Ladainha - II - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

sábado, 9 de julho de 2016

 

                    Ladainha - II              

     

Como dantes, rindo para não chorar, seguimos rogando piedade a Deus pelo Brasil e os brasileiros, ante tantos absurdos. Senhor, Piedade! Valha-nos Deus!


Mão de Deus tocando a do homem.

Pelo privilegiado foro,

por quem foge do Moro;

pela imunidade parlamentar,

pela impunidade pra lamentar.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo preço do feijão,

pela volta da inflação;

pela bazófia da jararaca,

pela autoridade que matraca.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela corrupção endêmica,

pela reforma polêmica;

pela assistência parca,

pela propina farta.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo tríplex sem dono,

pelo sítio sem ônus;

pela escorcha tributária,

pela política arbitrária.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo limite na banda larga,

pela carestia amarga;

pelas desreguladas “agências reguladoras”,

pelas populações sofredoras.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo fiasco da copa,

pelo eleitor que os “negados” topa;

pelo povo que paga a conta,

pela cidadania que aceita afronta.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo SUS que não cura,

Pela “segurança” insegura;

Pela escola que desensina,

Por mais uma chacina.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelas promessas de campanha,

por quem seu voto barganha;

pela Dilma e sua defesa,

pela verdade indefesa.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela eleição mal ganha,

pela politiqueira artimanha;

pela esquerda mentirosa,

pela direita ardilosa.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo socialismo caduco,

pelo capitalismo maluco;

por quem diz que o impeachment é golpe,

pela corrupção a galope.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela mesóclise do Michel,

pelo país deixado ao leu;

pela omissão do plural,

pelo maltrato gramatical.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela doação da empreiteira,

pela coligação mutreteira;

pela lábia do lobista,

pela treta populista.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela falta de tornozeleira eletrônica,

pela passividade crônica;

pela prisão domiciliar,

por tanto imposto a pagar.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo paraíso fiscal,

pela fraude imoral;

pela lavagem de dinheiro,

pelo esquema embusteiro.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo abuso do trust,

por tanto deboche e desfrute;

pela politiqueira matilha,

pela formação de quadrilha.

Senhor, tende piedade de nós!


Pela falta de saneamento,

pelo insalubre parlamento;

pelo esgoto da política,

pela economia paralítica.

Senhor, tende piedade de nós!


Pelo PIB brochante,

pelo candidato farsante;

pelo velho circo e pão,

pelos espoliadores da nação.

Senhor, tende piedade de nós!


Piedade Senhor!

Senhor, piedade!


Leia também:

Ladainha.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

4 comentários:

  1. Olá, Apon como vai? Penso que você escrever muito bem esse tipo de texto. A sensação final ao ler seu jogo de palavras é a de que estamos desamparados e só podemos mesmo recorrer a Deus! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo na santa paz do Senhor. Enquanto a sociedade não acordar e o voto não for tratado com a devida importância, ficamos no: "Cada um por si e Deus por todos". Só Jesus na causa!

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  2. Excelente criatividade! Parabenizo-o! Uma ladainha de grandes verdades que tomara não acabem em pizza - Hoje Dia da Pizza!!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente a "pizzaria Brasil", segue a pleno forno. Essa semana estão ameaçando uma pizza de marmelada temperada com Centrão a lá Cunha.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...