Memória - A arte da vida. Apon HP

Bom estar com você aqui no A ARTE DA VIDA. APON HP!


Dê um toque. Leia um escrito especialmente sorteado para você. Clique na figura abaixo.
Clique aqui, para ler um texto aleatoriamente selecionado pelo sistema.

Memória

Publicado em segunda-feira, 18 de novembro de 2013



... guarda as chaves do passado, as tantas senhas do futuro... ...Individual e coletiva, singular e plural, imaterial materialidade...


Antonio Pereira Apon.


Explosão nuclear.

Cuidadora da cultura,

Zeladora da civilização...

A memória é a guardiã do tempo,

testemunha do ido que ficou,

do que passa sem passar;

o aprendido e o esquecido,

revelado ou escondido...

Guerras a evitar,

tiranias a combater,

mentiras a vencer.

Individual e coletiva,

singular e plural,

imaterial materialidade,

física,

metafísica...

“Videoteipe” da História;

a memória guarda as chaves do passado,

as tantas senhas do futuro.

Sem memória, um homem sofre de amnésia.

Desmemoriado, um povo padece de ignorância.



16 comentários:

  1. Olá, António!

    Você e aquilo que escreveu se revestem de beleza literária e também de razão.

    QUE/M SOMOS NÓS SEM MEMÓRIA COLETIVA OU MESMO SINGULAR? NADAAAAAA.

    É o passado que explica o presente e antecipa o futuro.

    Um povo, que não lembra da sua História, não é gente", é cópia do original.

    Uma boa semana.

    Aquele abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem memória, perdemos o aprendizado proporcionado pelo tempo e seguimos repetindo, tropeçando em velhos erros. Sem memória, o povo sobrevive como gado, sem destino e sem razão.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  2. António, eu de novo!

    Me esqueci de referir que há nova publicação no "Afetos e Cumplicidades", que esteve a opção comentários encerrada.
    O assunto "toca" a todos, porque é muito importante.

    Abraço da luz.

    ResponderExcluir
  3. Revisito sempre minhas memórias... Há sempre edificantes exemplos a seguir ou a descartar... É minha história de vida. Reflexão pertinaz.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A memória é nosso “livro de consultas”, nossos erros e acertos estão lá impressos. Visita-la é aprender, reaprender...

      Um abração.

      Excluir
  4. Amigo poeta Antonio, um povo sem memória não vive o presente de forma digna, seu poema veio a calhar em um momento que, espero seja decisivo para esse país, havemos de repensar, queremos dignidade para todos, o povo tem poder, ele pode mudar esse terrível quadro, esperança, ah, foi mesmo a unica coisa que sobrou na
    "Caixa de Pandora"!
    Abraços amigo poeta querido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apostando na falta de memória do povo todo tipo de indignidade é perpetrada. Cabe ao eleitor lembrar-se de não eleger nem reeleger os(as) indignos(as). Muita gente deveria está fazendo companhia aos mensaleiros presos(?). Até porque, o “Ali babá” ficou impune. E cadê o resto dos mais de 40 ladrões???

      Um abração.

      Excluir
  5. Antonio,
    acho que a falta de memória do nosso povo é conveniente para a maioria dos governantes.
    Lastimável!

    Parabéns pelo poema.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o povo tivesse memória e um pouquinho de vergonha na cara, não teríamos tantos descalabros nessa democracia de faz de conta.

      Um abração.

      Excluir
  6. Oi Antonio,
    A memória de um povo é um tesouro feito de vivencias!
    Preservar a memória é que são elas. Nós brasileiros, temos fama de "não ter memória", pois esquecemos rápido por demais!
    Excelente texto!
    Tenha uma linda semana!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Brasil, transformaram o tesouro da memória em uma caixa de bijuterias baratas, mas bem superfaturadas.

      Um abração.

      Excluir
  7. E como esse povo fica desmemoriado rapidamente, não? Impressionante... e toda uma nação paga por isso. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ditadura adestrou o povo a esquecer, nada saber, ouvir ou ver. Seus sucessores aprimoram a técnica, anestesiando as massas com “bolsas”, mentiras, bravatas, propaganda e factoides.

      Um abração.

      Excluir
  8. O livro escolar de história ajuda e muito, seja ele de História Universal ou Brasileira. Um poema que incentiva a leitura constante para ajudar a memória. Valeu! Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como bem versou Castro Alves:

      "...bendito o que semeia
      livros, livros a mancheias,
      e manda o povo pensar.
      O livro, caindo n'alma,
      é germe que faz a palma,
      é gota que faz o mar".

      Um abração.

      Excluir
  9. Boa tarde!
    Mais uma vez, postando o Poetizando e Encantando no Sábado deixando o seu convite para participar desta BC, como sempre vem participando para nossa alegria e valorização desta brincadeira. Desde já agradeço de odo coração, sua participação maravilhosa!
    Tem retrospectiva com três amigas que sempre nos encantam a cada participação. Na sequência das edições contemplarei a todos como forma de agradecimento e carinho.

    Abraços da amiga Lourdes Duarte

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.





Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Troféu rosa da amizade/Afeto.


Rosa da amizade/Afeto do Poetizando e encantando da Professora Lourdes..



Follow
View My Stats

DMCA.com Protection Status


@INSTAGRAM