Direitos humanos? De quem? - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

 

                    Direitos humanos? De quem?              

     

... Cadê a preocupação da presidência para com a “pena de morte” imposta pela violência urbana de cada dia? Cadê o consolo? O socorro? O amparo para quem vai sobrevivendo com as perdas e sobressaltos dessa desumana selva de homens? Cadê os defensores, protetores, arautos dos direitos humanos?! ...


Antonio Pereira Apon.


Pessoas andando na rua.


Cadê os direitos humanos? Do cardiologista esfaqueado por jovens, que parecem ter perdido o coração? Do músico alvejado na cabeça, por quem escolheu não tocar a vida dignamente? Da professora assassinada por quem desdenhou a educação? Do estudante de veterinária, morto por um “bicho solto”? Da médica sequestrada e morta por um indultado sem remédio? Do coreógrafo, que perdeu a vida para a “dança” da violência? Dos moradores de rua queimados por mentes inflamadas de preconceito demente? Da doméstica espancada... Do Padre executado... Do turista... Da adolescente... Cadê???


Cadê os direitos humanos? Do policial assassinado, justamente por ser um policial? Dos magistrados e promotores, sentenciados por buscarem o cumprimento da lei? Dos pais, mães e órfãos chagados pelo crime? Dos “encontrados” pelas tais “balas perdidas”? Dos tantos sobressaltados, trancafiados em suas residências, acuados pelo medo? Das crianças e adolescentes, privados de uma juventude normal pelos “de menor”, patrocinados por tanta sensação de impunidade? Dos cidadãos de bem, cumpridores de suas obrigações e pagadores da escorcha dos impostos?... Cadê???


Cadê os direitos humanos? De quem trabalha tanto para ganhar tão pouco sem se marginalizar? Do estudante de escola ruim que não desiste de ser alguém? Dos que preferem ralar duro do que posarem de coitados, revoltados e injustiçados? Dos que não traficam nem roubam? Dos que apesar das dificuldades, superam a tudo e todos? Dos que não se acomodam?... Cadê???


Cadê a preocupação da presidência para com a “pena de morte” imposta pela violência urbana de cada dia? Cadê o consolo? O socorro? O amparo para quem vai sobrevivendo com as perdas e sobressaltos dessa desumana selva de homens? Cadê os defensores, protetores, arautos dos direitos humanos?!


Por favor! Direitos humanos!!! Para quem não se pôs à margem da própria humanidade pretextando isso ou aquilo. O resto é desumanidade e hipocrisia que não podem ser acoitados em qualquer direito que assim mereça ser chamado.





Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...