Alegria e felicidade. Qual a diferença? - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

Você já conhece nosso App? Clique aqui para saber mais. Ou na animação a seguir, para baixar e instalar em seu Android..


Tudo cabe no seu App. Bom dia! Clique para baixar e instalar.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

 

                    Alegria e felicidade. Qual a diferença?              

     

... Pessoas felizes, são como frascos transbordantes de um invulgar perfume. Pessoas meramente alegres, não passam de repositórios de uma fragrância altamente volátil...


Antonio Pereira Apon.


Frascos de perfume.


Fazendo uma analogia com um precioso perfume, podemos dizer que a alegria é o frasco, felicidade é a essência nele contida. Pessoas que vivem de aparências, experimentam muitas alegrias, contentamentos que vem e vão ao sabor das circunstâncias. Tais criaturas, são como um belo e sofisticado frasco vazio. Conservam apenas um resíduo de felicidade.


Um criminoso sente alegria no êxito do seu delito, um alcoólatra exulta em beber, um viciado em outras drogas ilude-se em saciar o vício. O violento compraz-se em ferir, um consumidor compulsivo busca contentamento em comprar, o egocêntrico... O egoísta... O tirano... Essas "alegrias" representam felicidade? Tais indivíduos são como vidros ocos e prestes a estilhaçar.


A felicidade independe de fatores externos e muitas vezes apesar deles, ela contrapõe a acidez dos acontecimentos. Pessoas felizes, são como frascos transbordantes de um invulgar perfume que exala, minimizando odores adversos. Pessoas meramente alegres, não passam de repositórios de uma fragrância altamente volátil que facilmente dissipa-se, cedendo aos cheiros comuns das dificuldades.


A alegria muda com os humores, a felicidade guarda uma persistente constância. A primeira, costuma sucumbir às menores contrariedades, a segunda, combate as mais agudas provações. As alegrias são companheiras de momentos, a felicidade é parceira de todas as horas. Gente feliz passa por tristezas, as outras, vivem-nas constantemente; quem é feliz, persegue soluções, os demais, cultivam lamentações.



Aproveite as alegrias, mas busque a felicidade.

(Postado aqui em julho de 2007).



   
 
 

15 comentários:

  1. Excelente comparação. De fato, a felicidade é conquista, vem de dentro para fora. Enquanto q a alegria está ligada a fatos externos ao ser. Cabe a nós buscarmos a felicidade. Muita paz!

    ResponderExcluir
  2. olá.
    vim agradecer a visita..
    conhecer por aqui e já te sigo..
    abraços..

    ResponderExcluir
  3. Olá Denise!

    A felicidade é uma edificação interior, a alegria pode ser mero reflexo.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  4. Olá querido amigo !!

    Sempre que venho lhe visitar é uma surpresa maravilhosa, adorei esta postagem !!
    A comparação que fez entre as alegrias efêmeras e a felicidade duradoura é muito verdadeira !
    Precisamos sabem bem esta diferença, pois de outra forma corremos o risco de passar a vida na superficialidade, valorizando falsas felicidades, aquelas alegrais momentâneas e que nem sempre vem de uma boa conduta, ao invés de saborear a verdadeira felicidade que é o que realmente nos dá forças e nos faz crescer interiormente, além de contagiar todos a nossa volta com esta fragrância !
    Linda sua colocação final sobre apreciar as alegrias mas focar na felicidade, adorei !

    Um enorme abraço e bom restinho de semana !!

    ResponderExcluir
  5. Olá estimado António,

    Já perdi meu lugar, eu sei, mas que posso eu fazer? Não interessa, o importante é estar. Cá estou eu, de novo, com felicidade na alma, no olhar e nas mãos, para lhe entregar.
    Prefiro dar a receber. É meu lema de vida. Por isso, tenho tanto.
    Há aqueles, que só dão um biscoito, se já tiverem recebido, antecipadamente, outro.
    Belíssima explicação faz o texto, que postou.
    Hoje, eu consigo reunir as duas entidades:alegria e felicidade.

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir
  6. Olá Samanta!

    Muita gente não entende o sentido real da felicidade. Passa a vida perseguindo bagatelas de ilusão, alegrias fugazes que evaporam ao toque da desilusão.

    Um abração querida amiga.

    ResponderExcluir
  7. Meu querido amigo, que lucidez em suas palavras... concordo com cada uma delas...fico muitas vezes impressionada como as pessoas não se dão conta desta tênue, porem inconfundível linha que separa a alegria efêmera,que passa no soprar de uma contrariedade, da felicidade verdadeira, cultivada constantemente no coração, em nosso interior, que não sucumbe, que nos ajuda a superar e crescer.
    Você esta certo, temos que apreciar as alegrias, mas temos que cultivar nosso jardim interior da felicidade de forma ainda mais especial.
    Beijos...
    Valéria

    ResponderExcluir
  8. Bom dia, Antônio. Mais uma vez um texto reflexivo e maravilhoso. Não tem como não concordar com tudo que eu li.
    De fato, as pessoas alegres, vivem circunstâncias, e as felizes, da alma brotam sentimentos fortes, que mesmo em meio aos problemas, não se deixam derrotar.
    Eu não preciso nem escrever mais nada, pois o que eu escrever será apenas redundância.
    Um beijo grande, e parabéns!
    Fique com Deus, e tenha um dia lindo.

    OBS:Descobri que somos do mesmo signo.Você nasceu em maio também?

    ResponderExcluir
  9. Olá queridíssima amiga Luz!

    Não perdeste nada. A amizade e o carinho são atemporais e enchem de alegria, quem traz na alma a felicidade de ter amigos além do oceano e das fronteiras. Esses dias pareceram mais que dias.

    Um mega abração.

    ResponderExcluir
  10. Olá Valéria!

    Felicidade é tesouro que enriquece o ser. Alegria fugaz, é “ouro de tolo”, empobrece a superficialidade de quem vive para o ter.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  11. Olá Redescoberta !

    Eu nasci em abril, o mês mais belo do ano e o mais repleto de felicidade e alegria. Rs rs rs rs...

    Um abração.

    ResponderExcluir
  12. Olá,Antonio!!

    Lindo seu texto!A felicidade vem de dentro, aprendemos a cultiva-la !
    Beijos pra ti!
    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  13. Oi Antônio,
    ótima reflexão,me deu vontade de escrever algumas coisas,mas de fato ainda estou na busca,essa inconstante.
    Um ótimo final de semana,abraço,=)

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...