A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Ter que ter sem ter por que





... Ter que pagar “por Deus”, vestir grife pra se sentir alguém, ter pra deixar de ser ninguém. Apressada humanidade, desumanidade apreçada: Não cabe na agenda, não dá para acondicionar no calendário; sai desfolhando a folhinha, desarvorando os relógios, devorando homens...


Cidade em preto e branco.


Cidade em tons de cinza,

Cinzenta conturbação.

Gente programada,

Almas desamadas,

Desalmada profusão.

“Tempo é dinheiro”

Para viver?

Não há tempo não!

Ter que ter sem ter por que,

ter que ter para parecer,

ter por ter sem saber pra que.

Ter que pagar “por Deus”,

vestir grife pra se sentir alguém,

ter pra deixar de ser ninguém.

Apressada humanidade,

desumanidade apreçada:

Não cabe na agenda,

não dá para acondicionar no calendário;

sai desfolhando a folhinha,

desarvorando os relógios,

devorando homens.

Passado, presente e futuro,

corridos,

ocorridos,

fluídos do mesmo instante.

Artificiais destinos,

fiar da linha da palma de cada mão;

linear sentença,

desfiar da ilusão.



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

8 comentários:

  1. Maravilha de poema, só podia ter sido escrito por alguém culto como você, por isso e por muitas coisas que aqui leio lhe tenho muito apreço, leio sem pressa!
    "...Apressada humanidade/desumanidade apreçada..." esses versos dizem tudo!
    Amei, deixo aqui um abraço bem apertado amigo querido Antonio!





    Leia mais: Ter que ter sem ter por que - A arte da vida. Apon HP http://www.aponarte.com.br/2016/01/ter-que-ter-sem-ter-por-que.html#ixzz3x8BB0Yxx
    Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entre o preço da pressa e a pressa do preço, vai-se trocando o ser pelo ter e artificializando mais e mais a desumana humanidade.

      Obrigado por suas sempre gentis palavras, Ivone.

      Um abração e um bom final de semana.

      Excluir
  2. Olá, Apon, como vai? Muito bem escrito seu poema... há anos busco compreender o que torna o uso de uma marca ou de bens que denotam superioridade algo tão importante. Penso que quanto mais esses luxos ostentação são perseguidos, maior é o vazio anterior, a necessidade de aprovação... Sonhamos, sim, com conforto, mas o exagero, esse mostra um caos nos sentimentos, nas relações. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem. viver de aparências é tentar desmentir a paupérrima situação do ser,o vazio existencial de almas carentes, que encontram no ter o disfarce para sua falta de ser. Gente que sobrevive de faz de conta, cultivando miragens e cultuando quimeras. Rótulos, etiquetas e faustas embalagens para mascarar o vácuo de conteúdo.

      Um abração e um bom fim de semana.

      Excluir
  3. Olá, António!

    Que é feito de você, menino?

    Um poema mega inteligente e realista.

    Você sempre "bateu" na "tecla" SER e não ter, mas mais de metade do mundo prefere TER a ser. Não dá pra entender!
    Tenho esperança que Deus, nosso Pai, mude esse sistema, o mais rapidamente possível, mas isto é apenas "o princípio das dores", como refere a Bíblia, não adulterada.

    Bom final de semana.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A grande questão, não está no ter em si, mas no subjugar ou mesmo anular o ser na avidez insana e incontida de ter e ter mais e mais. Esquecemos que somos seres espirituais, estando temporariamente numa vivência material. Dessa forma, retornando à dimensão imaterial, deparamo-nos com a deplorável penúria da alma, que nada entesourou para além do círculo estreito das materialidades, das grifes, modismos e outras tantas bobagens.

      Assim caminha a humanidade, apartada de Deus, perdida de si. Até quando?

      E por aqui vamos nós, escrevendo, postando na contramão do senso comum, da maioria, deliberadamente, inconsciente.

      Um abração e um bom fim de semana.

      Excluir
  4. Olá, querido amigo!

    Tudo bem com você? Aqui, está chovendo, faz frio e uma neblina que não me deixa ver o prédio em frente ao meu.

    Agradeço teu excelente comentário. Está lá tudo. Tu sabes que acredito na vida para além da morte, mas é preciso renovar esse sistema, que está podre: MEU DEUS VEM RAPIDAMENTE!

    Muitas vezes, me pergunto, qual o motivo porque uma criança de dois anos, que, enfim não cometeu ainda pecados é vítima de câncer, por exemplo. Já fiz essa pergunta a um teólogo e a um padre e eles me reponderam que são desígnios de Deus e que satanás também comanda esse mundo. O que te parece?

    Nunca pensei escrever sobre a temática FÉ, DEUS, mas involuntariamente, o poema foi acontecendo. Acho que as pessoas pensaram as ames diversas coisas. Tenho recebido muitos OFF(s), porque pensam que algo de grave aconteceu comigo. Graças a Deus está tudo satisfatório, embora algumas mazelas, sejam para sempre. Sou doce, muito doce e nunca mais vou deixar de o ser.

    Abraço e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por cá o clima anda enlouquecido, creio que por conta do tal aquecimento global. Fora nossa pocilga político-econômica, tudo bem.

      “são desígnios de Deus e que satanás também comanda esse mundo”. Sem a reencarnação, não temos senão esse tipo de resposta simplista, escapista e que em suma, tenta comodamente terceirizar nossas culpas, colocando o ser humano a mercê de outras vontades, dócil joguete do destino, da sorte, do acaso...

      Quando nascemos, ganhamos um novo corpo. Porém, nosso espírito, já preexistente, traz consigo a bagagem do bem e do mal, praticados em outras encarnações. Assim, o corpo físico, reflete as necessidades, as carências, as expiações e provas que permitem à alma resgatar seu passado e escrever um futuro melhor. Dessa forma, vamos evoluindo de encarnação em encarnação.

      Fora disso, a bondade e justiça do Criador são postas por terra. O Pai nos deu o livre arbítrio, para escolhermos o caminho a trilhar. Contudo, nossas escolhas tem consequências com as quais temos que arcar; corrigir nossos enganos, consertar nossos erros. Nada nem ninguém pode responder por nós ante o tribunal da própria consciência. Não existe “castigo de Deus”, penas eternas e outras tantas invencionices de algumas religiões, para segurar seus fieis pelo medo e promessas vazias de remissão dos pecados, dogmas e outros artifícios para uma pretensa “salvação”.

      Enquanto não buscamos de fato nos melhorar, somos assaltados pelas vicissitudes, doenças e tantos dissabores que povoam nosso cotidiano. Não existe solução mágica, não dá para apelar para milagres nem apostar nas crendices e rituais. Se na vida atual, não se encontra a causa para um problema, com certeza, essa está numa vida pretérita.

      Desculpe-me se de alguma forma, ofendi sua convicção religiosa. Mas não tenho outra forma de responder seu questionamento: “O que te parece”?

      Quanto à sua postagem. Também me preocupei. Pensei que podias estar com algo grave. Que bom que está tudo bem.

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.