Você tem fé? Ou… - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Clique na animação abaixo, para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.


Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

sábado, 11 de março de 2017

 

                    Você tem fé? Ou…              

     

... confiar no melhor. Mas, entender que existe um porque nas adversidades. Aceitar que a morte não é o ponto final. Apenas, o fechamento de um parágrafo. Assimilar que as dores não são castigos. São oportunidades de reflexão e amadurecimento da alma. Não reclamar dos problemas. Resolvê-los. Não superlativar as dificuldades. Exemplificar a confiança em Deus, na bonança e sobretudo em meio aos momentos tempestuosos...


Antonio Pereira Apon.



Fragmento de A Criação de Adão, de Michelangelo Buonarroti.


Ter fé:
É pedir menos e agradecer mais.
Orar, mais sobretudo, vigiar.
Menos falar e mais praticar.
Se permitir instrumento de soluções. Não esperar que essas caiam do céu.
Não esperar que Deus faça aquilo que pode, e deve, ser feito pelos homens.
É confiar no melhor. Mas, entender que existe um porque nas adversidades.
Aceitar que a morte não é o ponto final. Apenas, o fechamento de um parágrafo.
Assimilar que as dores não são castigos. São oportunidades de reflexão e amadurecimento da alma.
Não reclamar dos problemas. Resolvê-los.
Não superlativar as dificuldades.
Exemplificar a confiança em Deus, na bonança e sobretudo em meio aos momentos tempestuosos.
Entender que Deus não é monopólio dessa ou daquela religião.
Compreender, que mais importante do que o que esteja escrito em qualquer livro, dito, sagrado. É a escrita de nossos atos e palavras nas linhas da vida.
Atinar, que mais do que querer conversar com Deus. É fazer reverberar a voz do Altíssimo em nossas interações em favor do bem.
Vivenciar as dificuldades como exercícios para nossas reais virtudes.
É contemplar bem menos e exemplificar muito mais.
Converter inimigos em amigos.
Julgar menos e abraçar mais.
Levantar menos muros e construir mais pontes.
Exercitar a tolerância e o entendimento.
Conversar invés de convencer.
Propor no lugar de impor.
Descartar as verdades absolutas.
Colocar Deus acima de qualquer dogma ou convenção religiosa.
Não pactuar com o fanatismo ou qualquer fundamentalismo.
Não se deixar seduzir pelo mais fácil, nem por atalhos fantasiosos.
Não terceirizar responsabilidades.
Não temer o mal. Afirmar-se no bem.
No lugar da pergunta, fazer-se resposta.
Ter fé é estar em sintonia com o bem maior. Deus.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

9 comentários:

  1. MARAVILHA, Antonio! Um dos seus mais belos posts! Silenciosa e profunda reflexão de vida para a vida de todos nós! Obrigada!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos parar de fantasiar a vida, Deus, a realidade... A fé cega e ignorante só serve aos mercadores da "salvação" e desvirtuam as almas entorpecidas pelas ilusões. Obrigado Célia por seu gentil comentário.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  2. António, meu amigo!

    FANTÁSTICO, SIMPLESMENTE.

    Vou ver se ponho em prática algumas dessas sugestões. MUITO TE AGRADEÇO!

    Abracinho e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos nós precisamos praticar mais e mais uma fé verdadeira, sem manipulações, invencionices e escapismos. Entender Deus como ele é, não como foi formatado pelas religiões.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
    2. António, me diz, por favor, o que significa na tua resposta BRT? Merci!

      Excluir
    3. Significa simplesmente... Nada. Nem eu sei como isso foi parar aí! Rs rs rs... Nem tinha percebido. Desculpe.

      Um abraço.

      Excluir
    4. Não tem importância, Tonico. Desculpa, que nada!

      Abracinho, "minino"!

      Excluir
  3. Olá, António
    Excelente reflexão!
    Nem sempre é fácil manter a fé, há momentos na vida de tal forma dolorosos que perdemos a fé em tudo...
    No entanto, se conseguirmos manter a fé na humanidade em geral... tudo se tornará mais fácil.

    Votos de uma semana muito feliz.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fé sempre! Em Deus, na humanidade, na vida... Mas, sem fantasias nem crendices.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.


Fale conosco:

Para exibir/ocultar nosso formulário de contato Clique aqui.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...