A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Sensuais





... sem fala, entre lábios, se expressa, eclode; gruta, fruta, sabor, flor que beija, ele, ela; sobeja o beija-flor...


Antonio Pereira Apon.


O nascimento de Vênus, pintura de Sandro Botticelli.


Desnudos desejos,

explorando a topografia dos corpos,

a anatomia dos afãs,

coreografias de amor.

Mãos buliçosas,

brincando traquinas;

desvelando, revelando, descobrindo…

Resgatando o prazer oculto em seus recônditos.

Falo sem fala,

entre lábios,

se expressa,

eclode;

gruta, fruta, sabor,

flor que beija,

ele,

ela;

sobeja o beija-flor.

Ir e vir,

entrar,

sair…

Tudo pulsa, tudo é pulso,

fluxo, influxo,

um só impulso a dois.

Convexo e côncavo,

recôncavo, reconvexo.

Nessa hora sem recato,

ao tempo o desacato.

Que aguarde,

se resguarde;

que se guarde pra depois.


Nua sentada num divã (La Belle Romaine), pintura de Modigliani.




Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

16 comentários:

  1. Bonito, seu blog, Tonico! Se esmerou mais do que habitualmente. Parabéns!
    Letra bem legível, bom tamanho, não precisando de colocar óculos pra ler o que tão bem escreves e ver toda a panorâmica, que teu espaço contém. Eu gosto de blogs desafogados, com imagens grandes, como essa que tu colocaste em cima, que é uma pintura representando uma mulher nua, coxa bem gordinha e torneada. Amo essa configuração/Design e adoro fundo branco.

    O Nascimento de Vénus combina, na perfeição, com o tórrido poema, que escreveste. Fiquei sem "voz", quase, e acho que minha respiração parou por instantes. Isso não se faz, "minino" (rs)!

    Não sei comentar "coisas" tão belas, perfeitas, íntimas, vontades, afetos, pazes, não sei, mas já li "n" vezes o que tu escreveste. Ah, menino provocador (rs)!

    NÓS

    Vontades tórridas
    desabotoando os corpos
    quente geografia dos afetos
    prontos pra se entregarem.

    Braços, que se enlaçam
    que muito se abraçam
    querendo, exigindo, sentindo...
    libertando a oculta luxúria.

    Estame, rijo, entumecido
    procurando lábios
    quase fechados, ouvidos
    e já sem tempo, temporal.

    Flor, gineceu, só meu
    que lambes e sugas
    num vaivém, que perdura
    instante, eternidade.

    Em nós há movimento
    ora rápido, ora lento
    e o nosso sangue rebela-se
    numa insurreição a dois.

    Encaixe perfeito, animal
    que só faz bem
    e não mal. Brutal!
    Ah, que morra o mundo
    nesse orgasmo tão profundo.

    CÉU

    Como não consegui comentar teu magnífico poema, falei dele com outras palavras. Incapacidade minha, eu sei, mas... minha sensibilidade não deu pra mais.

    Um mega abraço e já que falaste em côncavo e convexo, talvez o "rei" daí, Roberto Carlos, esteja te escutando e esperando. Quem sabe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se isso é não conseguir comentar... Imagine se conseguisse! Você é mestra nesse estilo poético e em provocar afonia e apneia em seus leitores. Essa sua poesia/comentário, merece ser postada lá no seu blog. Já aconteceu comigo algumas vezes, de comentário virar post.

      Que me perdoem os aficionados por Roberto Carlos. Ele tem músicas interessantes, mas, não sou muito fã dele não, prefiro Caetano Veloso, que, por exemplo, nessa música que combina com meu poema e é literalmente, linda. Dá um show de poesia:

      https://www.youtube.com/watch?v=7QWzShM3fbo


      Ou ainda, Gilberto Gil, nessa mais que lírica composição:

      https://www.youtube.com/watch?v=iCxDgT-cOMU

      Quanto ao blog, voltei a esse tema, fazendo uns ajustes. O outro não permitia mudar o tamanho da letra de forma alguma.

      Um abraço e um bom fim de semana.

      Excluir
    2. Oi, menino, lindo!

      Roberto Carlos tem seu próprio estilo, que muitos consideram um tantão brega. Eu acho que em algumas canções dele, tal pode acontecer, mas noutras, nem um pouco, como "Côncavo e Convexo" ou "Cavalgada".

      Quanto a Caetano Veloso, irmão de Bethania, é um cantor revolucionário e bastante erudito, contudo canta o amor, de uma forma maravilhosa e bem trabalhada.

      Já conhecia a canção e muito agradeço o elogio, sim, porque ele vem direitinho pra mim (risosrisos). Tão convencida e brincalhona que eu sou! E como diz um comentarista português, e com imenso humorismo, tu és CÉU DE LUZ ou LUZ DO CÉU. VOCÊ TAMBÉM É LINDO!

      Quanto ao blog, está nota 11 e olha que eu tenho bom gosto.

      Um dia muito feliz. Te deixo um abraço num laço vermelho.

      Excluir
    3. Em relação a essa canção de Gilberto Gil, que não conhecia, a acho muito romântica e bem interpretada, mas deixa eu te dizer, que prefiro Caetano. Prefiro, também, vídeos, onde possamos escutar e ver o cantor ou cantora cantando, se movimentando, atuando. Estive vendo alguns vídeos dele e nessa canção com IveteGilCaetano e com público assistindo, que achei fantásticos. Não procuraste esses?

