Ter razão - Apon na arte da vida

Bom estar com você aqui no APON NA ARTE DA VIDA!



Leitura sorteada - Nossos vídeos

Postagem em destaque

Por onde anda você?

Você, que vaga em meus sonhos, qual a brisa de outrora; acordando sentidos, acarinhando sentimentos; exumando lembranças, memórias ...

Ter razão

Publicado em domingo, 20 de outubro de 2019



... Querer sempre “ter razão”, é o caminho mais curto para perder a razão. Ter ou não ter razão, é uma conseqüência do bom ou mal uso do livre arbítrio e do discernimento. Ninguém tem sempre razão, ninguém é perfeito. “ter razão” não é um troféu, um título, um diploma, um prêmio... Procure...




Explosão nuclear.

Você é daqueles que quer sempre “ter razão”? ... É dessas pessoas que não admitem estar erradas e querem dar a “última palavra”? ... Cuidado!

A violência doméstica, a possessividade, a intolerância, os crimes passionais, muitos erros médicos, diversos acidentes no trabalho e no trânsito... Aconteceram e acontecem por culpa de gente que quer sempre “ter razão”.

Ainquisição, o holocausto nazista, guerras, atentados terroristas, ditaduras (de direita e de esquerda), armas de destruição em massa, o fundamentalismo, a corrupção política, a fome, a deseducação, a insegurança, a epidemia de criminalidade, a miséria, a mentira, a hipocrisia, o fanatismo... Foram e são obras de quem finge “ter razão”.

A obsessão do “ter razão”, revela um ser, infectado pelo orgulho e a vaidade. O pretenso monopólio do “ter razão”, traveste tiranos e arrogantes de toda espécie, racistas e preconceituosos de todos os matizes, truculentos e belicosos de todos os graus, estelionatários e farsantes de todos os tipos...

Querer sempre “ter razão”, é o caminho mais curto para perder a razão. Ter ou não ter razão, é uma conseqüência do bom ou mal uso do livre arbítrio e do discernimento. Ninguém tem sempre razão, ninguém é perfeito. “ter razão” não é um troféu, um título, um diploma, um prêmio... Procure se melhorar como ser humano, aprender com os seus erros e os dos outros, conheça-se melhor... Logo logo você estará livre da síndrome do “ter razão”. Os cemitérios, as prisões, os sanatórios e os hospitais, estão cheios de quem preferiu “ter razão” do que viver.

Postado aqui em 04 de julho de 2009.

2 comentários:

  1. Bom dia querido amigo Antonio, começar a semana com essa boa reflexão é edificante!
    Não sofro dessa síndrome, não discuto e algumas vezes até me abstenho de dar minha opinião, não por medo de opiniões alheias contrárias, mas por ter a consciência de que, só o fato de eu estar em mim e sentir a vida com todas as suas nuances já me servem de bússola, se me pedem opiniões aí sim dou a minha, mas nunca com a convicção absoluta de que eu esteja com a razão.
    Amei seu texto, bem assim, se as pessoas tivessem mais humildade seria um mundo repleto de equilíbrio!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa necessidade patológica de ter razão, explicita a desinteligência emocional da criatura. Denúncia pequenez de alma.

      Te convido: 😎 Leia uma postagem sorteada para você.
      Um abraço. Tudo de bom.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

@INSTAGRAM