Páscoa. Jesus, coelhinho e ovos de chocolate - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

Você já conhece nosso App? Clique aqui para saber mais. Ou na animação a seguir, para baixar e instalar em seu Android..


Tudo cabe no seu App. Bom dia! Clique para baixar e instalar.

sexta-feira, 30 de março de 2018

 

                    Páscoa. Jesus, coelhinho e ovos de chocolate              

     

... Feliz páscoa! Pode até ter coelhinho e ovos. Só não pode faltar Jesus nos corações...


Antonio Pereira Apon.


Cristo Redentor.


O que é páscoa? Para muita gente, a resposta pode não ser tão fácil e imediata. Algumas datas comemorativas, com o passar do tempo, vão se perdendo do seu sentido real e sucumbindo aos ditames comerciais. Assim como no natal, aonde o nascimento de Jesus vai cedendo espaço para o mito do Papai Noel. Na páscoa, o tal coelhinho (já em baixa) e os ovos de chocolate, vão assumindo indevido protagonismo.


Originalmente, a páscoa comemorava a libertação do povo hebreu do cativeiro no Egito. Com o advento do Cristo, grande parte da humanidade, passa a celebrar a páscoa como a ressurreição de Jesus. Derrotada a morte, no 3º dia após a crucificação, ele ressurge dos mortos, legando à humanidade a imortalidade. Coelhinhos e ovos, vão surgir séculos mais tarde, como símbolos da renovação da vida. No princípio, ovos propriamente ditos, eram decorados e presenteados, os de chocolate são mais recentes e "simbolizam" grande lucro para a indústria, o comércio e os produtores artesanais. Andaram inventando tal "colomba pascal". Essa, como algumas leis no Brasil. Não pegou!


Mas, a distorção pascal já começa na sexta-feira dita santa ou da paixão. Nesse dia, os "devotos" de "Nossa Senhora da birita" Enchem a cara, "bebemoram" e com outros tantos se empanturram de comida. Mas, comemorar ou "bebemorar" o que mesmo? O assassinato de alguém que dizem reverenciar? Tornaram-se partidários da trairagem de Pilatos e do povo manobrado pelos fundamentalistas de então? Ou é apenas mais um feriadão para caírem na gandaia?


No sábado de aleluia, ignorando o: "Pai, Perdoai-os! Eles não sabem o que fazem". Dão-se a uma espécie de catarse, descendo o sarrafo Em Judas queimando bonecos caracterizados de personas não gratas da política, do esporte, vilões de novela...


Por fim, no domingo, o sentido real da páscoa, é esquecido sob laços, embalagens plásticas, e papel alumínio. Resquícios das tantas calorias ingeridas...


Feliz páscoa! Pode até ter coelhinho e ovos. Só não pode faltar Jesus nos corações e mentes, inspirando pessoas melhores na construção de um mundo melhor.



(Postado aqui em 02 de abril de 2012).



   
 
 

14 comentários:

  1. Antonio! Seu sensacional humor ácido em sua crônica... ressuscita a "indiferença" humana em todos os sentidos! Religiosamente, valores anestesiados pela indústria do consumir e do ter, vale mais que muitos "Jesus crucificados"que será reverenciado nas "biritas, viagens e doce far niente"...
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  2. Olá querido e lúcido António,

    As "coisas" que esse Brasil tem!
    Então os foliões e comilões de Nossa Senhora da Birita", aproveitam para um Carnaval II. NOSSA!
    Para nós, eu, Católica, 6ª feira Santa é dia de tristeza, reflexão e não comemos qualquer tipo de carne ou derivados.
    Até pode nada disso constar na Bíblia, mas quando morre alguém, e eu tenha que ir ao velório, eu não consigo comer carne, porque o corpo do defunto, também é de carne. Entende, António?

    Ovos, e ainda actualmente e nos países do Leste Europeu, eles pintam, decoram os ovos, que a doce galinha nos dá. Minha emprega, que é Moldava, me dá, sempre meia dúzia de ovo de galinha pintado, e podemor comer a tinta da pintura, por ser uma tinta especial, própria para comer.

