A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Censura, um jato d'água em nós “macacos”





A censura é como o jato d’água, usado para condicionar os macacos, e como aos macacos, os censores querem decidir por nós e por nós escolher…


Antonio Pereira Apon.


Não Ouça, fale, veja.


Vez por outra o autoritarismo levanta do sepulcro e, consorciado ao falso moralismo, hipocrisia e velhas ideologias insepultas, intenta exumar a censura para amordaçar a livre expressão da arte e da cidadania. Querem ditar o certo e o errado, moral e imoral, vício/pecado e virtude; dominar, controlar, adestrar… Bem como no seguinte texto que circula na internet, infelizmente, sem citar a autoria:


Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula. No meio, uma escada e, sobre ela, um cacho de bananas.
Quando um macaco subia na escada para pegar as bananas, os cientistas jogavam um jato de água fria nos que estavam no chão. Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o pegavam e batiam muito nele.
Mas um tempo depois, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas.
Então os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira atitude do novo morador foi subir a escada. Mas foi retirado pelos outros, que o surraram.
Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada.
Um segundo foi substituído e o mesmo ocorreu – tendo o primeiro substituto participado com entusiasmo da surra ao novato.
Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu. Um quarto e, afinal, o último dos veteranos foi substituído.
Os cientistas, então, ficaram com o grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas.
Se fosse possível perguntar a algum deles por que eles batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria:
“Não sei, mas as coisas sempre foram assim por aqui”.


A censura é como o jato d’água, usado para condicionar os macacos, e como aos macacos, os censores querem decidir por nós e por nós escolher…

O mais interessante, é que por trás dessa sanha “moralizadora”, costumam estar velhos “sepulcros caiados”, como os politiqueiros que prostituem o país, os estelionatários da fé, os mercadores da salvação, intolerantes e preconceituosos pseudoarautos da decência; gente que, travestida de sacerdotes, mascarada de puritanismos e ou fantasiadas de autoridades, acoita nas sombras das aparências e da dissimulação, todo tipo de sordidez.


Vamos lá macacada. Subir na escada e dar uma banana para eles!




Um vídeo dos macacos e as bananas, postado no YouTube:




Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

11 comentários:

  1. Oi, Tonico!

    Censura é "coisa" a que não ligo, mas no contexto do teu post, isso é outra história.

    Admito ordem, boas maneiras, bons costumes, mas não me imponham aquilo que eles não próprios não possuem.

    O que está certo pra ti, pode não estar pra mim, portanto esse "negócio" é de difícil concordância. Penso que tem de haver conduta social satisfatória, isso sim.

    Não conhecia essa história, que circula na net, sem autor, mas a entendi assim: o que é bom e muito desejado é para "x", ou seja pra "mim", e portanto não se atreva nem a olhar, quanto mais tocar. Em minha opinião, há situações em que os censores têm de atuar mesmo, caso não, o caos, ainda fica mais caos.

    Abracinho e boa sexta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A liberdade de expressão é elemento basilar da democracia, de forma alguma podemos aceitar qualquer forma de censura. Como disse a escritora Evelyn Beatrice Hall, nessa frase equivocadamente atribuída a Voltaire, "Posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo".

      Não podemos deixar a produção cultural e a criação artística ao bel prazer de fanáticos igrejeiros, politiqueiros arbitrários; subordinadas ao falso moralismo e humores desse nem daquele senhor da vez ou à necessidade de aparecer de alguma pseudo-autoridade caçadora de holofotes.

      Para o que realmente venha a atentar contra a lei, temos a justiça. Censura prévia é uma excrescência, uma violência abominável, é um passo para as novas fogueiras inquisitórias, para determinarem o que podemos ou não: ler, assistir, ouvir, falar, fazer...

      Vade retro! Para os caretas. Caetano:

      https://www.youtube.com/watch?v=a9KomcBR-Cc

      Ou ainda essa, para largarem, pararem de encher:

      https://www.youtube.com/watch?v=eyikhVgBA8o&feature=youtu.be

      Um abraço e bom fim de semana.

      Excluir
  2. Ah, quando o assunto te "corre" nas veias, escreves muito. Gostei da tua exposição, com a qual não estou, em alguns pontos, de acordo.

