Esquina (Com mp3)



...a magia das estrelas... Todo brilho não tem brilho sem o brilho do seu olhar... Resta a lembrança, a saudade, que por pirraça faz-se parceira da solidão...


Entardecer. Luminária apagada.


Dobrando uma esquina do tempo

ela se foi:

como sonho fugaz,

como sol que adormece

sob o mar,

mar que apaga suas pegadas;

o artifício das luzes

da cidade,

o lume dos faróis,

a ternura do luar ,

a magia das estrelas...

todo brilho não tem brilho

sem o brilho do seu olhar.

... resta a lembrança,

a saudade, que por pirraça

faz-se parceira da solidão.

A memória

embriagada em seu perfume

embebeda de vazio o coração.

Contemplo o féretro das horas

que frígidas, tardam a passar

eternizando o momento

em que

dobrando uma esquina do tempo

ela simplesmente se foi.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

Comentários

  1. Olá meu caro,

    vim ler suas belas falas e deixar o meu abraço.
    Que tenha sido eterno enquanto ela esteve ao lado dele...
    Abs

    Leila

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Precisa de tinta para escanear?

Felicidade e as estações da vida

Tempo e amor