A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Frustração





... a impermanência do sucesso, a efêmera fama, o revês a espreita, a via estreita a se trilhar. Quem não muda nem recicla muito implica e pouco aplica ao descomplicar; quem só finge, quem por tudo se aflige, quem leva a vida a lamentar...


Antonio Pereira Apon.


Nighthawks - Aves da Noite, pintura de Edward Hopper.


Quem se eleva ou muito se rebaixa,

subestima ou superestima,

quem passa da conta,

quem nem conta faz!

Avarentos e perdulários,

prepotentes e subservientes;

Os que se apressam,

os que se deixam apreçar.

Gente que nem começa e já desiste,

que inexiste;

os dados ao vício,

os chegados ao ócio,

alguns tantos a se acomodar.

Uns que correm em demasia,

aqueles que rastejam,

Há os que pouco almejam

e restam a invejar.

Gente que muito deseja!

Mas, pouco faz para alcançar.

Quem vacila e só exita,

quem aguarda o céu mandar.

Os que confundem esperar e esperança,

que curtem mal a riqueza,

aceitam mal a pobreza;

a impermanência do sucesso,

a efêmera fama,

o revês a espreita,

a via estreita a se trilhar.

Quem não muda nem recicla

muito implica

e pouco aplica ao descomplicar;

quem só finge,

quem por tudo se aflige,

quem leva a vida a lamentar.

Quem persegue desculpas,

quem vive a seus erros ruminar.

Os rigidamente inflexíveis,

os donos de “certezas” inamovíveis,

realidade a obnubilar.

Os trânsfugas da razão,

abortando sonhos,

abraçando a ilusão.

Idealizando de mais,

vivenciando de menos;

vão tragando o tempo,

amargando a vida,

biografando sua frustração.



Esse poema de Drummond, musicado por Paulo Diniz, superlativa as frustrações de um tal José. E agora josé?!




Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

4 comentários:

  1. É preciso saber viver, inteligente, resumindo, Tonico.
    Uma prosa poética social bem entrelaçada e interessante.
    O poema de Drummond, que já conhecia, é uma pérola e "delícia" da Literatura.

    Abracinho e dias muito felizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprender a viver, saber transformar os erros em acertos e não em pretextos para frustrações. Viver é uma caminhada de mão única, sempre em frente. E não dá para tardar parado, esperando...

      Essa bela metáfora do caderno nos faz pensar no aprendizado da vida:

      https://www.youtube.com/watch?v=9lMM0vzLVNQ

      Um abraço. Felicidades mil.

      Excluir
  2. Frustações... se não soubermos digeri-las acabaremos em um divã de psiquiatra!
    Ótima reflexão, Antonio!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprender a superar as adversidades, saber escolher e entender que nossas opções diante da vida, tem consequências. Saber digerir as frustrações e seguir em frente.

      Nessa bela composição de Cartola para sua filha, ele resume bem: "O mundo é um moinho".

      https://www.youtube.com/watch?v=sSeGSsU9TlY

      Um abraço.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.