Tempos modernos - A arte da vida. Apon HP

Bom estar com você aqui no A ARTE DA VIDA. APON HP!


Dê um toque. Leia um escrito especialmente sorteado para você. Clique na figura abaixo.
Clique aqui, para ler um texto aleatoriamente selecionado pelo sistema.

Tempos modernos

Publicado em quinta-feira, 4 de outubro de 2012



...Nunca gritou tão alto o discurso ecológico, mas a Terra definha ao sabor das vontades do "todo poderoso" interesse financeiro, como uma verdadeira praga, a humanidade "canibaliza" os recursos...


Mapa mundi


Estranhos esses novos tempos; mais próximos de quem vive do outro lado do planeta, estamos cada vez mais distantes de quem convive o nosso dia a dia. A internet e o celular nos emprestam uma fantástica acessibilidade, no entanto, nunca estivemos tão inacessíveis às necessidades alheias.


A TV segue de forma competente em seu propósito de informar desinformando. Massifica costumes transgênicos, artificialmente modificados, para atender aos interesses do mercado e outros inconfessáveis interesses. No contraponto às campanhas contra a mistura de álcool e direção, repetem exaustivamente os "mantras" das cervejarias.


A mulher, que protagonizou tantas lutas por seus direitos, é coisificada em arremedos de música, que hora lhe trata de "cachorra", hora a reduz ao "bundismo" nacional. Além de atentar contra a dignidade feminina, tais aberrações atentam contra os ouvidos minimamente inteligentes, tratam seus incautos ouvintes, como fossas sonoras onde despejam suas dejeções rítmicas.


Na política, esquerda e direita nunca se fizeram tão próximas, compõem a mesma lama que transborda no esgoto da politicagem.


O egoísmo e a superficialidade guiam as relações dos "ficantes", que "ficam" com todos (as) e não ficam com ninguém. Subvertem o sentimento ao cio, animalizam as emoções, apequenam o ser, transformado em reles objeto de um prazer meramente instintivo.


As religiões proliferam aos borbotões, mas o ser humano se distancia mais e mais de Deus, a fé virou mercadoria rentável e o "capital de giro" de algumas igrejas (?) se tornou mais importante do que a verdade. Deliberadamente fanatizados, desavisados crentes, patrocinam impérios nada Cristãos. Assim, enquanto alguns são espoliados "em nome de Deus", outros "customizam" teologias para adequar a divindade aos seus propósitos. As religiões sérias vão perdendo espaço para essas teratologias e o materialismo ganha corpo, nivelando o ser ao ter.


A banalização da violência, anestesia nossa indignação ante um cadáver exposto em via pública, a morte se tornou comum, um corpo no chão, não é algo insólito, a morte entra de forma perversa e descabida em nosso cotidiano. Os marginais andam livres pelas ruas, o cidadão sobrevive temeroso e sobressaltado em "prisão domiciliar" na sua casa gradeada.


Projetos sociais se avolumam, mas o abismo entre pobres e ricos, se aprofunda e enlarguece de forma desumana.


Nunca gritou tão alto o discurso ecológico, mas a Terra definha ao sabor das vontades do "todo poderoso" interesse financeiro, como uma verdadeira praga, a humanidade "canibaliza" os recursos naturais e de forma suicida, escreve o necrológio da civilização.


Muito estranhos esses novos tempos...



(Postado aqui em 03 DE AGOSTO DE 2007).


Gostou desse texto?
Então vai gostar do nosso livro: Um dedo de prosa e poesia. A arte da vida.
Clique abaixo na capa para saber mais e adquirir seu exemplar.


São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...
Compre aqui!



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.

2 comentários:

  1. Sabe, Antonio... o mal disso tudo é a teorização banal. Nivela-se por baixo esquecendo-se de que nós mesmos seremos os maiores coniventes e prejudicados de todas essas situações muito bem pontuadas por você, com maestria!
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivemos um imediatismo inconsequente, danoso ao futuro na terra.

      Obrigado Célia.

      Um abração, bom final de semana e bom voto.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.





Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Troféu rosa da amizade/Afeto.


Rosa da amizade/Afeto do Poetizando e encantando da Professora Lourdes..



Follow
View My Stats

DMCA.com Protection Status


@INSTAGRAM