Nas redes sociais ou na rua? - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Clique na animação abaixo, para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.


Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

 

                    Nas redes sociais ou na rua?              

     

... No Facebook você grita, no Whatsapp brada e xinga, esbraveja no Twitter, escracha no Instagran, desanca no Pinterest, ofende no...


Digitação.


Nas redes sociais você “tudo pode”.

É forte!

Bate, julga, condena,

pinta, borda, chuleia...

No Facebook você grita,

no Whatsapp brada e xinga,

esbraveja no Twitter,

escracha no Instagran,

desanca no Pinterest,

ofende no...

Arrebenta na...

Fora das redes?

Só mais um babaca,

manso cordeiro que a tudo acata;

falta uma telinha para se esconder,

um “anonimato” para se acoitar.

Nas redes é protesto e indignação.

Fora?

Omissa acomodação.

Lá,

tem fúria e valentia;

cá?

Alienada apatia.

Quer mudar? Melhorar alguma coisa?

Sai da rede!

Vai pra rua!



Foto do autor: Antonio Pereira (Apon).


Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que
seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon). E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.



Fale conosco.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

6 comentários:

  1. Sair da rede virtual e da rede do conforto físico que nos transforma realmente em 'aleijados sociais' que nunca tomamos partido de nada e como carneirinhos de presépio ficamos na simbologia do 'amém' aos 'tidos poderosos' que nos escravizam... Passou da hora de tomarmos boas atitudes!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo. Levantar dessa eterna letargia, do "berço esplêndido", do faz de conta, do blá-blá-blá, da conversa mole, do esperar que caia do céu, do empurrar com a barriga... Vamos nos inspirar naquele refrão do "14 Bis": "... não posso aceitar sossegado qualquer sacanagem ser coisa normal".

      Um abração e bom fim de semana.

      Excluir
  2. Oi, Antonio!
    É isso aí! É chegada a hora de dar um basta!
    Agora é só a gente querer!
    Beijo carinhoso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, já passou da hora. Como de costume, vamos correr atrás do prejuízo, do tempo perdido, assistindo esse descalabro.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  3. Boa postagem, em versos dissestes toda a verdade, as pessoas agridem sem nenhum critério, ofendem, escrevem tudo o que lhes vêm às mentes, mas na verdade, hora de mostrarem suas posições se acobardam.
    Que pena que é assim, eu fui estudante do tempo em que se lutava contra a ditadura militar, vi muitos militares em seus belos e enormes cavalos sendo jogados em cima dos que mostravam suas coragens nas ruas!
    Hoje se vê muitos baderneiros infiltrados entre os que estão saindo às ruas com propósitos de quem sabe acabar com tanta corrupção?!
    Amei ler aqui amigo Antonio!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os baderneiros intentam desqualificar qualquer manifestação enquanto a cidadania faz de conta nas redes sociais. Os corruptos, o desgoverno agradecem.

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.


Fale conosco:

Para exibir/ocultar nosso formulário de contato Clique aqui.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...