Sobreviventes urbanos - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

 

                    Sobreviventes urbanos              

     

... Mas, se o “azar” vier… Mais um corpo atrapalhando o tráfego, o rabecão tardio enfatizando o trágico. Direitos humanos para o desumano algoz, indefesa, a vítima… Já sem vez, jaz sem voz. Legislação hipócrita...


Antonio Pereira Apon.



Gatilho.


Vamos sobrevivendo,

fingindo,

querendo viver.

Bandidagem liberta,

cidadãos numa semiaberta,

imposta “prisão domiciliar”.

No bolso,

tem que ter “o do ladrão”;

para arriscar a sorte,

tentar fugir da morte

na hora de não reagir.

Mas, se o “azar” vier…

Mais um corpo atrapalhando o tráfego,

o rabecão tardio enfatizando o trágico.

Direitos humanos para o desumano algoz,

indefesa, a vítima…

Já sem vez,

jaz sem voz.

Legislação hipócrita,

demagógicos códigos…

A polícia até prende,

apreende.

Até a lei mandar soltar.

Injusta “justiça”,

que pouco faz e mais complica,

impunidade faz grassar.

O poder ensimesmado,

faz que faz do não fazer;

lega ao povo, descuidado,

ruminar o seu sofrer.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

4 comentários:

  1. Querido amigo, seu belo poema/texto que mostra a triste realidade, nem adianta correr, nem gritar, estamos todos desprotegidos e entregues a própria sorte, eu por mim me apego aos anjos da guarda, meu e dos meus, pois somente com essa crença de que há um anjo a nos proteger é que conseguimos seguir em frente nesse país de "legislação hipócrita", direitos humanos para bandido, enfim... Até quando, não se sabe, vamos indo, já me cansei de até ler jornais, não se fala em outra coisa que não seja essa coisa podre que está aí.
    Enfim... como já disse, vamos indo...
    Abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É cada um por si e Deus por todos, enquanto nossos desgovernantes "exercem seus podres poderes".

      Um abraço.

      Excluir
  2. Oi, Apon, é uma pena, as pessoas passam muito tempo se esquivando, e pouco vivendo, pois o tempo que tem para isso vivem com tensão, em estado de alerta. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoas de bem nessa infame semiaberta "prisão domiciliar", enquanto grassam soltos os bandidos de ofício, sob a proteção dos seus colegas do poder.

      Um abraço.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...