Redes sociais. Seguir, curtir, compartilhar



... Quero ver é você viralizar esse poema, tornar meme, popular; passar adiante sem dilema, seguir, curtir, compartilhar. No Book do seu Face, Whatsapp, Twitter, Instagran, Pinterest… Sem retoque ou sem disfarce, só algo que conte e preste. Não às...


Antonio Pereira Apon.



Relatividade, litografia de MC Escher.


Ansiedade, grande a tentação,

o dedo coça,

clica ou toca sem noção.


A tudo curte, compartilha,

de recado de quadrilha,

a corrente sem razão.


Que importa a verdade?

A real realidade?

Popularidade e a grande sacação.


Disfarçadas farsas,

politicagens, pirraças,

reles, inútil e vão.


Futilidade explícita,

alienação implícita,

desvalores, inversão.


O “politicamente correto”,

o errado e o incerto,

excessiva desocupação.


Tanto ódio e preconceito,

exaltação ao mal feito,

mentes em conturbação.


“Apropriação cultural”,

plágio e tanto mal,

medíocre distorção.


O bolso a celebrar,

aos dados móveis o respeito;

Wi-Fi e cerebrar,

não é a todos direito.


Quero ver é você viralizar esse poema,

tornar meme, popular;

passar adiante sem dilema,

seguir, curtir, compartilhar.


No Book do seu Face,

Whatsapp, Twitter, Instagran, Pinterest…

Sem retoque ou sem disfarce,

só algo que conte e preste.


Não às piada sem graça,

fofoca, aberração;

não retratar desgraça,

pouca graça, desinformação.


Internet não é penico,

não é fossa existencial;

só o pensar nanico,

exalta o vil e tão banal.


Respeito é bom e de gostar,

denota inteligência;

a si e aos outros respeitar,

reflete consciência.


Desenho, mãos - Drawing Hands, litografia de MC Escher.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Olá, António
    Gostei deste seu poema, forte, incisivo, "sem papas na língua" - se é que se pode dizer isto de um poema.
    Infelizmente, nas redes sociais há muito lixo, e algumas pessoas parece sentirem-se nele "como peixe na água"...
    Frequento pouco.

    Votos de uma semana muito feliz.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, "há muito lixo" e esse prepondera. Mas também há coisa boa e as redes sociais, podem ser grandes instrumentos de comunicação, por enquanto, vamos garimpando o que presta, descartando o que não serve e e fazendo a nossa parte por uma internet melhor, mais inteligente e menos fútil.

      Um abraço e uma semana feliz para ti também.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Precisa de tinta para escanear?

Vidas por um cinto. Sinto...

Qual o limite da amizade?

Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!

Amigos não tão virtuais

Acróstico junino

Um até...

Querido defeito de estimação…