A arte da vida. Apon HP

Obrigado por sua visita. Boa leitura!

Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Tempo de criança



... No balanço, a vida vai e vem despreocupada, desocupada ocupação de ser feliz. Tempo em que brincadeira é coisa séria e ser adulto...


Antonio Pereira Apon.


Meninos no balanço - Portinari.

Na ciranda a vida roda, gira com o encanto de um pião, magia de cata-vento colorindo o ar. Num barquinho de papel, cabe toda a fantasia; navegar no tempo jogando com as horas, brincando com os dias. Saborear os instantes como algodão-doce, minutos degustados feito chocolate…


Tudo é poesia, melodia infantil. No balanço, a vida vai e vem despreocupada, desocupada ocupação de ser feliz. Tempo em que brincadeira é coisa séria e ser adulto, ainda não aconteceu.


Misto de fábula e realidade, contos e verdades a brincar de esconde-esconde, baleado, chicotinho queimado, amarelinha... Destino desapressado, desapreçado; lúdico, onírico, sorridente existir.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

10 comentários:

  1. Que lindo poder recordar os bons tempo de infância, eu tive a minha e muito bem aproveitada, meus pais, meus amores, me deram e me ensinaram a amar!
    Amei ler aqui amado amigo Antonio!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rememorar a poética infância é sempre prazeroso e encantador para quem viveu essa doce fase da vida.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  2. Deixar que exista sempre a nossa criança sem ilusão, mas sempre com contornos reais da vida pela vida! Procurar contemplar o melhor sempre... ainda que...
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deixar morrer a nossa criança interior, conservar a poesia infantil para suavizar um pouco essa realidade adulta. Ainda que...

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  3. Olá, "minino" António!

    Tudo rolando? Com ou sem Temer, a gente vai conseguir vencer.

    Que doçura, tua prosa poética! Quando somos crianças, vivemos num mundo encantado, mas que é real e onde não existe o mal (hoje, estou rimando, sem querer).

    Me lembro de minhas bonecas e de armar, fazer casinhas com divisões, mas onde nunca colocava nené, e minha mãe me perguntava: filha, então e teu bebé? Ficou com a avó, lhe respondia. Acho que ela ficava apreensiva, mas não dava para eu notar, porque eu tinha 3/4 anos. Criançada não foi e não é a "minha praia".
    Fazia a cozinha, mas sempre com pouca comida, demonstrando que, futuramente, não gostaria de cozinhar, aliás, não gosto e não sei cozinhar. Sei o básico dos básicos.

    É tão bom sentir a vida sem pressa e sem preço! Gostei das homófonas, que usaste, como habitualmente, e da forma graciosa e inteligente como te expressaste.

    Não fizeste bolinhas de sabão? Ou será diversão, brincadeira mais de e para menina?

    O que é amarelinha? Aqui, é o diminutivo do adjetivo amarela.

    Resumindo, ser adulto é complicado, chato e falso. Ser criança é precisamente o oposto.

    Gostei muito da imagem, que colocaste a encimar teu texto.

    Boa sexta e melhor fim de semana.

    Beijinho, porque não te quero "esmagar" com um abração (risos).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo há de melhorar, quando? Só Deus o sabe. O estrago foi grande.

      A poesia da infância permanece guardada na alma de quem não abortou sua criança interior. E esse rico tesouro da memória, orvalha a aridez adulta. Esses doces anos, são o rascunho, anteprojeto do que seremos...

      Que pena! Pensei nas bolinhas de sabão, mas terminei esquecendo na hora de escrever. E "amarelinha" é um antigo jogo infantil, outrora muito popular no Brasil. A imagem, é uma pintura de Portinari.

      Um abração sem esmagamento e um magnífico fim de semana, menina.

      Excluir
  4. Tens razão, António! Só mesmo Deus o sabe.
    Os "democratas", os "populares", Dilma e Lula só fizeram asneira. Alguns brasileiros falam muito da Bolsa de Família (acho que é esse o nome, não sei bem) e de outras miniaturas, que não resolveram, absolutamente, nada.
    O SUS continuou do mesmo jeito, ou seja, caótico e é impossível melhorar razoavelmente em tão pouco tempo e num país dessa dimensão.

    Daqui por pouco tempo, chega o natal e a preparação para o carnaval, que envolve milhões, a todos os níveis. E o Brasil entra de férias e a vida só recomeça, a sério, em Março. Enfim, viva a folia e os problemas que se resolvam por eles próprios.

    Não sei se andas a par do governo português, mas eu te conto: temos um triunvirato, formado pelo Partido Socialista, Bloco de Esquerda (alguns esquerdóides) e o Partido Comunista, pela 1ª vez num governo. Quem ganhou as eleições foi a direita, mas sem maioria absoluta, e então a esquerda se uniu para derrubar a direita, não deixando passar nem uma proposta. Conseguiram, se uniram, e a geringonça, como aqui lhe chamamos, deve ter uma ou mais árvores das patacas, algures, tem dado aumentos salariais a torto e a direito, aboliu já alguns impostos, mas a economia não cresce e há um deficit enorme. Dá para entender?

    A infância é o período mais lindo do ser humano, eu acho. Tudo é natural e sincero, puro.

    Oh! As bolinhas de sabão! também fizeste, pelos vistos. Fica para a próxima vez.

    Agradeço tua explicação quanto à amarelinha. Aqui, creio não existir esse jogo.

    Não sei quem é ou foi Portinari, mas a pintura que escolheste é uma delícia.

    Muito bem, sem esmagamento, porque meu reumático começa a apertar - risos, tanto assim que fui operada à mão direita.

    Abraços, menino lindo (ao longe vejo bem. Ao perto é que não, mas com óculos, enxergo, perfeitamente. Não preciso mudar de lentes)

    Inté e bom fim de semana!

    PS: creio que já sabes que atualizei meu blog. Coloco sempre um vídeo acompanhando meu poema. Escuta a canção e depois me diz. Merci!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O povo gosta de se iludir e de ser iludido. Só Deus para nos libertar de tanta mediocridade. O "bolsa família" faz parte do "pão e circo" que aliena o povo. Pena que Portugal entre nessa cilada, inevitavelmente, terminará como o Brasil. Quando aprenderemos a não cair na conversa fiada e demagógica desses aventureiros esquerdóides?

      Infância tem colorido e magia de bolinhas de sabão. Puro encantamento. Cândido Portinari foi um pintor brasileiro que explorou bastante a temática infantil em suas obras, é autor dos painéis de guerra e paz que ficam no saguão de entrada da ONU.

      Já li e comentei seu post. E ratifico meu alerta para que tomes cuidado com seus leitores mais idosos. Vais terminar matando um deles...

      Por aqui, algumas novidades: Incorporei as datas comemorativas que viraram uma postagem diária e quase diariamente posto pensamentos, frases curtas para reflexão, a que chamo de: Pensata. Podem ser acompanhadas em: http://www.aponarte.com.br/p/blog-page_11.html

      Um abração e bom fim de semana.

      Excluir
  5. Olá Antonio, pura magia este poema. Mágico como toda infância deveria ser.Estava com saudades daqui.
    Beijos meu querido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O encantamento da infância precisa ser garantido a todos os pequeninos. Criança tem o direito de ser criança.

      Um abração e uma boa semana. Recíproca saudade.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.