A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Clicando na imagem, você lê uma postagem sorteada pelo sistema.



Pensata. Apon HP - Pense nisso...>

Nossos escritos mais recentes:



domingo, 10 de setembro de 2017

Receita da vida, para hoje





... Vida tem que ser preparada sem pressa e com apreço. Afinal, não tem preço, degustar um bom prato de viver...


Antonio Pereira Apon.


Mesa farta.


A vida é um prato preparado e servido diariamente, não dá para aprontar de véspera, produzir em quantidade para dias, semanas, meses… Conservar a vácuo, pasteurizar, refrigerar, congelar… Também não se pode comprar, encomendar… Há até quem arrisque terceirizar, mas, a vida nunca sai a contento. Se não preparada na hora e por seu dono. Não existe uma receita pronta, padrão, geral que sirva a todos os paladares, atenda a toda e qualquer necessidade. Cada um é o “chef” na cozinha do seu próprio existir.


A vida costuma ser uma receita simples, que muitos teimam em complicar. Por vezes, se apresenta um tanto complicada, contudo, nada que não se possa simplificar. Vida crua é dura, difícil mesmo de engolir; frita, satura e não costuma fazer bem. Tem que ser bem cozida, mal passada, nem convêm! Vez por outra, pede assar em forno alto Porém, passada a quentura, fica um sabor delicioso de superação. Vida tem que ser preparada sem pressa e com apreço. Afinal, não tem preço, degustar um bom prato de viver.


Nem sempre dispomos de todos os ingredientes necessários, desejados para aquele prato caprichado: falta isso, tem pouco daquilo… Mas, a fome da vida não espera pelo prato ideal, não escolhe, devora o possível que houver; caro, barato, gratuito… A receita do dia, o menu do momento, o cardápio da hora; o requintado, o trivial, PF, tira-gosto, lanche…


Esmere-se, aplique o seu melhor para fazer o máximo com o material que dispuser. Lave bem, limpe tudo para evitar as desagradáveis contaminações do orgulho, inveja, vaidade, preconceito, intolerância, vícios e outras coisitas do tipo, acostumadas a deixar um gosto demasiado acre. Não desdenhe de especiarias como a perseverança, a determinação, a esperança e a fé consciente. Tempere sua iguaria com sonhos sem fantasias nem quimeras, resignação proativa e com alegria na medida certa, felicidade de verdade, não costuma ser exagerada ou carnavalesca, espalhafatosa nem estereotipada. Humildade, sabedoria e bom senso são sempre bem-vindos. Discernimento e paciência, costumam produzir verdadeiras preciosidades. Abuse de arte genuína, bom gosto, ética. E um tanto de estética nunca faz mal.


Cuidado com alguns elementos, que podem, literalmente, azedar a sua vida:


Religião de qualidade e na devida medida, pode ser salutar. Contudo, uma pitada além da conta, produz severos efeitos adversos: alucinações fanáticas, alienação, estupidez, gases infernais… Use com moderação.


A política mal escolhida e mal aplicada, costumeiramente desgraça a vida por longos anos. Na hora de selecionar, esqueça a ideologia, os rótulos partidários; são falsos e enganadores, formatados deliberadamente para produzir desenganos. Tente perceber a essência da coisa e, se não houver algo de melhor para escolher, fique com o menos pior. Infelizmente, essa porcaria é um mal necessário e indispensável.


Já os modismos, o “politicamente correto” e outros eufemismos, costumam produzir um sabor artificial e enjoativo, falseando o legítimo gosto da vida.


Pois é… Vamos produzindo nossa porção diária de vida, nosso prato do viver de cada dia, todo dia, dia a dia.


E você! O que está preparando para hoje? O que vai servir? Compartilhe conosco!




Banquete na casa de Levi, pintura de Paolo Veronese.


Você também pode gostar de ler: Receita para bem viver.



Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Compartilhe:

14 comentários:

  1. Meu querido, (bom, isso está começando mal -rs)!

    Estou vestida de vermelho, maquilhada, sem exageros, sapatos elegantes, mas de salto médio, cabelos apanhados com um laço branco de esperança.
    No salão, tudo preparado, incluindo as flores, as hortênsias da verdade e da sinceridade, que estão prontinhas pra serem usadas e apreciadas.

