Heroi (Dia dos Pais)



... não está no gibi, nem na telinha da TV. Tem o superpoder de não Ter superpoderes... ...seu "cinto de utilidades" tem que Ter todas as soluções, tem que saber tudo; mesmo quando não sabe nada... Segundo domingo de agosto, dia dos Pais.


Antonio Pereira Apon.



Símbolo do Super-Homem.


Camufla a emoção,

como quem esconde um pecado mortal;

sufoca o sentir,

pois "pega mal" um homem sentimental.

Herói anônimo e solitário;

que não está no gibi,

nem na telinha da TV.

Tem o superpoder

de não Ter superpoderes,

e ainda assim,

encarar o labor,

a lida da vida;

buscar ser sempre forte,

mesmo quando enfraquecido

pela "criptonita" das adversidades.

seu "cinto de utilidades"

tem que Ter todas as soluções,

tem que saber tudo;

mesmo quando não sabe nada.

Herói em todas as classes,

etnias,

credos,

níveis culturais;

herói em todas as profissões,

ideologias,

nacionalidades...

Seu nome?

Pai!



Aos pais de verdade:

Que não são meros reprodutores. Mas homens de verdade, senhores de seus atos.

Que não se sentem atados pelos laços do sangue, mas ligados pelos liames do coração.

Que dão nome, sobrenome e amor, ao filho daquele carnaval, daquela balada...



Postado aqui em 10 de agosto de 2007.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Antes do mais, verdadeiro. Um poema saído do coração. Nem preciso perguntar se você é pai. FELIZ DIAS DOS PAIS! Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser pai vai muito além da biologia e do sexo. Paternidade (e maternidade) responsável faz parte do caráter de pessoas de bem, comprometidas com a vida e a sociedade, o "heroísmo" do dia a dia.

      Obrigado.

      Um abração.

      Excluir
  2. Amar! Cuidar! Proteger!
    "Pai Herói"! Assim como você disse, não precisa estar na revista em quadrinhos, só precisa estar e ser presente!
    Seja sempre muito feliz!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Precisa de tinta para escanear?

Vidas por um cinto. Sinto...

Qual o limite da amizade?

Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!

Amigos não tão virtuais

Acróstico junino

Um até...

Querido defeito de estimação…