A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:


domingo, 21 de fevereiro de 2016

Fim de festa. E agora?!





... desviou da blitz para escapar do bafômetro, da multa, dos pontos na carteira... Alinhavou o destino, ziguezagueou na avenida...


Cerveja.


Nada resta,

sobram sombras;

assombram,

ensombram...

A música calou,

acabou a comida,

a bebida acabou.

Sua possível “Cinderela”;

se foi,

não deixou o “sapatinho de cristal”...

Você “tomou todas”!

E após tantas “saideiras”;

pegou o carro,

desviou da blitz para escapar do bafômetro,

da multa,

dos pontos na carteira...

Alinhavou o destino,

ziguezagueou na avenida,

bateu num poste...

Derradeira cena dessa sua vida.

Seu corpo inerte

sobre a pedra fria,

atesta toda sua estupidez.

E agora?!


A Lição de Anatomia do Dr. Tulp - Rembrandt.



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

8 comentários:

  1. Amigo Antonio, bela construção a desse poema, a pintura bem a calhar, assim vão muitos pela vida afora, até dar o "fora" dela de forma trágica!
    Amei ler como sempre, tens inspiração de sobra e aqui serve também de alerta!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos jogam, brincam com a vida (sua e dos outros), agendando ébrios e calamitosos desastres.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  2. A ilusão que ilude a quem procura a felicidade em manifestações ardilosas comprometidas com elementos perniciosos... Triste para a família que passa por tudo isso. Um rescaldo triste na busca de uma alegria mentirosa!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felicidade real, não vem em latas ou garrafas. Mas muita tristeza e desastres a droga do álcool traz demais.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  3. Olá, António!

    Tudo bem? Enfim, depois de muito andar, consegui cá chegar.

    Pois é! A festa acabou e agora se sofrem as consequências. Seu poema retrata, de forma genial, as atitudes desses loucos e loucas, após o carnaval, e muitos e muitas daqueles que escapam ilesos, daqui a nove meses há gente nova na família. Mas o que têm essas pessoas dentro da cabeça/cérebro? Serradura?

    O quadro "Lição de Anatomia" de ... não lembro o nome do pintor, mas sei que o que ele representa. Os marginais e os condenados à morte por "coisas" graves, enfim, sempre serviriam para alguma coisa útil à Humanidade, caso se aplicasse tal "lei".

    Agradeço tua visita e fabuloso comentário.

    Abração e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizem que o vácuo absoluto não existe. Talvez a ciência devesse estudar melhor a cavidade craniana dessa gente, que, além de jogar com a vida de forma tão idiota, normalmente, junto com o álcool, consomem musiquetas das mais ordinárias e coreografias não menos.

      Quanto a imagem. Pare o ponteiro do mouse sobre ela e o nome do pintor aparecerá junto ao título da obra.

      Obrigado a você.

      Um abração e uma magistral semana.

      Excluir
  4. Você sempre me ensinando! Mto obrigada! Agora já sei k se trata de uma aula dada pelo Dr. Tulp e a pintura é de Rembrandt (o nome do pintor eu sabia).

    Há gente k eu não consigo nem classificar e são eles considerados homo sapiens, sapiens!

    Abração, António!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... "Homo" até podem ser, porém, nada "sapiens".

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.