Julho 2013 - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

Você já conhece nosso App? Clique aqui para saber mais. Ou na animação a seguir, para baixar e instalar em seu Android..


Tudo cabe no seu App. Bom dia! Clique para baixar e instalar.

domingo, 28 de julho de 2013

 

                    Hiroshima (Para não esquecer. Para não repetir)              

     


6 de agosto de 1945 - 8h45min. Gritou "Little Boy" o "brinquedo" assassino!!! Nada mais a falar, Nada mais a calar...


Antonio Pereira Apon.



Explosão nuclear.


Ciência sem humanidade,
Intelecto sem sentimento,
Conhecimento sem sabedoria,
Tecnologia sem ética,
Poder sem discernimento,
Aborto da razão,
Orgasmo da arrogância,
Tributo à prepotência,
Justificativas sem explicação...

    Clique para ler o post completo       
 
 

quarta-feira, 24 de julho de 2013

 

                    Para Dominguinhos (Com alguns de seus títulos)              

     


Nesses tempos de tanto desapreço à boa música, temos ainda mais motivos para reverenciar, os artistas de verdade, que como Dominguinhos, deram voz e dignidade a musica popular brasileira.


Dominguinhos tocando com Luíz Gonzaga (1977).


Chora a sanfona,

de Garanhuns se cala o canto,

vai Dominguinhos fazer par com “Seu Luiz”.


Nesse “Forró do sertão”,

Nesse “Lamento sertanejo”,

Pergunta a gente entristecida:

- “Saxofone, por que choras?”

- “Carece de explicação” tal “Contrato de separação”?

- Foi para “Além da última estrela”,

“De volta pro aconchego”,

quando Deus a ele disse:

- “Vem ficar comigo”.

    Clique para ler o post completo       
 
 

terça-feira, 23 de julho de 2013

 

                    Controle remoto. a TV que nos pauta              

     


...O interesse é quem guia! “Santa” mídia que nos pauta... ...fatos das versões, versões dos fatos, o que é, o que se quer que seja...


Controle remoto.


Num canal, o Papa é pop,

no outro, o pop não é Papa.

Divergem:

A dimensão do manifesto,

a extensão do protesto,

o tom do Cara, da “cara pintada”.

Aqui o bandido é mocinho,

ali, o herói vira vilão...

Jonah Jameson x Homem Aranha.

Convergente, divergente edição.

A imparcialidade é questão de sintonia,

mais à direita, mais à esquerda...

    Clique para ler o post completo       
 
 

quinta-feira, 18 de julho de 2013

 

                    Passa tempo, tempo passa              

     


...Atrasados em tanta “urgência”, apercebemos a emergência de viver; sobrevivemos deglutindo efemérides, datando o obituário nosso de...


Jardim visto de uma sala antiga.


Corre a vida,

ciranda insana dos ponteiros,

ciclo avante sem reciclo.

Apreçada pressa;

devorando calendários,

engolindo agendas,

desfolhando a folhinha.

Jaz o agora a cada hora,

consumindo mais um dia,

que voa qual uma só andorinha,

sem ter com quem “fazer verão”.

    Clique para ler o post completo       
 
 

sábado, 6 de julho de 2013

 

                    O dia em que o Sabe-tudo descobriu que não sabia              

     


Quem sabe de verdade, pensa e age como Sócrates: “Só sei que nada sei”. E conhecedor de sua real ignorância. Busca verdadeiramente, estudar e aprender. Inteligência é uma questão de sabedoria. Não dá para improvisar, inventar, fazer de conta...


Antonio Pereira Apon.


Água.


Robson (que não era o Crusoé), julgava saber tudo, entendia de estrume a física quântica, de jogo do bicho a mercado financeiro internacional... Grande aficionado por almanaques, fanático por bricolagem, incansável leitor de bula de remédio... Achava-se entendido em tudo e mais alguma coisa, um autodidata “pós-doutorado pela universidade da vida”. Seu amigo e “fiel escudeiro” Daniel (que não era o Defoe), vivia a consertar as lambanças do sabichão e aturar as adjetivações diminutivas daquela “inteligência superior”.


Um dia, o Gênio resolveu construir um pequeno barco para se aventurar na Baía de Todos os Santos. Consultou seus alfarrábios, leu trocentas revistas e fez-se “Engenheiro Naval”. Calculou, rabiscou, projetou... Em algumas semanas, a “obra prima da náutica universal” estava pronta, ignorando os conselhos de um experiente carpinteiro, que discordara sobre o tipo de madeira e outros materiais empregados. Até mesmo a opinião de um experimentado saveirista, foi arrogantemente ignorada e muitas das instruções dos manuais, “reinventadas” por aquele aloprado “padre-mestre”.

    Clique para ler o post completo       
 
 

quinta-feira, 4 de julho de 2013

 

                    Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!              

     


Criam dia para tudo e todos, assim: 20 de julho foi adotado como um dos 365 dias do amigo. Portanto, nesse e em todo dia do amigo, te desejo um existir repleto de sinceras amizades.


Antonio Pereira Apon.



Mãos com o globo terrestre.


Amigo,

é o incondicional afeto,

que não falta,

quando tudo mais já faltou.

É alguém além do tempo,

da distância...

Independe da genética,

ignora a estética,

não vê classe social.

Não importa raça> ou credo,

    Clique para ler o post completo       
 
 

quarta-feira, 3 de julho de 2013

 

                    Amizade              

     


... É como sol. Ilumina e aquece tudo e todos a seu redor.


Antonio Pereira Apon.



Sistema solar.


Amizade é tesouro da alma,

alquimia do bem querer,

conspiração do cosmos

a nos anelar

em fraterno amor.

    Clique para ler o post completo       
 
 
 

                    Versos irônicos              

     


Deboche, cinismo e sacanagem política, pedem o sarcasmo e ironia desses antigos versos que acordam sua atualidade nesses tempos de justos protestos e povo na rua, levantando o Gigante até então, “deitado em berço esplendido”.


Moedas espalhadas.


Labuta dura

a de no Brasil existir,

hora chorar, hora sorrir...

O que fazer?

Tem crise na bolsa

no bolso, grana não tem!

No bucho a fome

e na mão, nenhum vintém.

Lá do poder,

só promessas! Nada além.

Morre a saúde,

emburrece a educação

e insegura,

A segurança pede proteção.

Da Bahia, alguém há de gritar:

- Isso é pura futrica!

Um factoide

Ligará Salvador à Itaparica!

E tem 6 km de "metrô" pra se brincar!

O povo é que gosta de sofrer,

fica em fila por puro prazer.

"Relaxa e goza"!

É hora de viver!

Tem "marola" pra gente surfar,

e do Planalto,

piada pronta pra nos “alegrar”.

Brasileiro é grande fingidor,

finge a dor que acaba em carnaval,

não é mau eleitor,

apenas elege um fingidor seu igual.

    Clique para ler o post completo       
 
 


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...