Voz e violão - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Clique na animação abaixo, para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.


Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

 

                    Voz e violão              

     

... Fé na estrada, pé no chão, dureza à parte, gente e arte; se fazer canção. Uma nova bossa...


Antonio Pereira Apon.


Partitura.


Artista iniciante,

cantante menestrel.

De bar em bar,

nos braços da noite,

na contramão do açoite;

vai tocando a vida,

sai cantando a lida;

faz da arte profissão.

Fé na estrada,

pé no chão,

dureza à parte,

gente e arte;

se fazer canção.

Uma nova bossa,

o melhor que possa,

garantir seu pão.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

13 comentários:

  1. Cantar,celebrar a lida na ordem do dia de nossa vida é o que nos traz a coragem necessária para prosseguirmos com caráter e dignidade.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cantar o tempo, cantar a vida... Acreditar e seguir sempre em frente.

      Excluir
  2. Olá, Tonico!

    Pois é assim! Os artistas "marginais" gostam desse tipo de vida, e então, cantam de atuar no metropolitano, na rua, onde calhar, mas tem de haver gente para dar moedinhas e eles dizem que é cultura em liberdade, cultura de rua. Bem, talvez seja, mas acho que, muitas vezes, é chique, é esquerdóide!
    Eles dizem: antes cantar e tocar que roubar. Estou, inteiramente, de acordo, mas...

    Gostei do teu poema tão bem relacionado e entrosado. Enfim, é a vida, que muitos gostam de levar.

    Abraço e bom solzinho (aqui está chovendo e fazendo frio).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em verdade, trato aqui dos artistas que começam carreira tocando e ou cantando na noite, nos bares e pequenos bailes. Mas, também pode-se incluir os artistas de rua, muitos dos quais, de real valor, postos à margem por circunstâncias quaisquer. Certamente que, dentre estes há acomodados e reais vagabundos, mas, não devemos por todos no mesmo balaio.

      "Solzinho"??? Tá um sol de dar insolação.

      Um abraço.

      Excluir
  3. Sim, concordo com você, pois não podemos colocar todos os artistas no mesmo "saco".

    Ah, que inveja (nem vou colocar aspas, porque eu tenho mesmo inveja desse clima daí)!

    Exagerado. Insolação. Você é um encalorado, "qui" só visto, mas todo o homem é, desse jeito, mas eu sou hétero da cabeça aos pés, donc rien à faire.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os Artistas não podem pagar pelos arteiros.

      Eu acho que São Pedro deu um vacilo e o capeta mexeu no termostato. Está um calor dos infernos. Não consigo dormir direito e fico o dia todo com sono.

      Um abraço e uma boa semana.

      Excluir
  4. "Num" entendi, nem direito, nem torto (rs) o comentário de você. Por favor, me explique o significado de vacilo (do verbo vacilar)? e de capeta.

    Durma nuzinho, homi, e sem roupa por cima do seu metro e setenta e quatro, creio, e de dia, aconselho que faça faxina. Vai ver que o sono não aparece.

    Beijinho, "minino" e boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vacilo aqui é no sentido de não cuidar, descuidar e Capeta é o Diabo propriamente dito. Então: São Pedro descuidou e o Diabo mexeu no termostato, aumentou a temperatura, provocando esse calor infernal.

      Não adianta nada, só o tempo ameno para regular o meu sono.

      Um abraço.

      Excluir
  5. Ah, agora entendi. Muito agradecida, lindo "minino".

    Isso é desculpa pra não fazer limpezas. Só pode!

    Bisous, que quer dizer boa semana (rs).

    ResponderExcluir
  6. O que significa esse "D"? Toninho, me explique, por favor, como se eu tivesse 4/5 anos. Merci!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, vamos lá: Quando se usa :-) está se representando um sorriso normal, já :-D é a representação de um grande sorriso. Mas a pouco eu fiquei assim :-o de boquiaberto, surpreso, assustado... Fiz um teste do blog e estava dando alerta de malware, não descobri a causa. Mudei o layout e tudo se resolveu graças a Deus, eu só pretendia fazer essa mudança no fim de semana. Mas...

      Um abraço.

      Excluir
  7. Ah, Professor, "intendi", agora. Muito obrigada!

    :-D.

    Mudaste o layout, o cabeçalho? Vou ver. Inté

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...