A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Decida você. A vida agradece





... uma decisão precisará ser tomada: agora por você, de forma consciente e serena, ou por seus familiares, que em meio a dor da sua partida, ainda se depararão com a delicada questão de doar ou não os seus órgãos. Decida você! Comunique a todos a sua opção...

Antonio Pereira Apon.


Mão com uma flor amarela.

Desde que nascemos, uma única e inexorável certeza nos acompanha: todos iremos morrer. Apesar dessa inegável realidade, evitamos falar desse assunto, como se assim pudéssemos retardar ou fugir do inevitável. Em se tratando de doação de órgãos, é extremamente importante a discussão do tema, uma decisão precisará ser tomada: agora por você, de forma consciente e serena, ou por seus familiares, que em meio a dor da sua partida, ainda se depararão com a delicada questão de doar ou não os seus órgãos. Decida você! Comunique a todos a sua opção.


E qual é a sua escolha? Vai doar ou não? Do ponto de vista religioso, não há nenhum impedimento, pois em todas as crenças, é o espírito quem sobrevive, transcende ao túmulo. Se você acredita na ressurreição, sabe que ela se dará num "corpo espiritual" e que "nem carne, nem sangue entrarão no reino dos céus"; se você crê na reencarnação, é sabedor que os "laços" que unem seu períspirito, duplo etéreo ou algo que o valha, se "desfazem" de forma irreparável no processo de desencarne. Sendo muito apegado à matéria, essa é uma boa oportunidade para modificar-se, pois a doação dos órgãos (para uma alma apegada ao corpo), não será mais dolorosa do que a decomposição do sepulcro ou o fogo da cremação. Materialista? Não tem absolutamente nada a perder, se a morte é o fim de tudo...


Já decidiu? Não se esconda atrás de um medo que não se justifica. Doando o que não lhe tem mais utilidade, vidas serão salvas. Caso você não doe, tudo isso logo logo será literalmente perdido, só restarão: despojos, restos mortais. Já parou para pensar nisso? Já pensou nas pessoas que padecem nas filas de transplante? Nos familiares e amigos delas? Já se imaginou, precisando de uma doação para continuar vivo? E se quem necessitasse fosse alguém muito próximo? ... ... ...



27 de setembro, é apenas mais um dos 365 dias do doador de órgãos, pois todos os dias, milhares de seres humanos como nós e aqueles que os amam, esperam angustiosamente por uma oportunidade de seguir vivendo. Chegará o dia em que você poderá protagonizar o ressurgir da esperança e da alegria de gente que sonha, sente, pensa... ... ... Você pode fazer a diferença ou simplesmente morrer e pronto.


No meu caso, talvez a córnea que eu precisava para voltar a ver, tenha chegado com um ano de atraso. Esse atraso para quem precisa de um coração, um fígado, rim... Pode significar uma sentença de morte.


Fale sobre doação, faça sua escolha pela vida, passe essa mensagem adiante, ajude a formarmos um "círculo virtuoso" em torno da doação de órgãos e tecidos, a decisão é sua!


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

4 comentários:

  1. Antônio

    Ficou excelente a matéria e o audio.
    Obrigado por estar junto com ATX-BA na luta pela doação de órgãos. Um abraço. Márcia Chaves. ATX-BA

    ResponderExcluir
  2. Falando sobre doação de maneira lógica, mas com a sensibilidade de um poeta.
    Forte abraço e muito obrigado pelo excelente texto,
    Fernando Cezar P Santos
    Presidente

    ResponderExcluir
  3. Concordo, Eu sempre pensei em doar tudo que fosse possível. Desde que me entendo por gente eu sempre disse, quero doar os órgãos. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também, sempre me posicionei como doador, sempre deixei isso bem claro para minha família. Não existe qualquer justificativa real para não se doar os órgãos. Só o egoísmo e a ignorância é que podem explicar a negação da doação, optando para que órgãos que podem salvar vidas apodreçam na sepultura ou virem cinza na cremação.

      Será que um desses “não doadores”. Se um dia precisar, vai se recusar a receber um transplante? E se for um parente amado que necessitar? ... ...

      Um grande abraço e bom fim de semana.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.