Acorda eleitor! - Versos eleitorais



... O não feito de verdade, a propaganda cria. Santa publicidade! Eleitoreira fantasia...


Urna.


Um jeito de votar errado,

É o voto anular.

Feito equivocado,

De quem intenta protestar.


Alguém será eleito!

À direita ou à esquerda.

Protesto bem feito,

É escolher a menor perda.


O inútil voto útil,

Plebiscitária armação.

Fomentar o pensar fútil,

Encabrestar o cidadão.


Escola que não ensina,

Insegurança de matar.

Saúde que assassina,

Só resta ao povo orar.


O Presidente percebeu:

"O povo está na merda".

Mas político defende o seu,

Pro povo a solução é lerda.


Helicóptero e carro blindado,

Transportam o governador.

No velho buzú lotado,

Sonha o povo com o metrô.


O não feito de verdade,

A propaganda cria.

Santa publicidade!

Eleitoreira fantasia.


Parlamento mal eleito,

em causa própria a legislar.

Ignorar do povo o pleito,

Imune ludibriar.


Mal eleito o executivo,

eleitor a penar.

Vazio administrativo,

o ruim vai piorar.


Política e religião,

Uma mistura infernal.

Pôr fé na enganação,

Travestir de bem o mal.


Não espere um político salvador,

Para resolver nossos problemas.

Acorda eleitor!

Não caia em velhas cantilenas.


Triste alienação,

O não gostar de política

Entregar o poder na mão,

De gente abaixo da crítica...


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Comentários

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”