Ditados políticos



Os políticos não merecem nossas lágrimas. Temos que aprender a votar melhor e rir na cara “dos caretas”. Ironia é coisa séria. Sorria!


Antonio Pereira Apon.


Urna eletrônica com interrogações nas teclas.


Votar errado, é humano. Repetir o erro, é prevaricação


Diga-me com quem coligas que te direi quem és.


A eleição (ou reeleição) justifica os meios.


Maracutáia pouca, minha meia primeiro.


Mais vale um factóide na mídia, do que duas verdades voando.


Político não rouba. Pega empréstimo a fundo perdido.


Cofre público, é como coração de mãe. Tem espaço para todos.


Não deixe para superfaturar amanhã, o que pode superfaturar hoje.


De eleição em eleição, o corrupto enche o saco, o bolso, a meia, a cueca, a mala preta...


Nem só de panetone(?) vive o homem.


Na política, a menor distância entre dois pontos, é uma boa propina.


De coligação em coligação, vai crescendo o tempo no horário eleitoral.


Propaganda governamental repetida muitas vezes, passa a parecer verdade.


Na política, os dez mandamentos foram revogados. Senão, ia faltar político.


Dinheiro não trás felicidade. Paga as passagens para o Deputado ir buscar.


Licitação pouca. Minha propina primeiro.


Votar errado é burrice. Reeleger a burrada, é falta de vergonha mesmo.


Em terra de Picareta, quem tem uma "pasta rosa" é rei.


Errar é humano. Sacanear é político.


Quem é apadrinhado, não morre desempregado.


Mais vale uma propina na mão, do que duas voando.


Político que nasce torto, morre torto.


Político ruim não quebra.


Vão-se os escândalos, ficam os escandalizadores.


Um mensaleiro ´só, não faz mensalão.


Só trabalha quem não sabe fazer política.


Quem não tem verba indenizatória, caça com cartão corporativo.



(Postado aqui em 21 de maio de 2009, atualizado em 19 de agosto de 2012).



Leia também:


Ditados políticos. Do pré-mensalão ao pós-petrolão

Acorda eleitor!

Dia da mentira e dos...

Voto nulo não anula eleição. Não dê crédito a spam! Delete!

Eleição é coisa séria

Educação pra que? criar cobra pra me morder?

Erro político

Horário político eleitoral

Isso é político

Máximas (e mínimas) políticass


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Bom dia amigo poeta, pois é, estamos novamente em frente a uma missão quase impossível de poder escolher bons políticos, as coisas nesse sentido não muda nunca, que pena!
    Abraços e é sempre um prazer ler aqui e receber sua visita e comentarios importantes que me ajudam a também melhorar meus conhecimentos!
    Abraços
    Ivone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ivone.

      De fato, o eleitor vive uma absoluta falta de boas opções. Enquanto nas campanhas: “é o roto falando do esfarrapado e o sujo do mal lavado”.

      Obrigado por suas gentis palavras. É um prazer, visitar e ser visitado e saiba que o aprendizado é reciproco.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  2. Boa Tarde, Antonio!

    Fico a pensar, até quando?
    Agora mesmo assistia a propaganda política aqui da minha cidade, pra ver as "novas" e melhores opções, te confesso está difil!
    Porém, não percamos a esperança!
    Tenha um lindo dia!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Jossara. Esperança imorredora. "Não há bem que sempre dure, nem mal que nunca se acabe". Um dia o voto banirá os bandidos e resgatará a cidadania.

      Um abração.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Acróstico junino

Precisa de tinta para escanear?

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Com a palavra, a palavra!

Meio ambiente, ávida vida

Pernas

Ser feliz é simples. Não complique!