Transplantar e abandonar. Não adianta



... O transplante faz a graça, A política, a desgraça de vidas arriscar. Sonega o medicamento necessário, oferta acompanhamento precário, ameaça sonhos, esperanças abortar...


Homem saudando o amanhecer.


Sem remédio e sem leito,

sem médico, sem jeito...


Transplante:


Vira lua que não faz luar;

lâmina sem fio,

barca sem rio,

navio sem mar.


Pé sem calçado,

calçado sem chão,

chão sem caminho,

pássaro sem ninho,

céu que perdeu a amplidão.


Alvorada sem sol,

dia sem arrebol,

laço transformado em nó.


“Presente de grego”,

desdita da sorte.

Bendito enredo,

tornado risco de morte.


Desfalque no erário,

investimento perdido.

Sistema ordinário,

descaso bandido.


É ganhar uma Ferrari e faltar combustível para andar,

ter avião e não poder voar,

engolir um boi e com um mosquito se engasgar,

morrer na praia após tanto nadar.


Bem assim,

triste assim:

O transplante faz a graça,

A política, a desgraça de vidas arriscar.

Sonega o medicamento necessário,

oferta acompanhamento precário,

ameaça sonhos, esperanças abortar.


***


AS ASSOCIAÇÕES ATX-BA E VIVA-TRANSPLANTE, CRIARAM uma PÁGINA para os transplantados poderem socializar suas denúncias quanto ao descaso e desatenção que colocam suas vidas em risco, através da falta de medicamentos, carência de leitos e médicos, higiene básica e materiais para procedimentos; entre tantas outras necessidades.


https://www.facebook.com/groups/928631360515960?_rdr



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Lamentável que seja assim, há muita falta de disciplina, de responsabilidade dos que se encarregam de fazer acontecer!
    Transformastes em versos né meu amigo poeta?
    A sensibilidade nos faz agir, reagir, alertar, pois está na hora de mudar isso tudo que estamos vendo, isso não é de hoje bem sabemos, bem sabemos mesmo!!!
    Abraços e tenhas uma linda tarde, aqui está chovendo, Sampa está ao léu com falta de chuva e consequentemente falta de água!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Folclore brasileiro em acróstico

Precisa de tinta para escanear?

Anonimato, internet e o anel de Giges

Você não precisa de cerveja para ser feliz

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Amigos não tão virtuais

Pai. Sem ser super, ser “Herói”