Aposentadoria póstuma. Uma reforma de morrer - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!


Pensamento do dia:





Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

quarta-feira, 15 de março de 2017

 

                    Aposentadoria póstuma. Uma reforma de morrer              

     

Como a maioria dos políticos se enquadra no primeiro (e principalmente) no segundo caso, além de legislarem em causa própria. Para eles, vale a “teologia da prosperidade”. Gozam agora mesmo aqui na Terra polpudas e precoces aposentadorias, gozando sobretudo, da cara do povo...


Antonio Pereira Apon.



A Lição de Anatomia do Dr.Tulp, pintura de Rembrandt.


Quando político diz uma coisa, na realidade, ele quer dizer algo muito diferente. Em bom politiquês: Verdade é mentira, honesto é desonesto, suruba é culto religioso, doação de campanha pode significar lavagem de dinheiro… Portanto, “reforma previdenciária, bem traduzido,”, é o eufemismo politicamente correto para dizer que o trabalhador só vai se aposentar depois de morto! É o projeto post mortem que bem pode ser chamado de: Sacana - Serviço de assistência ao cidadão aposentado no além.


Vai funcionar mais ou menos assim: O pobre trabalhador que não teve estudo que prestasse, que não tem assistência médica adequada, mora mal, muitas vezes nem tem saneamento básico… Terá que se virar para tentar sobreviver até os 65 anos, após contribuir desde a adolescência com a previdência. Assim, já com um pé (ou os dois) na cova, ele estará habilitado para gozar sua aposentadoria por tempo para a morte. Seu benefício será convertido em “Bônus-Hora” pela cotação do dia do pagamento e estará sujeito, além da taxa de conversão, ao imposto sobre morte e transações financeiras interdimensionais.


O governo estará conveniando reuniões mediúnicas, capacitando médiuns para atender os aposentados, além de por à disposição o número 171 para ligações telepáticas de esclarecimento.


Dependendo da crença de cada um: Quem for para o umbral, for direto pros quintos dos infernos, pro purgatório ou dormir no aguardo do “Juízo final”. Por enquanto, não terá direito à aposentadoria. É que a empreiteira responsável pela infraestrutura de tráfego de dados com essas zonas do além, abandonou a obra após ser indiciada na “lava jato”. Outra licitação… Como a maioria dos políticos se enquadra no primeiro (e principalmente) no segundo caso, além de legislarem em causa própria. Para eles, vale a “teologia da prosperidade”. Gozam agora mesmo aqui na Terra polpudas e precoces aposentadorias, gozando sobretudo, da cara do povo.


No Brasil é assim. Cai a mentira, fica a dissimulação; vai o faz de conta, vem o finge que faz… Até quando? O brasileiro, comendo o pão que apolítica amassou e pulando carnaval; Esquerda e direita num só penico e o país na...


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

   
 
 

6 comentários:

  1. Tonico, como cheira mal, por aqui (risos!

    Gostei de todo o texto, mas aquela de SACANA, tudo explicadinho, é de mente muito inteligente e lúcida.

    Gostei da pintura de Rembrandt. è preciso "dissecar" essa gentinha politiqueira.

    Abracinho, garoto e bom final de semana, um pouco antecipado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O país está empesteado com o que produz a classe politiqueira. Agora eles não querem que o povo se aposente! Será que é para ajudar os pobrezinhos dos banqueiros a venderem previdência privada? 65 anos de idade mínima com 49 anos de contribuição. Isso não é reforma! É a mais pura e absurda sacanagem. O Brasil precisa ser redescoberto, começar do zero para ver se melhora. Aqui a direita não presta, o centro é uma porcaria e a esquerda não vale nada. Triste pátria desamada...

      Um abraço.

      Excluir
  2. Oi, Antonio!
    ...Quando a gente pensa que já viu de tudo! Aí de nós!
    E para quem pensa que previdência privada é o caminho, se ilude, tenho exemplo aqui em casa, é outra enganação! Na hora que você pensa começar sacar seu dinheiro, lá vem "sacanagem"!
    É desanimador a falta de seriedade!
    Beijo carinhoso, feliz fim de semana!

    ResponderExcluir
  3. Apon, excelente seu texto! Infelizmente, apesar do tom de sátira, essa é a triste realidade que estamos vivendo, num regime que chegará a uma escravidão velada. Lamentável!
    Só mesmo vivendo com bom humor para vivermos bem!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só rindo para não chorar nesse ordinário país de tão infames piadas prontas.

      Um abraço.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...