Triste fábula sobre a Violência - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

 

                    Triste fábula sobre a Violência              

     

... a Cidadania, resolveu custear um tratamento de regeneração da facínora. Contratou a Política para cuidar do assunto. Mas a mandatária, que mantinha um “affair” com a Corrupção, embolsou o dinheiro e só fez de conta...


Antonio Pereira Apon.


Gatilho.


O Descaso teve um caso com a Omissão e desse “acaso” nasceu a Violência. Abandonada pelos pais, a “órfã” ficou aos cuidados da titia Impunidade que a encheu de mimos e relevou todas as suas “travessuras”. Crescida, a adolescente problema, terminou sob a tutela de uma parente distante, a Justiça. Essa, cheia de permissividades e senões, não dando conta de tanta rebeldia, optou por “lavar as mãos”. Sobre si, a jovem delinquente, aprimorou e deu vazão aos seus instintos criminosos...


Homem correndo.

Cansada de sofrer, a Cidadania, resolveu custear um tratamento de regeneração da facínora. Contratou a Política para cuidar do assunto. Mas a mandatária, que mantinha um “affair” com a Corrupção, embolsou o dinheiro e só fez de conta: Botou a Educação para fingir que educava, a Segurança encenar que assegurava, a Assistência disfarçar que assistia...


Detetive.

Assim, sem limites e com absoluto despudor, a moça ganhou poder e força. Todos a temiam, mas ninguém a enfrentava. Até que um dia, ela chacinou a todos. Sem ter mais a quem atormentar, entediada, a sociopata se matou.

Triste.


Postado aqui em 28 de junho de 2016.



   
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...