    Olha que dois, é caso para dizer!
    Já conhecia essa canção de Caetano, porque Caetano aqui é que é o rei (rs), do talento e da irreverência.

    Bethânia, a maninha de Caetano, que já tem 71 anos, dizendo Cântico Negro, um excelente poema de José Régio. Enfim, esse pessoal é do contra mesmo (rs)!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arte, tecnologia, religião e política. Nesses temas eu me espalho um pouco mais. Rs rs rs...

      Por exemplo, aqui no Brasil, com o surto de imbecilidade que vem tentando ressuscitar a censura, com certeza, os teus poemas seriam alvo da moral de jegue das ratazanas neo inquisitoras.

      Por falar em teus poemas, o que achaste da continuidade da nossa "saga" poética?

      Um abraço e bom sábado.

      Excluir
  3. Não gostamos apenas de bananas, não! Não aceitamos mais apenas pão e circo... Pensamos. Agimos. Não desprezem nossa capacidade pensante... Ah! Velhos Senhores, Donos do Poder... Um dia, isso tudo acaba, viu?!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pouco a pouco, as coisas começam a mudar. A turminha da Papuda já está sentindo isso e a batata de outros está assando. E a censura, essa é que nunca mais mesmo.

      https://www.youtube.com/watch?v=W5TI7iLvHC4

      Um abraço e bom fim de semana.

      Excluir
  4. Olá!
    Hoje é dia do quarto Poetizando e Encantando. A imagem que sugeri está deveras inspiradora. Com certeza sua participação vai ser belíssima! quanto aos selinho, vamos colecionando depois faremos um álbum lindo!
    Lhe espero com carinho.
    Há! Caso um seguidor (a) seu deseje participar e está receoso (a), não tem problema, seja mais um e depois é só pegar os primeiros selinhos. Sejam todos bem vindos a essa brincadeira que nos incentiva a ser criativos e recebemos várias visitas.
    Abraços, com desejo de um Domingo com muita paz, saúde e felicidade.

    ResponderExcluir
  5. Querido amigo Antonio, muito boa a escolha do texto, condicionamentos, censuras, isso jamais, não se pode admitir isso, democracia, direito de expressão, liberdade de escolha, de poder ser, fazer, tudo com responsabilidade, pois a vida está aí, seguindo e como dizes, os tempos estão mudando, os donos do poder estão caindo, ainda veremos todos pagando pelos atos insanos!
    Vamos indo, amei ler!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Liberdade, avanços sempre! Retrocesso nunca mais. Fora censura, politicagem, falso moralismo, ditaduras...

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  6. Caríssimo e sábio Antonio.
    Com certeza e uma clareza profunda expões esse momento de retrocesso, onde fanáticos querem imiscuir-se na vida das pessoas como se fossem donos da verdade. Preocupa-me muito que estamos num retrocesso muito grande que poderá chegar e atrasar o Brasil aos tempos da Idade Média. A começar que a educação deveria ser laica, como dizia Thomaz Edson "Religião alguma deve ser introduzida nas escolas públicas. Toda a religião é uma fraude. Toda a religião é uma mistificação". Quando o povo abrir os olhos será tarde e poderemos chegar a um Brasil Teocrático, onde tudo será proibido. Isto pode aquilo não pode. E o povo robotizado vai aceitando verdades contestáveis. Viver em plena liberdade de opinar, ver, sentir está sendo aos poucos proibido. Eles, “aqueles”, vão comendo pelas beiradas, e um dia será tarde. Preocupo-me muito com esses falsos Messias, falsos moralistas que querem normatizar a vida do cidadão como se só eles soubessem o que é bom ou correto. Um grande abraço meu caro e lúcido amigo. Que tenhas um belo final de semana cheio de alegrias e paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querem instituir a mediocridade e a imbecilidade como verdades absolutas, regrar a conduta social, pela insanidade igrejeira, hipócrita e tão falso moralista. Os estelionatários da fé, vendilhões da "salvação", intentam impor suas mentiras e meias verdades, para ludibriar e controlar uma horda de zumbis anencéfalos, entorpecidos pela ignorância.

      Precisamos combater a censura e qualquer excrescência do tipo.

      Obrigado, amigo. Por suas gentis palavras e tão relevante comentário.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.