A pedra. Uma prosa da poesia - A arte da vida. Apon HP
Bom estar com você!


Dê um toque. Leia um escrito especialmente sorteado para você. Clique na figura abaixo.
Clique aqui, para ler um texto aleatoriamente selecionado pelo sistema.

A pedra. Uma prosa da poesia

Publicado em segunda-feira, 25 de novembro de 2013



... o distraído a tropeçar, a insanidade do bruto a depredar a vida, a matéria do empreendedor alicerçando objetivos; é o apoio para o descansar do lidador, presta-se a ludicidade infantil, a poética de Drummond, ao destemor de um Davi ante a adversidade, o artista fazendo florescer dela a prima arte, é o uso de cada homem em todos os casos, dando um significado...


Antonio Pereira Apon.


Pedras.


Comumente, o mal ou o bem não está numa coisa por si só, o destino que lhe dá a mão humana, é que faz toda a diferença; como o remédio que pode matar ou o veneno que consegue curar. A pedra, um dos primeiros objetos trabalhados e utilizados pelo homem, experimenta essa dual versatilidade: Construindo ou destruindo, protegendo ou ferindo...O meu poema: A pedra. (Que aparece na internet em formas de plágios) faz uma síntese da relação humana com sua plural singularidade: é o distraído que vive a tropeçar, a insanidade do bruto a depredar a vida, a matéria do empreendedor alicerçando seus objetivos; é o apoio para o descansar do lidador, presta-se a ludicidade das crianças, a poética de Drummond, ao destemor de um pequeno Davi ante a adversidade gigantesca; o artista fazendo florescer dela a prima arte, é o uso de cada homem em todos os casos, dando um significado peculiar a sua pedra:


O distraído, nela tropeçou,

o bruto a usou como projétil,

o empreendedor, usando-a construiu,

o campônio, cansado da lida,

dela fez assento.

Para os meninos foi brinquedo,

Drummond a poetizou,

Davi matou Golias...

Por fim;

o artista concebeu a mais bela escultura.

Em todos os casos,

a diferença não era a pedra.

Mas o homem.


Assim, a inimizade segue erguendo muros, enquanto a amizade constrói pontes. O hábil joalheiro, descobre na bruteza rústica do mineral, a preciosidade da joia. Já o desinteligente beligerante...


A natureza inspirou a sabedoria popular a desmentir a rigidez “absoluta” da pedra num ditado de aparente superficialidade: “Agua mole em pedra dura, tanto bate até que fura”. Não é a pedra que faz o homem, é o homem que “faz” a pedra, faz da pedra, dá-lhe uso, destino... E você? O que faz com a sua pedra?


Ferindo a lei 9.610 (Direitos autorais). Esse meu poema: A pedra. Circulava como de autor desconhecido ou com o nome de plagiadores. Agora aparece como de Chaplin, Renato Russo, Fernando Pessoa, sem citar a autoria... O real autor é Antonio Pereira (Apon). Todos os esclarecimentos em: https://www.aponarte.com.br/2007/08/pedra.html



8 comentários:

  1. Lindo poetar, a pedra realmente tem inúmeras formas de ser utilizada, depende de quem a usar, eu amo a pedra bruta, diamante que com o lapidar fica em brilhos que pode ofuscar, mas essa pedra é só para apreciar, ver a beleza que há na natureza a reinar!
    Lindo seu poetar amigo Antonio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lapidar a pedra ou lapidar com a pedra. Cada um faz a diferença.

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  2. No dia em que o HUMANO for VALORIZADO e, se VALORIZAR, teremos as mais belas esculturas emocionais circulando entre nós! Lindo e filosófico poema! Obrigada pela leitura do mesmo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bonito isso: "esculturas emocionais". Um dia a humanidade aprende.

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  3. Olá meu caro,

    o seu poema é um marco das suas palavras. É a sua pedra! É a sua forma de fazer uso da pedra transformá-la em poema. Belíssimo!

    O plágio? Uma pedra no caminho? Não, uma cabeça de pedra no meio do caminho...
    O mundo é mesmo cheio de pedras!!!

    Grande abrao meu caro, sempre um prazer te ler

    Leila Rodrigues

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uns são caminho, outros pedra; o plágio, descaminho. Nós, de tudo e todos fazemos poesia.
      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  4. Olá Antonio,
    A pedra e suas possibilidades!
    Plágio? Imbecilidade! Incompetência...
    Seja muito feliz!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.





Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Troféu rosa da amizade/Afeto.


Rosa da amizade/Afeto do Poetizando e encantando da Professora Lourdes..



Follow
View My Stats

DMCA.com Protection Status


@INSTAGRAM