Titanomaquia. O bafafá dos deuses              

em sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019



... Nos arquétipos do mito, podemos presumir os frutos do conflito entre espírito e matéria. Cronos assumindo o arbítrio dos destinos, corporificando a subordinação geral ao tempo. A cíclica ingestão dos próprios filhos, retrata a obsolescência da matéria. Zeus, ao batalhar contra o pai representa o reciclo do existir, dos costumes, a inconstância de conceitos, preconceitos, das verdades absolutas e o fugaz poder que embriaga de perecível ilusão.


Antonio Pereira Apon.


A Queda dos Titãs, pintura de Peter Paul Rubens.


Segundo a mitologia grega, houve uma guerra entre os titãs, liderados por Cronos, contra os deuses do Olimpo, comandados por Zeus , que durou dez anos e definiu o controle universal. A Titanomaquia, da qual, Zeus se fez vencedor, Resgatando seus irmãos e se coligando a outras forças, De acordo com o poema épico, Teogonia, do poeta Hesíodo, cujo título significa: "O nascimento dos deuses" e que conta a origem desses e da ascensão de Zeus ao trono do Olimpo. No mito, Zeus desafia seu pai, Cronos, para assumir o controle do universo. Tarefa nada fácil, derrotar o rei dos titãs, seres tão poderosos quanto os deuses, ainda que, mortais como os humanos.


O quiproquó tem início, quando Urano resolve casar com Gaia, a Terra, gerando os titãs e, temeroso de que um desses seus filhos tentasse roubar seu trono, ele, assim que um filho nascia, o introduzia de volta no útero da mãe. Revoltada, Gaia colocou os filhos contra o pai. Certa vez, enquanto Urano copulava, Cronos escapou e com uma foice, cortou a genitália do pai. O sangue de Urano ao cair na Terra gerou os mares, as montanhas, as florestas e as erínias que personificavam a vingança, Eram elas: Tisífone (Castigo), Megera (Rancor) e Alecto (Inominável); equivalentes na mitologia romana às fúrias. Do esperma de Urano surgiu a deusa Afrodite. Vencida essa peleja, Cronos liberta seus irmãos e casa com Reia. Contudo, antes de cair, Urano profetizou que Cronos também seria destronado por um filho. Daí, Cronos passar a devorar os próprios descendentes, mas, a mãe resolveu poupar o último, Zeus. Reia entregou a Cronos uma pedra enrolada em panos, e este a engoliu pensando ser seu filho. Zeus passa a infância se preparando para seu grande desafio, vencer seu pai e os titãs pelo controle do universo. Já adulto, Zeus sente-se preparado para vingar-se de seu pai. Porém não tendo poder suficiente para derrotar os titãs só. Precisa primeiro, libertar seus irmãos engolidos por Cronos, para juntos lutarem. Assim, disfarçado, Zeus dá a Cronos uma poção que recebeu da deusa Métis, e que o faz vomitar seus cinco irmãos. Mas, ainda precisa de mais força para derrotar os titãs. Gaia alerta que há ainda mais parentes querendo vingança. Os irmãos de Cronos, os cíclopes e os hecatônquiros, cujos poderes amedrontavam o todo poderoso. Zeus desce ao Tártaro e os liberta da prisão imposta pelo irmão deles e seu pai, para lutarem ao seu lado". Gratos pela libertação, os cíclopes ofertam a Zeus o poder dos raios.


Tem início os dez anos da Titanomaquia; os deuses postados no monte Olimpo e os titãs chefiados por Cronos, no monte Ótris.


Na narrativa de Hesíodo: "Parecia, ouvindo e vendo tão grande barulho e luz, que a terra e o céu se confundiam, pois era enorme o tumulto da terra esmagada e do céu a se precipitar sobre ela, tal o barulho da luta dos deuses. Ao mesmo tempo, os ventos, sacudindo-se, erguiam o pó, o trovão, o relâmpago, e o raio ardente, armas do grande Zeus, e levavam o brado e os clamores ao seio dos combatentes; e no incessante fragor da espantosa luta, todos mostravam a força dos seus braços."


