ler aqui, abraços amigo poeta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só a poesia para lidar com os entendimentos e desentendimentos do "bicho" gente.

      Um abração e um bom fim de semana.

      Excluir
  3. Oi, Antonio!
    Bela reflexão sobre a "gente"! É sim, tal qual escreves!
    O humano gosta mesmo é de complicar, o simples não agrada!
    Tenha um feliz fim de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simplificar para que? Gente gosta é de complicar, para depois ter do que reclamar. Senão não tem a menor graça. Isso é gente!

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.