    Estive preparando, após o almoço, alguns pratos, simples, básicos, mas com muito coração, que pretendo que meus amigos saboreiem. Nada de muitos luxos, nem complicações, apenas tudo servido na hora, como manda a "lei" e os bons costumes.

    Faço da minha vida uma miscelânea de pratos simples, sempre simples, mas saborosos e que têm sempre em vista a minha felicidade e a dos outros, mas, por vezes, deixo escorregar, abuso ou restingo, os ingredientes e a "coisa" não dá lá muito certa. Tento de novo, e mais uma vez, aliás, quantas vezes forem precisas até que o cozinhado já cheire no quintal do vizinho. É assim, que a vida tem sentido.

    Tonico teu texto está uma iguaria de primeira, que amei ler e degustar. Posso me servir mais uma vez? Sabes que sou apreciadora daquilo que confecionas, embora, por vezes, eu coloque muito açúcar nos doces. É "defeito" mesmo meu, é genético, como já sabes, mas o que importa, é a súmula de todos os cozinhados, que preparamos. Que ela seja positiva e a bem de nós e do nosso semelhante.

    Não deixei esfriar, como vês, daí vim provar logo tuas "especialidades".

    Beijinho e boa semana, de menu variado e são.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei da ambientação criativa do preparo e circunstância do seu banquete. O cheiro atravessou o oceano da imaginação e veio ter cá, além-mar.

      Pode se servir à vontade, leia sem moderação. Não tem contraindicações, não engorda, é antioxidante, diet e se duvidar, é até detox. Rs rs rs...

      Um abraço. Uma semana farta e saborosa.

      Excluir
  2. Ah, gostou, você gostou!? Eu sou uma "menina" que sei agradar e caprichar, como vocês ai falam, e tanto assim que você ficou enredado no ambiente/"teia", que eu criei com as palavras. Tão simples, afinal! O paladar, o olfato, o tato, enfim, todos os sentidos mudarem, rápida e mentalmente de continente, o da tua imaginação, logicamente.

    Sirvo-me à vontade nas palavras, no lirismo, mas olha que se fosse realidade, teria que ser você a quase me pegar na minha mão e me incitar a provar desse banquete. Sou tímida, ao vivo e a cores.

    Então, e o vídeo pra esse lauto banquete, que é a vida? Olha me estou lembrando de uma canção bem antiga, em língua espanhola, que se chama "Gracias a la vida". Conheces? Estive vendo alguns vídeos e gostei do de Joan Baez nessa canção. Tem uma animada plateia, em França, num festival e se vê ela interpretando a canção. Ora, decide!

    Beijinho e abracinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato. Um bom tema musical para esse meu escrito. "Gracias a la vida", ei-lo aqui:

      https://www.youtube.com/watch?v=DFZxBvUMlG0

      Já conhecia sim. E nessa versão voz e violão, é ainda mais tocante:

      https://www.youtube.com/watch?v=hhLm85lRPuw

      Um abraço e muitas graças à vida!

      Excluir
    2. Tonico, meu querido!

      Muito obrigada por teres gostado e aceite a minha sugestão.

      Gosto muito de Baez, da sua voz e da alegria, que se viveu nesse concerto.

      Não conhecia Mercedes Sosa, que tem uma voz guapíssima e com o violão, até parece uma morna de Cabo Verde.

      Em Portugal, adoramos guitarra e vocês aí, violão. Acho que ambos os instrumentos têm seus encantos.

      Assim, teu blog tem muito mais encanto e interesse. Eu vou passando por cá, sempre, e vou te dando umas dicas, quando necessário, porque duas vontades valem mais que uma.

      Beijinho e linda semana, garoto!

      Excluir
    3. foi uma cantora argentina, a autora de "Gracias a la vida".

