Sem noção. Melindre de quem melindra - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

 

                    Sem noção. Melindre de quem melindra              

     

... em suas incertas "certezas", entorpecidas pelo hermetismo dos seus preconceitos, não acordam para a "real realidade" de serem "ilhas sem noção"...

Antonio Pereira Apon.


Vaso quebrado.

Certas pessoas possuem extrema sensibilidade para se melindrar por tudo e qualquer coisa. Porém, essas mesmas criaturas, costumam "jogar na cara verdades", usar a língua e a "sinceridade" como açoites implacáveis. Adoram vociferar irritadas, impondo sua verborreia aos seus interlocutores, mas não toleram a menor ponderação que arranhe suas tortas "convicções".


Usando (e abusando) de "dois pesos e duas medidas", são extremamente complacentes com seus erros, mas superlativamente intransigentes ao condenar o mesmo engano, quando praticado por outrem: Elas são "verdadeiras", os outros são grosseiros e ignorantes; elas são "conscientes", os outros são orgulhosos; elas são "destemidas", os outros são inconsequentes; elas são boas, os outros maus: elas são "tudo de bom", o resto...


Viciadas em suas incertas "certezas", entorpecidas pelo hermetismo dos seus preconceitos, não acordam para a "real realidade" de serem "ilhas sem noção", ínsulas da intolerância.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

10 comentários:

  1. Oi Antônio,

    Eu não gosto de mar, mas tenho de confessar que essa foto, com o pôr do sol me parece, está magnífica.

    Então seu texto fala de umas criaturas, que são perfeitas, quase como Deus.
    Só elas é que têm razão, só elas é que sabem, só elas, só elas...
    Há muitas, por aí e por aqui, em todo o mundo, afinal.

    Eu não me melindro facilmente,mas se você deixar, por exemplo, de me fazer comemntário, eu entro em contato com você e pergunto o que se está passando. Claro que não pretendo que a pessoa me diga, concretamente, o motivo de sua ausência, mas quase que "exigo" uma satisfação, nem que seja, a mais vulgar e a menos verdadeir: tenho tido uns probleminhas com meu PC (bem, o PC dessas pesssoas, se pode chamar de Paula Cristina, ou de Paulo César, por exemplo).

    Abraço da Luz, com Afetos e Cumplicidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luz.

      Gente que "se acha", vive se perdendo em melindres e tantas outras bobagens. Quanto aos comentários, tem cada desculpa mais furada que peneira velha. Já o mar. considero uma das mais belas obras do Criador.

      Um abração.

      Excluir
  2. Antonio, algumas pessoas odeiam tanto seus próprios defeitos e têm tanta dificuldade em admití-los e conviver com eles, que sequer toleram pessoas que o possuem. Ou seja, despejam no outro sua raiva por tbm ter defeitos terríveis.
    um abraço, querido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paty.

      De fato. Tem gente que não suporta se ver espelhada nos erros alheios. Mas, preferem atacar os outros, do que combater seus desatinos.

      Um abração.

      Excluir
  3. Oi AntÔnio,
    Acredito que nesta vida não há verdade absoluta e aqueles que tentam convencer o outro do contrário,erram mais do que os que não percebem o erro.
    Passando para parabenizar-lhe pelo dia do escritor!
    abraço,=)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suu.

      Quem acha que sabe tudo, se desengana sabendo nada.

      Brigadoooo! Um abração.

      Excluir
  4. OLá Antonio, tudo bem?

    Ahhh, o melindre!! ...É uma postura equivocada que tem feito muitas inimizades. O teu texto está excelente, porque em poucas palavras abordou um tema, que tem feito muitas amizades promissoras a terminarem, as vezes, por um nada, mas para o milindroso, é ofensa das grandes.

    António, esqueci-me do dia da blogagem sobre amigos blogueiros...Poderia me confirmar a data ?

    Beijinhos da Lu...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lú.

      O melindre é uma patologia da alma de quem tarda cativo de si mesmo.

      A blogagem coletiva será 31 de agosto (dia do Blog). Basta postar nesse dia em seu Blog um texto sobre as relações de amizade, construídas através da arte de Blogar. Depois publique nos comentários do post: http://www.aponarte.com.br/2012/07/blogando-entre-amigos.html uma pequena frase alusiva ao dia, junto com o link do post que será compartilhado no Twitter e Facebook.

      Um abração.

      Excluir
  5. Olá, amigo. Bom dia! Mais um ótimo post. È questão bastante delicada o melindre. È preciso ser ponderado e ter o cuidado, pois todos erramos. Parabéns pelo dia do escritor! Deixo um grande abraço e um feliz fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cidinha.

      "Errar é humano". Procurar melhorar, é inteligente. Temos que combater nossos desatinos e não os outros.

      Brigadoo!!! Um abração.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...