      Ok. Aceito! "Você" é pano e "eu" sou linha pra te bordar, te enfeitar, te desejando o melhor do mundo, a visão, te embelezando ainda mais e te dando muto carinho e afeição.

      Um beijinho na sua face moreninha.

      Excluir
    4. Cada um tem seus méritos: Caetano, Roberto, Gil... Gosto de composições que vão além do óbvio, que transitem entre o coração e a mente, que não sejam melosas nem piegas.

      Não me complique. Meu pano foi confiscado... Rs rs rs...

      Eu não sabia, pensei que mostrava Gil cantando...

      Quando coloquei o côncavo e convexo, lembrei dessa música que nada tem a ver com a poesia:

      https://www.youtube.com/watch?v=G3vbr5aUlXo

      Inté!

      Excluir
    5. É verdade! Eu gosto de músicas francesas, embora outras me agradem, também, mas não gosto de letras muito complexas.

      Não compliquei, nem complico absolutamente nada, até porque coloquei entre aspas o "eu" e o "você", a propósito do pano e da linha. Se fui inconveniente, as minhas desculpas.

      Essa canção de Caetano é mesmo reconvexa e parece que quer agitar consciências.

      Excluir
    6. Não, não falo de complexidade, a letra pode ser simples, até pueril, o que não gosto é da coisa demasiada "açucarada", sentimentalóide e sem noção. Sentimental, romântico sim, mas, sem, pieguices nem velhos clichês. Gosto de boa música, independente do idioma, contudo, tenho preferência pela MPB.

      Inconveniência alguma...

      Caetano é polêmico por natureza, faz música para ouvir e pensar.

      Excluir
  2. Olá, Apon! Escrito sensual e muito bonito! O desacato ao tempo onde não cabe recato... fantástico! Digno dessa beleza que é o encontro de entrega em momento ótimo. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sentires e quereres desacatando o tempo numa exaltação à vida.

      Amor e sexo bem definidos como canta Rita Lee:

      https://www.youtube.com/watch?v=zS80zuVj5XE

      Um abraço e bom fim de semana.

      Excluir
    2. A "louca" e bombástica Rita Lee! Adoro sua voz e forma de interpretar.
      De facto, sexo e amor são coisas distintas, mas elas têm de se combinar, e por vezes, se confundir. Um sem o outro, é difícil, embora quem ame, pode ou não fazer sexo, e quem faz sexo, pode ou não fazer amor, ter amor por... Estou pensando bem? Me dê sua opinião.

      Boa sexta e melhor fim de semana.

      Excluir
    3. Estás filosofando bem sobre amor e sexo. Entre o ideal e a realidade, cada um os vivencia; juntos, separados, diversamente conforme as circunstâncias, as fases da vida, a dicotômica simplicidade/complexidade do existir. O importante é amar...

      https://www.youtube.com/watch?v=bQMxEffSXg8

      Amanhã, no finalzinho da tarde, programei uma postagem sobre setembro e a primavera cá abaixo do equador.

      Um fim de semana com tudo de melhor.

      Excluir
    4. Concordo contigo: o importante é amar com e em verdade, não interessando por quanto tempo.

      Essa música e letra, essa embora um tanto indireta, as achei fantásticas e bem livres. O vídeo, que não mostra o cantor cantando, tem imagens lindas, significativas e até parecem de adolescentes, como papelinhos dizendo: I love you.

      A primavera está chegando aí, e aqui, infelizmente, o outono, estação que detesto. Tudo vira castanho, triste, depenado e sem graça. Que me valha a escrita!

      Então, depois, passarei por cá pra ler tua postagem sobre setembro, que é o meu mês (rs).

      Bom fim de semana.

      Excluir
    5. O sentir deve "ser infinito enquanto dure", como bem disse o "Poetinha":

      https://www.youtube.com/watch?v=ly-Gzbd1eI0

      Setembro vem primaverar num prelúdio de verão. Vou republicar alguns posts do mesmo tema e amanhã, às quatro da tarde no horário daqui, programei a postagem nova.

      Um abraço.

      Excluir
    6. Já conhecia a canção, mas não esse dueto maravilhoso.
      "Por toda a minha vida", é muito tempo, penso eu, mas pode acontecer com algumas pessoas.

      Eu acredito muito mais na paixão do que no amor. Esse, passado um tempo, vira acomodação, embora tenha afeto, alguma cumplicidade, mas pouco ou nenhum elam. Resumindo, suportar é o verbo do amar. Adorar e se entregar são os verbos da paixão.

      Bom final de semana. Depois, passo por cá!

      Excluir
  3. Linda postagem, amei seu belo poema/ sensual, tudo é amor, sexo/amor, pois muitas vezes são sentimentos que se confundem.
    Adoro ler poemas assim, dizer de tudo o que faz parte da vida, ser feliz é tudo de bom e isso é busca constante das almas, dos corpos, dos seres,enfim...
    Abraços apertados amigo Antonio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O encontro dos seres pelo sentir, convergir de afetos na mais pura poesia de corpos e almas.

      Um abraço e um bom fim de semana.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.