No primeiro ataque, do Olimpo, Zeus dispara um raio fulminante, fazendo o planeta estremecer. Estabelece-se um fuzuê total: hecatônquiros arrancando pedras da montanha e alvejando os titãs, os titãs lutando com os demais deuses... Aproximando-se a vitória da turma do Olimpo, os titãs lançam seu derradeiro trunfo, sua última cartada; trazem do tártaro Tifão, uma criatura extremamente forte que desafia Zeus. Após árdua e delongada batalha, com um raio avassalador, o olimpiano põe fim no furdunço, mandando Tifão, Cronos e todos os seus coligados para as profundezas, tornando-se enfim, o rei do universo.


Poupados por não terem tomado partido dos demais na conflagração, Os titãs Céos, Oceano, Tétis, Mnemosine, Prometeu, Têmis e outros como Styx, que se juntaram a Zeus, foram incorporados ao panteão grego. Oceano reinou sobre rios que circundavam o mundo; Prometeu e seu irmão Epimeteu, foram incumbidos da tarefa de criar os homens e os outros animais. Assumindo a empreitada, Epimeteu atribuiu a cada animal os dons variados de coragem, força, rapidez, sagacidade... Mas, quando chegou a vez do homem que modelara do barro, já tinha distribuído todos os atributos com os demais, assim, recorreu a Prometeu, que roubou o fogo dos deuses para dar aos homens, garantindo a supremacia humana sobre os viventes da Terra. Sendo o fogo, até então, exclusividade dos deuses, Prometeu foi castigado, por ordem de Zeus, acorrentado por Hefesto no Cáucaso, sendo libertado por Hércules em uma de suas aventuras. Métis tornou-se a primeira esposa de Zeus, sendo engolida por ele devido a uma profecia de Gaia, adivinhando que seu filho com Métis, que nasceria depois de Atena, também o destronaria. Assim, a titânide, foi devorada ainda grávida da primogênita.


Nos arquétipos do mito, podemos presumir os frutos do conflito entre espírito e matéria. Cronos assumindo o arbítrio dos destinos, corporificando a subordinação geral ao tempo. A cíclica ingestão dos próprios filhos, retrata a obsolescência da matéria. Zeus, ao batalhar contra o pai representa o reciclo do existir, dos costumes, a inconstância de conceitos, preconceitos, das verdades absolutas e o fugaz poder que embriaga de perecível ilusão.


Fonte de pesquisa: Wikipedia.




Queda dos Titãs, pintura de Cornelis van Haarlem.


9 comentários:

  1. Sinto-me um pouco "analfabeta" para comentar este post como merece.


    Beijo
    Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tonico!

    Que textinho, que se lê tão rapidamente -rs!

    Pobrezinho -rs de Urano! Cronos lhe decepou o pénis, mas com razão e até com uma certa lógica.

    A Mitologia representa bem aquilo que é o conflito humano, k ainda é atual, infelizmente. Penso que é tudo matéria e nada espiritual.

    Beijos e bom week-end.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os mitos retratam os eternos conflitos humanos, os cíclicos combates da humanidade consigo e contra si mesma, o império da matéria sobre o espírito, furtando o ser da real realidade, perdido nos braços sedutores da ilusão.