    Amêndoas, não sei de onde vem essa tradição. Em Portugal, todo o mundo oferece pacotinho de amêndoa.
    Coelhinho, também não sei porquê, mas se compra bastante, aqui.

    Se esquece o verdadeiro sentido da Páscoa, que é a ressurreição de Jesus.

    Boa semana.
    Abraços de luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luz.

      Aqui tem gente, para quem tudo e qualquer coisa é motivo para consumir álcool: Morte, nascimento, alegria, tristeza... São uns doentes, dependentes etílicos. Aqui também a tradição é não comer carne. Em compensação, em peixes e frutos do mar, fartam-se como glutões. A sexta da paixão parece um repasto de celebração. A páscoa nada mais é que um dia para a troca de ovos de chocolate. Jesus? Uma lembrança perdida no inconsciente coletivo. As datas comemorativas vão se esvaziando em seu sentido e razão de ser. Retrato de um povo alienado pela deseducação.

      Um abração.

      Excluir
  3. Querido amigo!
    Ótimo texto! Concordo contigo.
    É triste ver, como a essência do Ser vai se pedendo
    para o ter... e acaba se tornando normal.
    Abraços! Uma semana abençoada pra ti.

    ResponderExcluir
  4. Querido Antonio,

    Um excelente texto e uma chamada a espiritualidade e ao significado real da data que é renovação. Mas acredito que poucos ( os da minha relação pessoal e geração) agem de forma contrária porque mantém viva a partilha da esperança, da fraternidade e da luz no seio familiar.

    Sou de um tempo de regras severas impostas nesta época que mudaram felizmente. Mas o essencial fica e se mantém: a ressurreição, a capacidade de mudar e se libertar na renovação.

    Beijos com carinho e Feliz Páscoa a você e toda família.

    ResponderExcluir
  5. Para quem a alma nunca descansa, tudo é motivo para se cansar!
    E aí... Diversão, espiritualidade, reflexão e oração tomam outro rumo.

    Grande abraço

    Leila

    Me desculpe, cometi um erro no primeiro comentário. Boa Páscoa meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Para quem a alma nunca descansa, tudo é motivo para se cansar!". Dizer o que mais? É isso mesmo.

      Um abração e boa páscoa.

      Excluir
  6. Que nunca esquezamos o valor destes días de semana santa. Que a luz ilumine as nosas vidas e que sempre levemos a jesús no corazón.Que disfrutes estes días na compañía dos teus seres queridos.
    bicos.

    ResponderExcluir
  7. Menino, que ótima reflexão. Nossa senhora da birita deve ser a santa mais devotada no Brasil. Triste realidade a nossa, e as crianças crescem sem saber o real sentido das coisas...

    Um abraço, Antonio.

    ResponderExcluir
  8. Oi Antonio...
    Ótima reflexão...Aqui no Japão...o budismo impera...a maioria dos catolicos nem se lembram dessa data e quando lembra...só lembra dos ovos de páscoa..
    Tenha uma feliz Páscoa...
    Que ele te traga muita saúde, amor,
    felicidade, compreensão, carinho...
    Que você seja abençoado,
    por Aquele que nos deu Sua vida...
    É o que te desejo sinceramente
    porque amigo como você a gente não pode esquecer...

    Beijos!
    San.....

    ResponderExcluir
  9. Amigo, embora não tenha sido oficialmente legalizado, o dia 20 de março, desde 2004 que comemora-se como sendo o dia do Blogueiro ou da blogueira.
    Como gosto de comemorar dadas em especial aquelas que acho bem merecidas, hoje, vim aqui parabenizar você por ser esse profissional da blogsfera competente, criativo e que com muita responsabilidade mantem o seu blog.
    Parabéns por ser esse blogueiro maravilhoso que nos encanta com suas postagens.
    Abraços da amiga Lourdes.

    Tem postagem e tem selinhos comemorativos nos meus blogs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blogar com responsabilidade, compromisso e arte, tornar a blogosfera um espaço formativo, informativo, construtivo e relevante. Esse o papel de cada blogueiro sério e consciente de que existe vida inteligente na internet.

      Obrigado e parabéns. Acredito que estamos contribuindo para uma blogosfera melhor.

      Um abraço.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...