Preguiçosos, invejosos & Cia. - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

Você já conhece nosso App? Clique aqui para saber mais. Ou na animação a seguir, para baixar e instalar em seu Android..


Tudo cabe no seu App. Bom dia! Clique para baixar e instalar.

sábado, 12 de maio de 2018

 

                    Preguiçosos, invejosos & Cia.              

     

... Para si: Desejam o sucesso alheio, suspiram pelas vitórias dos outros, anseiam pelas glórias... Mas, indispostos a qualquer esforço produtivo...


Antonio Pereira Apon.


Fractal de olhos observando um pássaro voar. Composição de Antonio Pereira Apon.


Tardam cativos de si mesmos, carregam entulhos do passado, alimentando manias e acomodações. Sob o peso de seus atavismos, se permitem soterrar pelo passivo de suas irresoluções, e estagnam na queixa das tantas possibilidades consumidas pela fome do tempo e o fastio da vontade.


Adormecidos no berço da inércia, rogam favores dos céus e benesses do destino. Confiantes que a sorte engendre soluções e o acaso improvise resultados favoráveis.


Para si: Desejam o sucesso alheio, suspiram pelas vitórias dos outros, anseiam pelas glórias... Mas, indispostos a qualquer esforço produtivo... Quando a desilusão lhes desnuda a realidade, convulsionam na revolta por sua natural desdita: Acusam, perseguem, culpam, atacam...


Algozes de si mesmos, arrastam-se, debatem-se no movediço terreno da mediocridade, contemplando o voo dos que fazem a diferença e brilham como estrelas na amplidão da vida.



Postado aqui em 10 de setembro de 2012.



   
 
 

6 comentários:

  1. Oi estimado Antônio,

    Preguiçosos e invejosos são gente da mesma família.
    Descaracterizados e sem formação fazem de suas vidas e das dos outros, indiretamente, um mar de podridão, desconfiança e maldade.

    Humildade e honestidade são nomes, qualidades, estados de alma, que não conhecem.

    Boa semana, em harmonia interior e exterior.
    Abraços da Luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luz.

      Como existe gente assim. Não fazem nada por si nem por ninguém e ainda se acham merecedores de alguma coisa. Ambicionando as conquistas do labor de outrem.

      Um abração.

      Excluir
  2. Um texto com inúmeras reflexões, Antonio! Fatalidade na acomodação de alhuns seres humanos desembocam na inveja - gratuidade poderosa nos fracos que destilam seus venenos a quem se faz e vai à luta! Crudelíssimos.
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Célia. Muitos crimes nascem da preguiça e da inveja, diversos marginais são crias desses sentimentos nefastos.

      Um abração.

      Excluir
  3. Oi Antonio


    Adorei o post.
    E como tem gente assim por ai... Querendo o que não o pertence e almejando o que não lhe cabe.


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tem! Parasitas do esforço alheio, esperam “o mar pegar fogo para comer peixe frito”.

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...