      https://www.youtube.com/watch?v=6mkyweLbExI

      Mulher Nova, Bonita e Carinhosa
      Zé Ramalho

      Numa luta de gregos e troianos
      Por Helena, a mulher de Menelau
      Conta a história de um cavalo de pau
      Terminava uma guerra de dez anos
      Menelau, o maior dos espartanos
      Venceu Páris, o grande sedutor
      Humilhando a família de Heitor
      Em defesa da honra caprichosa
      Mulher nova, bonita e carinhosa
      Faz o homem gemer sem sentir dor
      Alexandre figura desumana
      Fundador da famosa Alexandria
      Conquistava na Grécia e destruía
      Quase toda a população Tebana
      A beleza atrativa de Roxana
      Dominava o maior conquistador
      E depois de vencê-la, o vencedor
      Entregou-se à pagã mais que formosa
      Mulher nova bonita e carinhosa
      Faz um homem gemer sem sentir dor
      A mulher tem na face dois brilhantes
      Condutores fiéis do seu destino
      Quem não ama o sorriso feminino
      Desconhece a poesia de Cervantes
      A bravura dos grandes navegantes
      Enfrentando a procela em seu furor
      Se não fosse a mulher mimosa flor
      A história seria mentirosa
      Mulher nova, bonita e carinhosa
      Faz o homem gemer sem sentir dor
      Virgulino Ferreira, o Lampião
      Bandoleiro das selvas nordestinas
      Sem temer a perigo nem ruínas
      Foi o rei do cangaço no sertão
      Mas um dia sentiu no coração
      O feitiço atrativo do amor
      A mulata da terra do condor
      Dominava uma fera perigosa
      Mulher nova, bonita e carinhosa
      Faz o homem gemer sem sentir dor


      E por falar em week-end:

      https://www.youtube.com/watch?v=syiZPkVFXtI

      Weekend
      Blitz

      Alô, alô, ativo ouvinte!
      Você que está ligado na minha, na sua
      Na nossa Rádio-atividade
      E pra você que vai viajar, o tempo é bom
      Sujeito a amores impossíveis no final do período
      Dia após dia, durante semanas
      Fiquei esperando pra te ver
      Há mais de um mês que eu espero uma chance
      De me encontrar com você
      Seu cabelo eletrizado (chak! chak! chak! chak!)
      Sua boca de mel (mel!)
      Não sei se veio da terra
      Ou se desceu do céu
      Quero passar um weekend com você (eu também)
      Um weekend com você
      Eu só quero passar um weekend com você
      Estrada de terra, estrada de asfalto, estrada de luz
      Um weekend com você
      Estrada de terra, estrada de asfalto, estrada de luz
      Primeiro passou um cavalo
      Depois eu vi dois bois
      Um ônibus acendeu o farol
      Eu liguei o rádio, ela abriu a blusa, ela me deu um beijo
      Parei pra esticar (Amor, olha ali uma lanchonete!)
      Xixi, café, chiclete
      Xixi, café, chiclete
      Quero passar um weekend com você (eu também)
      Um weekend com você
      Eu só quero passar um weekend com você
      Estrada de terra, estrada de asfalto, estrada de luz
      Um weekend com você
      Estrada de terra, estrada de asfalto, estrada de luz
      Patrulha rodoviária (a quinhentos metros)
      Patrulha rodoviária (a duzentos metros)
      Eu desliguei o rádio, ela abriu o vidro, tudo escureceu
      O guarda mandou parar (que chato!)
      Blitz, documentos!
      Ué, só temos instrumentos
      Aí rapaz o que cê faz?
      Tá vindo de onde, tá indo pra onde?
      O que você tem nessa bolsa?
      Qual teu signo, que time torce?
      Tudo bem pode ir, viajandão hein!
      (Quero passar)
      Branco esperto
      Um weekend com você
      Quero passar
      Um weekend com você
      Estrada de terra estrada de asfalto estrada de luz
      Quero passar weekend com você
      (eu também)


      Um abraço. Bom resto de domingo e uma boa semana.

      Excluir
    2. Zé Ramalho tem uma voz, uma interpretação mto meiga e a letra está muito completa.

      Cuidado, Tonico, com mulher bonita -rsrs! Você vai gemer, não de dor, mas de prazer -rs. Que venha logo, pensa Tonico -rs!

      Blitz um cantor, um grupo todo modernaço e até um dos elementos, uma moça está grávida e toca um instrumento, k não sei se é violão ou guitarra.

      Pois, é só um fim de semana. Que mal faz -rs? Depois de ela ter aberto a blusa, tudo pode acontecer, né -rs?

      Beijos e boa semana.

      Excluir
  3. Funny. I had heard this story about Zeus before. But I never knew what it was called. Now I clearly understand the motives that overtook Hesiod, her narrative. Very exciting.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.






Fale conosco:




Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!



Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...


Topo