O medo



... Se o amor temesse o ódio? ... Se a vida temesse a morte? ... Se a sorte temesse o azar? ... Se o riso temesse a lágrima? ... Se a coragem temesse o medo? ...


Antonio Pereira Apon.


Raio de luz na caverna escura.


O único medo saudável,
é o medo do medo
pois ele nos dá coragem.
Quem vive com medo de sofrer,
sofre por medo de viver.
Viver é correr riscos...
Cautela é preciso,
medo jamais:
o medo paralisa,
a cautela escuda;
o medo é cadeia,
a cautela armadura.
Sejamos como o sol
que sem temer romper as trevas
recria um novo dia,
como a semente
que sem temer a cova escura
floresce e frutifica,
como a chuva
que não teme se precipitar do céu
para fertilizar a terra.
Medo? ...
Se o amor temesse o ódio? ...
Se a vida temesse a morte? ...
Se a sorte temesse o azar? ...
Se o riso temesse a lágrima? ...
Se a coragem temesse o medo? ...
Não tema!
Viver vale a pena.



Postado aqui em 26 de dezembro de 2010.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

Aprendizado. Reflexões de aniversário

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Precisa de tinta para escanear?

Tempo sem pressa, sem preço

Meu partido é o Brasil. E o seu?