Natal! Curta, compartilhe; siga esse feliz ano novo



... humanidade, que pode, ou não, fazer um mundo melhor; fazer desse ano novo, o arrebol de tempos novos, crepúsculo de velhos desatinos, prefácio de uma nova civilização...


Raios de sol entre nuvens.


Coloque no rosto o seu melhor sorriso,

acorde a esperança que tem andado adormecida,

acenda as luzes do amor e da boa vontade.

Delete o impossível,

siga as possibilidades,

cutuque os sonhos,

Curta e compartilhe o seu melhor,

o melhor dos outros!

Natal de artifício se compra em qualquer magazine,

Natal de verdade não dá para apreçar:

É verdade luzindo nos corações,

é o Menino Jesus, renascido em renovadas ações.

Mais que uma folhinha nova na parede,

um calendário novo no bolso ou na bolsa,

uma agenda novinha...

Ano novo pede atitudes novas,

um novo querer,

nosso novo fazer...

O novo não se improvisa,

não se cria do nada,

não surge de repente,

nem cabe ao acaso parir.

Depende de mim e de você,

de todos os fulanos e sicranos,

de todas as beltranas...

Dos famosos e anônimos,

de toda a humanidade, que pode, ou não, fazer um mundo melhor;

fazer desse ano novo,

o arrebol de tempos novos,

crepúsculo de velhos desatinos,

prefácio de uma nova civilização.

Feliz natal!

Feliz ano novo!

Feliz humanidade nova!


Clique na imagem abaixo para ler outro post de fim de ano, sorteado pelo sistema:


Clique aqui.


Ou clique num dos links abaixo para ler outro post de fim de ano, já escolhido aleatóriamente pelo sistema:



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Olá, António!

    Espero que essa seja a sua mais recente postagem, porque nem sempre a encontro facilmente.

    Lindas palavras, poeticamente escritas, desejando o NOVO, o renascer das boas atitudes e sentires. É no Natal que mais se fala desses temas, mas o Homem tem o dever de saber que TODOS OS DIAS têm de se aperfeiçoar e não estragar coisas e pessoas.

    Humanidade Nova? Gostaria tanto! Todavia, creio que o mundo está muito desconsertado. Só Deus o poderá salvar.

    Aquele abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto o homem não buscar realmente se renovar, para possibilitar uma humanidade verdadeiramente nova. Cada ano novo, não irá além dos desejos estereis e promessas vazias reeditadas ao termo de cada calendário. Seguiremos nesse círculo vicioso, replicando as desditas e desventuras dessa inconsciência coletiva.

      Um abração.

      Excluir
  2. Olá, Antonio! Também lhe desejo "Feliz Humanidade Nova"... Isso é urgente!
    Que saibamos "acender as luzes do amor e da boa vontade."
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma realidade nova e melhor, reclama por pessoas renovadas e melhores. Evolução não se pode improvisar.

      Um abração.

      Excluir
  3. Olá, António!

    Passando para te agradecer o bem estruturado e inteligente comentário, que deixaste no meu blog. É dos mais bem conseguidos. Senti isso. Muito obrigada!
    Pode "sossegar" que a "Céu" continuará com a temática onde se sente que nem "peixe na água". É dessa que todo o mundo gosta e é nela que me "encaixam".

    Só duas comentadoras, António?
    Gostaria que você visitasse, e se assim o entender, um blog brasileiro, cuja criadora se chama Helena, mas agora não sei te dizer o nome do blog. Está no Sapo, e se gostares e desejares comentar, terás de deixar teu nome e o nome do teu blog e os dados ficam depois registrados, futuramente. Volto já!

    ResponderExcluir
  4. Olha, António, o nome do blogue dela se chama: "Um mundo de esperança". Se fores ao meu blog, e clicares em cima do nome, Helena Medeiros Helena, vais lá ter. Ela é uma pessoa extremamente amável e sensível. É médica e ama muito sua família e seu Próximo.
    Acho k vais gostar. Depois, me diz alguma coisa. "Tá"?

    Abração e resto de boa semana.