      Ela e Baez juntas:

      https://www.youtube.com/watch?v=rMuTXcf3-6A

      A música que eu mais gosto de ouvir ela cantar é essa:

      https://www.youtube.com/watch?v=s88t6ggr8IY

      Isso aqui então, é show:

      https://www.youtube.com/watch?v=krEMw8E5ZAg

      Sou muito grato por tuas dicas. Um par de olhos amigos são de preciosa ajuda.

      Um abracito, tica.

      Excluir
    4. Desconhecia, completamente, a cantora Mercedes Sosa, que tem uma voz límpida, forte e até emblemática, tal como a autoria de "Gracias a la vida". Adorei o duo e te digo que nesse vídeo, Baez, nem parece Baez. Me entendes?

      Quanto ao vídeo seguinte, de que gostei imenso, pela voz poderosa de Mercedes e pelo significado da letra, tenho que te dizer, que agora sou eu quem te entende, perfeitamente, mas meu querido os 17 anos não voltam mais. O amor, os gestos de carinho se tornam rotineiros, embora exista um afeto com sustentabilidade, mas a vida é composta de mudança, como sabes, porque o tempo não para.

      O 3º vídeo é mesmo um espetáculo: olha que cinco, é caso para dizer. Mercedes Sosa, Milton Nascimento, Chico Buarque, Caetano e Gal, um quinteto de pasmar.

      A temática da canção, Tonico, vem na sequência, acho eu, do anterior vídeo. É. O amor é como o muro na hera e deveria continuar sendo sempre assim até que fôssemos vivos. Gosto de paixões profundas, fundas e não interessa o tempo que durem, porque enquanto estamos apaixonados a vida é tão bela, leve e intensa.

      Nada de agradecimentos, querido. Meus olhos estarão sempre atentos e prestáveis.

      Excluir
    5. A vida, o sentir, o pensar... Tudo é o que fazemos ser, buscando aproveitar a breve eternidade de cada instante.

      Resumindo uma receita de vida:

      https://www.youtube.com/watch?v=4d8Xl3oDAls

      Um abraço temperado de vida com tudo de bom.

      Excluir
  3. Oi, Apon, como vai? Curioso ponto de vista, imaginar cada dia na vida como um prato a ser cuidadosamente preparado e saboreado... como na culinária os temperos precisam ser bem balanceados para que os exageros não causem "indigestão", rsrsrs! Adorei seu texto, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o que não faltam, são ingredientes potencialmente indigestos. Cuidado...

      http://m.aponarte.com.br/gifs/talheres.gif

      Um abraço e uma deliciosa semana.

      Excluir
    2. Eu sei que estou fora de meu lugar, as minhas desculpas, mas que ingredientes são esses aqui, na imagem acima? Ah, me parece uma colher de pau, que serve pra bater no bumbum dos meninos, mesmo nos mais crescidinhos, quando cometem asneiras. Se porte bem, tá?
      Ah, e a vassourinha também dá pra enxotar, qdo eles são chatos mesmo (rsrsrs).

      Abraços com cuidado, não vá o feitiço se virar contra o feiticeiro.

      Excluir
    3. O nome dessa animação é "talheres", a intenção do autor creio que fosse mostrar uma colher e um garfo. Mas, parece que não ficou bem assim... Rs rs rs...

      Um abraço.

      Excluir
  4. Sim, muito bem escrito seu texto sobre um bom prato feito todos os dias com amor e bons ingredientes, a simplicidade é sempre bem vinda, o paladar se refina com o passar da vida!
    Tem até quem diz que, "somos o que comemos", enfim, viver é mesmo uma proeza diária, ainda bem, pois gosto de sempre pensar que cada dia é um dia e tudo muda sempre!
    De volta depois de alguns dias de boa folga olhando as belezas da natureza e, apreciando bons pratos,rsrs!
    Abraços amigo Antonio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vida é o prato que fazemos a cada dia, ele reflete aquilo que somos, fomos e seremos. Aplicar o nosso melhor na receita diária do viver, demonstra bom senso e sabedoria. Comer mal, viver mal, não pode fazer bem.

      Um abraço e dias temperados de coisas boas.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.