Trem da vida - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

sábado, 21 de julho de 2018

 

                    Trem da vida              

     

... somos gestores de nosso existir, artífices na concepção do nosso desiderato; o tempo pode ser a mola propulsora que nos arremessa...


Antonio Pereira Apon.


Chuva, vapor e velocidade - O grande caminho de ferro do Oeste, pintura de J.M.W. Turner.


segue perseguindo seu destino de ser árvore fértil e frondosa.


Observa a pedra bruta, que sem se acovardar perante a dor da lapidação, se permite a preciosidade da joia rara.


O sol sem o menor receio rasga a mortalha da noite, com a convicção de quem acredita em sua missão de iluminar, recriando um dia novo a cada novo dia.


O rio circunda as pedras que lhe obstam o curso, ou salta por sobre elas com a certeza do caminho a ser seguido para alcançar seu objetivo, encontrar o mar.


Mais que a semente, a pedra, o sol e o rio, somos gestores de nosso existir, artífices na concepção do nosso desiderato; o tempo pode ser a mola propulsora que nos arremessa para o futuro que ora construímos, ou pode ser a pá para sepultar nossas possibilidades na cova estéril do passado. Hoje é o dia, a hora é agora, esse é o momento; Protelar soluções, é inflacionar problemas na economia da vida exigindo um dispêndio maior de recursos para sanar os males advindos da estagnação da espera.


Felicidade não se improvisa, nem cai do céu como dádiva divina, por vezes exige esforço, luta árdua e sofrida, não raramente os sorrisos são fruto de abundantes e doloridas lágrimas, que lavam a alma dos miasmas do pretérito para que a felicidade possa florescer sem nódoas. No campo da evolução não existe improviso nem toque de mágica, mas trabalho de transformação para o seu melhor, o impossível é aquilo que você não tomou a efetiva resolução de fazer, o difícil é um simples rótulo que o medo coloca naquilo que ainda não tivemos a coragem de realizar.


Acorda, o trem da vida não tarda na estação da espera, segue célere sem detença, levando aqueles que deixaram para trás o que passou, aproveitando os trilhos do hoje, para alcançar a estação do amanhã.



(Texto de 2002, postado aqui em 25 de abril de 2009).



Gostou? Você também vai gostar de ler: Trem do tempo. Estação da ilusão


Sol sorrindo afastando as nuvens.



   
 
 

8 comentários:

  1. "Somos gestores do nosso existir" - vejo que aqui, Antonio, está uma acertada expressão para o encontro da nossa felicidade. Construamo-la sem jamais outorgar esse direito a outrém. Embarcar no trem da vida, seguir o destino até onde eu acho por bem seguir, é direito de todos - afinal somos detentores do nosso livre arbítrio.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Oi Antonio,
    Depende de nós, viver uma boa vida ou ao contrário!
    Felicidade é um estado de estar bem no mundo. No "nosso mundo"!
    Felicidades para você!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felicidade não se improvisa, não se arranja num canto qualquer. É uma conquista, uma construção interior.

      Obrigado. Um abração.

      Excluir
  3. Apon, além de ser um texto lindo e profundo, tem muito a ver com o que postei hoje no blog, que curioso! É difícil porque quando estamos em uma fase problemática nos deixamos envolver pelo medo, o que é natural, mas as soluções começam quando aprendemos a controlá-lo, o que nos dá a verdadeira dimensão da realidade. O futuro não é um acaso, é um reflexo do que somos, sentimos e vivemos hoje. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viver, focar o hoje e o agora, parar de "nadar contra a corrente", não desistir de sonhar, mas, fincar os pés no possível, acreditar e agir de forma transformadora e criativa.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Sonhos e realidades, a poesia põe nossa cabeça no infinito, mas, não nos tira os pés do chão.

      Um abraço.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...