A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Não fique triste





Deixe que a poesia guarde, eternize a inspiração de Drummond, a vida que sorri numa criança, o tanto de bom que falta e que podemos fazer. Vamos em frente! Sorria!


Sol sorrindo afastando as nuvens.


Tudo passa,

como passam as nuvens tormentosas,

as noites mais nebulosas...

Um dia a vida acorda com sabor de alvorada!

Dissipa as sombras tristes,

Faz a poesia sorrir.

Das cinzas frígidas,

O coração ressurge,

Como fênix a sonhar.

Com os pés na gleba e asas na imaginação.

Abraçar o infinito,

Redescobrir sua amplidão.

Caminhar o caminho,

sob esse céu,

sobre esse chão.

"Mundo mundo vasto mundo,

Mais vasto é meu coração".

Degustar os versos de Drummond.

Em bom "poetiquês",

Despertar a criança adormecida,

E na sua caixinha colorida,

reencontrar todo um mundo a colorir.

Não fique triste.

Hoje somos mais de sete bi,

todos precisando aprender a sorrir.


Foto de Carlos Drummond de Andrade.


(Postado aqui em 31 de outubro de 2011, ocasião dos 109 anos do nascimento de Carlos Drummond de Andrade, meu poeta preferido. Dia também em quea Terra chegou a sete bilhões de habitantes humanos).



Esse poema surgiu de meu comentário postado na poesia "À toa" no Blog "Afetos e cumplicidades" da amiga Luz.


Gostou desse texto?
Então vai gostar do nosso livro: Um dedo de prosa e poesia. A arte da vida.
Clique abaixo na capa para saber mais e adquirir seu exemplar.


São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...
Compre aqui!



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Compartilhe:

12 comentários:

  1. Nada mais belo que este maravilhoso poema, para homenagiar esse grande poeta, do qual eu também gosto muito!
    Um abraço e uma linda semana

    ResponderExcluir
  2. Olá Ana!

    Drummond foi e é um grande poeta.

    Um abração e uma linda semana para ti também.

    ResponderExcluir
  3. "Perder tempo em aprender coisas que não interessam, priva-nos de descobrir coisas interessantes". (Drummond)
    Belíssimo o seu post, Antonio! Ao Drummond - honras e glórias - merecedoras!
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  4. Olá Querido António,

    "Minha vida, transcrita em cores..."
    Que bem que declamas e como é doce a tua voz!
    Também gosto muito de Drummond.
    Obrigada pelo seu carinho, ao postar esta poesia se lembrando da minha.
    São apenas desabafos. O Outono, altera, também, o meu estado de espírito.
    Como te recompensar? Com amizade, sorrisos e entregas.
    Boa semana.

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir
  5. Olá, obrigada pela sua visita e por estar seguindo meu blog, seja muito bem vindo, volte sempre!!
    Um grande abraço xD

    ResponderExcluir
  6. Adorável poema e homenagem à Drummond e ao bebê que marca os 7 bilhões de habitantes do Planeta...e vamos tratar de sorrir e trazer mais alegria no mundo, não é mesmo?
    Beijos, amigo...ótima semana
    Valéria

    ResponderExcluir
  7. OPÇÃO

    Tristeza, eu te dispenso,
    De seres minha companhia.
    Preferi, a doce alegria,
    Que ao contrário de ti,
    Ao meu coração dá guarida,
    Traz-me esperança e alento
    E faz-me estar bem com a vida.

    Tristeza, eu me recuso,
    A recolher-me no teu mundo.
    Digo não, às tuas artes e manhas,
    E às ciladas das tuas tramas.
    Desejo abrir a minha janela,
    E sentir o valor da felicidade,
    Que, de pureza, me invade.

    Triteza, eu não quero,
    Nem as tuas mãos sentir,
    Porque a vida é um espelho,
    Sempre pronto a reflectir,
    O que vem de dentro da alma,
    Alma imensa, a florir,
    Sai! Sai! Eu quero sorrir.

    LUZ

    ResponderExcluir
  8. Bom dia Luz!

    A tristeza não deve jamais ser uma "Opção" "Porque a vida é um espelho,
    Sempre pronto a reflectir,
    O que vem de dentro da alma..."

    Muito bom!

    Um abração.

    ResponderExcluir
  9. Olá amigo,

    Ando tanto " avoada"... voltei para ler a sua homenagem rsrs. Linda Antonio! Teu poema homenagem ficou belíssimo, amigo. Parabéns, Antonio!

    Beijos com carinho amigo

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde, Antonio. Bonito o seu poema, seus versos tão bem escritos, e a sua homenagem ao poeta.
    Eu gosto dele, mas adoro o Vinícius de Moraes. Amo os seus sonetos.
    Acredito que aprende-se sempre com os poetas, com a sua maneira diferente de cantar o mundo em versos.
    Um beijo grande, fique com Deus, e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  11. Nossa como tem gente nesse lindo planeta!
    Amo ler Drummond e aqui fizestes um lindo poema em homenagem ao poeta, você é sensível e sabe com maestria colocar as palavras para nos encantar!!!
    Antonio, amigo poeta querido, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Ivone. è muita gente mesmo e cada vez mais gente, embarcando nessa nossa "nave mãe" Terra. Drummond é para mim a inspiração maior, o maior poeta brasileiro.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.