Direitóides, esquerdofrênicos e seus alucináticos - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

 

                    Direitóides, esquerdofrênicos e seus alucináticos              

     

... fingidos inocentes e seus “grilos” marqueteiros; quadrilhas em seus projetos placebo, que só enganam e não tardam em desenganar. Demônios angélicos e anjos demoníacos, num jogo sujo de cartas marcadas para...


Antonio Pereira Apon.


Os jogadores de cartas (Les Joueurs de cartes), pintura de Paul Cézanne.


De um lado, os direitóides dissimulados. Do outro, os esquerdofrênicos mentirosos. No meio da bandalha, um rebanho de alucináticos, tomando partido de uns ou de outros, entre miragens ideológicas e delírios de virtude. Em campanha, os politiqueiros se digladiam, pelo poder; vendem o pai, a mãe e a própria anatomia para por qualquer meio, justificarem seus fins. Passado o “circo de horrores” eleitoral, o esterco se reúne no mesmo pasto e bota pra feder encima do povo.


Sem meios ou qualquer fim, os abestados defendem seus algozes, o mal feito cinicamente explícito ou a entorpecente maquiagem populista. Travestidos de coxinhas, mortadelas ou fantasiados de qualquer outra sandice, ofendem pai, mãe, a anatomia alheia; brigam com amigos, se desentendem com familiares, enquanto a turma lá de cima, segue, debochando e andando para o país. Para as hienas de dentes arreganhados, devorando sua apodrecida ração de “pão e circo”, ruminando novas e velhas farsas.


Pinóquios, fingidos inocentes e seus “grilos” marqueteiros; quadrilhas em seus projetos placebo, que só enganam e não tardam em desenganar. Demônios angélicos e anjos demoníacos, num jogo sujo de cartas marcadas para a população sempre perder. E os alucináticos, qual bobos da corte, perdidos bufões, paradoxais palhaços da própria desgraça, aguardam um direitóide ditador moralizador ou um esquerdofrênico salvador da pátria.


Quando a cidadania vai virar a mesa?


***


O texto “anônimo” a seguir, circula a algum tempo nas redes sociais e reflete bem a situação do Brasil desgovernado em que temos sobrevivido:


Os passageiros na sala de embarque do aeroporto esperavam a saída do voo, quando chega o copiloto, impecavelmente, fardado, com óculos escuros e uma bengala branca, que o auxiliava para caminhar. A aeromoça esclarece que o mesmo, apesar de cego é o melhor copiloto da empresa.

Pouco depois chega o piloto, com a farda impecável, óculos escuros e também com uma bengala branca, auxiliado por outra aeromoça, que afirma que o piloto também é cego, mas é o melhor piloto da empresa. Todos os passageiros ficam desconfiadíssimos, mesmo assim embarcam.

A aeronave taxia e ao chegar na cabeceira da pista, acelera e começa a corrida para a decolagem. O avião cada vez mais aumenta a velocidade e a pista vai passando com os passageiros aterrorizados. O avião continua em alta velocidade, mas nada de decolar. O fim da pista se aproxima. E os passageiros já histéricos, começam a gritar em pânico.

Nesse momento, milagrosamente o avião decola e piloto diz para o copiloto: No dia em que os passageiros não gritarem, estamos perdidos.


Estamos perdidos! Eis o Brasil, precisando desesperadamente que o povo “GRITE”, para poder levantar voo Antes que seja muito tarde. Tarde demais.





Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

15 comentários:

  1. Oi, amigo Antonio,
    Precioso texto!
    Ah! Carecemos de gritos, esperneios e atitudes!
    Carecemos...
    Os que estão no poder só pensam no próximo pleito.
    Beijo carinhoso. feliz semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vão se empoderando e andando para o povo. Se não gritar não muda, ou pior, muda sempre em favor deles e desfavor do país. Não importa o matiz fisiológico. Todos vão cantando mais ou menos assim:

      https://www.youtube.com/watch?v=PPywrHED1BA

      Um abraço, querida. Tudo de bom.

      Excluir
  2. E continuam jogando às cartas e a outros jogos (rs) e o povo (eles, também são povo, não são da nobreza ou realeza), que se vire.

    Magnífico texto sátiro-social, Tonico.

    Boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Suas excelências, povo??? Eles se acham acima do bem e do mal, verdadeiras divindades. Imperadores da boçalidade, majestosos parasitas...

      Bem assim:

      https://www.youtube.com/watch?v=ghf2NLOgpNA

      Inté!

      Excluir
    2. Nossa! Tanta "coisa" que Chico Anysio vai fazer, mas tudo a bem do povão (rsrsrs).

      Excluir
    3. O personagem caricato do Chico, capturou bem a essência dos politiqueiros: assassinos da ideologia, estupradores da cidadania, gigolôs da pátria...

      https://www.youtube.com/watch?v=jfw7XVkLqlY

      Inté!

      Excluir
  4. Eu já sabia que Cazuza, Agenor, seu nome de batismo, tinha morrido cedo e que foi um menino irreverente, ou melhor, que disse muitas verdades. Pois é, quem procura uma ideologia como a que ele procurou, se mete por caminhos com muitos pedregulhos e raramente chega ao final da jornada. Gostei da voz dele e da letra.

    Beijinho, minino!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vida pessoal do artista, suas escolhas particulares, nem sempre correspondem à qualidade de sua arte. O artista é uma antena a captar a inspiração, mas, humano, é imperfeito, falho mesmo.

      Um abraço.

      Excluir
  5. Vês, ninguém comenta os vídeos que colocas, a não ser eu, e no meu lugarzinho. Nunca mais entrei em território alheio (rs). Ora, agora me chama: Moça cheia de si, me chama!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maioria nem retorna para ler a resposta, só uma agradeceu o vídeo de resposta na postagem da "brincadeira" de Lourdes. Mas, minha intenção é a de agregar conteúdo para os leitores em geral, uso os comentários como ganchos para isso.

      Já havia reparado, vc parou de comentar os vídeos dos comentários dos outros, pq? Que sois cheia de si, é incontestável. Rs rs rs...

      Um abraço.

      Excluir
    2. Claro que é isso mesmo. Eu sei que tu és inteligente e que sabes quem volta ou não ao teu blog.
      Ok. Entendo tua intenção, mas seria mais aprazível as pessoas comentarem o vídeo, que está juntinho ao comentário delas.

      Porque tu me chamaste indiretamente, "metediça" (RISOSSSSSSSSSSSSS). Eu, despois disso, prometi que só comentaria no meu lugarzinho. Se lembra? Foi a propósito do comentário da Ivone. Tá bom, mas eu como "não" gosto nadica de você, passarei a comentar, mas me dá algum tempo, por favor, pois a aposentadoria, aqui, é aos 65 anos e uns meses.

      Sou, sou, sou, mas tu até gostas (rsrsrsrsrs).

      Beijinho, Tonico!

      Excluir
    3. Me esqueci de comentar aquela história do piloto e copiloto, ambos cegos, que tu postaste aqui, mas não foi por mal, foi esquecimento mesmo.
      Me ri imenso. É bom que tenhamos sentido de humor em relação a tudo.

      Lindo dia. Vou almoçar, mas tu não me larga(s) !!!!!

      Excluir
    4. Creio ter ocorrido um mal entendido naquele episódio...

      Excluir
    5. O pior é que o Brasil está assim mesmo. Precisando urgentemente de muito grito para se salvar, se é que ainda dá tempo.

      O ideal seria que as pessoas comentassem os vídeos. Mas...

      Bom almoço!

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...