    PS: estou pensando postar a 23 ou 24. O poema está ficando enorme! O tema é de natal, mas sensual, como calculas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Visitado, aprovado e comentado. Só não gostei de uma coisa. No espaço de comentários, ela usa aquelas letrinhas de confirmação, aqueles famigerados CAPTCHAS. aquilo é uma tortura para quem não enxerga.

      Um abração.

      Excluir
    2. Excelente António! Posso te dizer que é um blog de fundo verde, o da helena, e os textos são, em geral, escritos em tons fortes, vermelho, preferencialmente. Tem desenhos pequeninos por lá espalhados, fazendo lembrar casinhas de bonecas, enfim, um mundo de fantasia.
      Creio que no SAPO, essas letras são obrigatórias, é do próprio sistema. Se for ou fosse por ela, ela não desejaria tornar a vida complicada a ninguém, muito menos a ti que és invisual. A propósito, estás na mesma, quanto à tua "visão"?

      Abração, garoto!

      Excluir
    3. Tudo no mesmo, ainda não surgiu uma solução para meu problema.

      Um abração.

      Excluir
  5. Olá Antonio! Vim agradecer a tua honrosa e tão prazerosa visita ao meu cantinho e conhecer também o teu blog.
    Depois de me assenhorear de alguns dados do teu espaço, os quais me deram uma idéia da pessoa extraordinária que tu és, englobando neste adjetivo o teu espírito de poeta, de pessoa culta, de um ser humano de extrema grandeza, e de uma pessoa simples, que prioriza as relações, os afetos, com exemplos de uma vida repleta de superações, quero dizer com muito orgulho que ficaria imensamente feliz se eu pudesse fazer parte do teu grupo de amigos virtuais. Na certeza de que o virtual ficaria apenas no nome, pois os sentimentos à medida que vão sendo gerados se tornam reais.
    Depois de uma caminhada pelo teu espaço, que a princípio seria meio corrida devido à exigüidade do tempo, mas que me prendeu na diversidade e excelência do conteúdo, tive que dar uma parada aqui para “bisbilhotar” a tua conversa com a Céu. Esta garota é muito exagerada nos elogios, não acredita em tudo que ela fala, viu? (risos). Sabe, Antonio, existem pessoas que entram em nossas vidas e nos cativam de tal forma que onde vemos o seu nome a gente dá logo uma paradinha para ver o que ela está conversando. É como um imã que nos atrai ao seu círculo, rs.
    Por agora não posso me alongar, mas já deu para perceber que sou muito “tagarela” e não consigo ser concisa nos comentários, mas prometo voltar com um tempo mais extenso para continuarmos a bater um papo.
    Gostaria de dizer que muito me alegrou a tua visita e de hoje em diante faço questão de te acompanhar nesse trajeto tão prazeroso que os blogs nos oferecem.
    Espero que as letrinhas da identificação não sejam empecilho para receber outras visitas tuas (se eu pudesse, acredite, já as teria eliminado).
    Acredite, amigo, no tempo em que permaneceste no meu espaço já deixaste um rastro de luz que de imediato me trouxe até aqui. Muito prazer em te conhecer através das tuas palavras, da tua casa, da tua poesia! E um agradecimento para a nossa querida Céu que me propiciou conhecer o meu mais novo “amigo de infância”.
    Ainda volto antes do Natal, prometo!
    Deixo-te um punhado de sorrisos atados com as estrelas que os anjos estão a espalhar por aqui.
    Com carinho,
    Helena
    (http://helena.blogs.sapo.pt)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que algum dia, eu possa ser tudo isso que sua gentileza e generosidade escreveram. Sou um aprendiz da vida, escrevinhador das tantas lições a aprender. Daqui desse nosso recanto internético, procuramos semear pensares e sentires em prosa e versos que toquem mentes e corações, construindo um círculo virtuoso de afinidades, amizade que transcende ao meramente virtual.

      Quanto às "letrinhas", o programa que as lê está apresentando problemas que espero sejam logo resolvidos.

      Obrigado, Helena.

      Um abração. Até breve.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Acróstico junino

Precisa de tinta para escanear?

Vidas por um cinto. Sinto...

Poema para o amigo - Feliz dia do amigo!

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Qual o limite da amizade?

Você não precisa de cerveja para ser feliz

Querido defeito de estimação…