O ponto - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

quinta-feira, 19 de julho de 2018

 

                    O ponto              

     

... Arquitetônico, físico, comportamental, sexual, geométrico, filosófico... O ponto de vista, o de encontro, o ponto certo, ponto de interesse, de discórdia, concordância. Tem gente que "dorme no...



Antonio Pereira Apon.
Mão escrevendo.

Pequenino no tamanho, mas nem por isso, pequeno na importância. É o "maestro" da leitura, rege o ritmo, o tempo, a "arte" da pontuação. Vem em trio nas reticências, para dizer que que o que ali termina não acabou. A vírgula faz uma pausa curta. Seguimento ou continuação traz uma pausa maior. Mas, quando não é tanto nem tão pouco, o ponto sobe na vírgula para um meio termo criar. Dois pontos anunciam que aí vem coisa! Já o parágrafo finda um bloco prenunciando outro que vai chegar.


Mas o ponto transcende à escrita: Arquitetônico, físico, comportamental, sexual, geométrico, filosófico... O ponto de vista, o de encontro, o ponto certo, ponto de interesse, de discórdia, concordância. Tem gente que "dorme no ponto", "perde o ponto", procura o "ponto G". Tem comida que passa do ponto. Há o ponto de fusão, de ebulição, corrosão, ponto de ônibus, de taxi, de droga, de prostituição; ponto de encontro, de luz, gás, solda, de água, telefone, TV... Ponto de costura, tricô, sutura. Ponto comercial, "pontos corridos", marcados, perdidos. Ponto cego, ponto a bater, ente geométrico... Na escala Richter eles abalam, na de Glasgow aferem consciência. Pontos que me acordaram de madrugada para escrever. Ponto, ponto, pontos.


Não é que dão crônica esses "pontinhos"? Espero ter conquistado alguns pontos com o(a) Leitor(a). Pondo termo nessa prosa, vem de lá o derradeiro, indispensável ponto final.



Postado aqui em 10 de maio de 2012.



   
 
 

10 comentários:

  1. Antonio, demais, adorei, essa sua prosa foi mesmo inteligente, quem é poeta sabe que cada vez que escreve são os neurônios além da sensibilidade que entram em ação para passar uma boa comunicação!
    Parabéns amigo poeta querido!
    Ivone

    ResponderExcluir
  2. Oi estimado António,

    Quantos pontos você obteve com esses pontos todos!
    Há imensos pontos, mas ponto "G" não existe, cientificamente, provado.
    Em teoria, sim, na realidade, não.
    Mas, "estar no ponto", sim, existe (tenho de tapar a boca da Luz, porque ela está impossível, véspera de sexta, né?)
    E agora me despeço, porque eu não dou ponto sem nó, e essa conversa não tem ponto (ponta) por onde se pegue.

    Adorei seu inteligente texto e meu centésimo comentário, segundo creio.

    Um beijo especial pra você e sua filha.

    ResponderExcluir
  3. Realmente é sábio quem sabe se situar em diversas modalidades de "ponto". E, o ponto final em tudo, é mais sábio ainda! Parabéns pela criatividade "no ponto".
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  4. Gostei. Nunca tinha pensado no ponto. rs

    ResponderExcluir
  5. Adorei sua crônica meu querido amigo, super inteligente o seu tecer com as palavras...
    Beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  6. Ahhh você conquistou milhares de pontos comigo, Antonio, estourou minha escala de pontos. Eu amei, de verdade, que genial! Que inusitado, nunca havia percebido o universo que cabe em um ponto, ou a infinidade de pontos que habitam o universo da nossa língua.

    Olha, vou ter que agradecer estes pontos que te acordaram, desculpe não defender seu sono, mas ficou bom demais.


    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Ei Antônio!
    Muito boa cronica,só você mesmo!
    Menino venho te contar que já fiz a cirurgia no nariz e agora já está tudo bem!
    Muito obrigada pelo apoio sempre!

    Beijão e boa semana!

    ResponderExcluir
  8. Olá estimado Antônio,

    Que é feito de você? Algum problema?
    Sinto sua falta e presença.
    Logo que possa, regresse.
    Feliz Dia das Mães, que aconteceu, ontem em seu país.
    Ainda, esperei, ontem, um texto seu.

    Boa semana.
    Abraços da Luz.

    ResponderExcluir
  9. Excelente ! Nunca pensei que o "ponto" fosse dar uma prosa tão bela! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ponto resume a grandiosidade das pequenas coisas.

      Obrigado.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...