Paz e amor

 

Onde cala o grito,

grita o silêncio;

os tolos gritam

seus gritos tolos,

os sábios silenciam...

há paz no silêncio!

e quando a paz

puder gritar

o grito silencioso do amor;

haverá mais riso e menos dor,

mais pão e menos armas,

mais perfume e mais flor.

Quando a paz florescer;

contaremos menos cadáveres,

menos presídios,

menos fome;

computaremos mais escolas,

mais templos,

mais seres humanos.

 

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon) (Além do nome do autor, cite o link para o site http://www.aponarte.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Leia mais no Apon HP: Mensagens, poesias, artigos, crônicas, humor...

Comentários

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Precisa de tinta para escanear?

Folclore brasileiro em acróstico

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”