Preconceito (Com mp3) - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

sábado, 9 de setembro de 2017

 

                    Preconceito (Com mp3)              

     

... o império do eu, o autocídio das mudanças, o veneno da estagnação, gaiola dourada do orgulho...

Preconceito (mp3)
Antonio Pereira Apon.


Dedo apontado.

Preconceito é julgar conhecer

o que não se conhece,

temer o novo

por estar cativo

ao que passou sem nos comunicar;

é cristalizar conceitos

que engessam a alma,

entorpecem a razão,

e manietam o coração;

é a visão

de quem não tem visão da vida;

é o império do eu,

o autocídio das mudanças,

o veneno da estagnação,

gaiola dourada do orgulho,

sepulcro da empáfia humana.



(Postado aqui em7 de setembro de 2010)





Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

4 comentários:

  1. Olá, António
    Muitas verdades contêm estes teus versos!
    Se bem analisado, verficamos que o preconceito existe sobretudo em relação àquilo que se desconhece.
    E pode ser altammente pernicioso.
    Na minha opinião uma pessoa preconceituosa revela também uma grande falta de humildade e enorme soberba.

    Gostei da sua postagem.

    Continuação de boa semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Antonio Querido!

    Linda!Ouvindo então...diz tudo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá querido António,

    Todos diferentes, todos iguais.
    Preconceito é próprio de mentes não elucidads.

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir
  4. Eis uma bela resposta ao preconceito:

    HARVARD X STANFORD

    Malcolm Forbes conta que uma senhora,usando um vestido de algodão já desbotado, e seu marido trajando um velho terno feito à mão, desceram do trem em Boston, EUA, e se dirigiram timidamente ao escritório do presidente da Universidade Harvard. Eles vinham de Palo Alto, Califórnia e não haviam marcado entrevista.
    A secretária, num relance, achou que aquelesdois com aparência de caipiras do interior, nada tinham a fazer emHarvard.
    "Queremos falar com o presidente" , disse ohomem em voz baixa.
    "Ele vai estar ocupado o dia todo" , respondeurispidamente a secretária "Está bem, respondeu o homem, nós vamos esperar."


    A secretária os ignorou por horas a fio, esperando que o
    casal finalmente desistisse e fosse embora. Mas eles ficaram ali, e a
    secretária, um tanto frustrada, decidiu incomodar o presidente, embora
    detestasse fazer isso.

    "Se o senhor falar com eles apenas por alguns minutos,
    talvez resolvam ir embora" , disse ela.

    O presidente suspirou com irritação, mas concordou.
    Alguém da sua importância não tinha tempo para gente desse tipo,
    e ele detestava vestidos desbotados e ternos puídos em seu escritório.
    Com o rosto fechado, ele foi até o casal.

    "Tivemos um filho que estudou em Harvard durante um ano dissea mulher. Ele amava Harvard e foi muito feliz aqui, mas, há um ano atrásele morreu num acidente e gostaríamos de erigir um monumento em honra aele em algum lugar do campus".

    "Minha senhora , disse rudemente o presidente , não podemos
    erigir uma estátua para cada pessoa que estudou em Harvard e morreu, seo fizéssemos, este lugar pareceria um cemitério".

    "Oh, não , respondeu rapidamente a senhora. Não queremos erigiruma estátua. Gostaríamos de doar um edifício à Harvard."


    O presidente olhou para o vestido desbotado da mulher e para o
    velho terno do marido, e exclamou:

    "Um edifício! Os senhores têm sequer uma pálida idéia de quanto
    custa um edifício? A Harvard tem mais de sete milhões e meio de dólares emprédios".

    A senhora ficou em silêncio por um momento, e então disse ao
    marido:
    "Se é só isso que custa uma universidade, por que
    não termos a nossa própria"?O marido concordou.

    O casal Leland Stanford levantou-se e saiu, deixando o
    presidente confuso.
    Viajando de volta para Palo Alto, na Califórnia, eles
    fundaram ali a Universidade Stanford, uma das melhores do mundo,
    em homenagem a seu filho,ex-aluno da Harvard.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...