Qual o limite da amizade? - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

sexta-feira, 20 de julho de 2018

 

                    Qual o limite da amizade?              

     

Amigo é alguém com quem se pode contar, confiar, compartilhar...


Antonio Pereira Apon.


Amigos abraçados.


Nesses tempos em que se “caça” amigos e seguidores nas redes sociais, gente para curtir e compartilhar tudo e qualquer coisa. A amizade real, parece escassear, entre as descartáveis relações virtuais e artificiais sentires. Mas, amizade de verdade, não é e não pode ser medida em cliques, é uma ligação atemporal e transcendente, elo entre almas, liame incondicional de bem-querer. Algo como conta o filósofo Cícero:


Mergulhando no tempo, vamos encontrar Damon e Pítias, amigos inseparáveis desde pequeninos. Era o século IV a.C., jovens pensantes, andavam por Siracusa a espalhar suas ideias e ideais. Mais loquaz e “revolucionário, Pítias vivia a dizer entre outras coisas, que nenhum homem devia ter poder ilimitado sobre outro. E que os tiranos absolutos eram reis injustos. Aborrecido por demais com aquele discurso, o rei Dionísio, ordenou a prisão dos dois amigos.


Negando-se a voltar atrás, a desdizer-se, Pítias disse não abrir mão daquilo no que acreditava. Levava ao povo a verdade e não tinha o que nem porque reconsiderar. Assim, foi sentenciado a morte por traição.

Como último desejo, solicitou ao rei que o permitisse se despedir da mulher e e dos filhos e pôr os assuntos domésticos em ordem no vilarejo distante onde moravam.


Dionísio riu-se sarcástico, considerando-se tido como um tolo. Se saísse , com certeza, Pítias jamais voltaria, desconfiou o rei.


Para surpresa de todos, Damon ofereceu-se como garantia. Ficaria como prisioneiro, até a volta do amigo. Confiava plenamente em Pítias e na sua amizade. Desconfiado, Dionísio ameaçou Damon, ressaltando que ele seria executado, se o outro fugisse.


Pítias partiu e trancafiado Damon assistiu dias e dias passarem na prisão. O amigo tardava em regressar e o rei foi conferir a quantas ia o ânimo do prisioneiro. O tempo se esvaía e não haveria misericórdia. “O tolo infeliz”, seria morto no lugar do amigo a quem devotava enorme e inabalável confiança.


No dia fatídico, o prisioneiro foi conduzido ao carrasco. O rei celebrava vingança: Pítias, que lhe tentara “passar a perna” deixara o amigo para morrer em seu lugar.


Sustentando sua inamovível confiança, Damon exultou ao ver as portas se abrirem, Cansado, sujo, ferido… Pítias Atirou-se nos braços do amigo, ainda resfolegante, narrou todas as adversidades, os infortúnios e todos os empecilhos que precisou enfrentar, driblar para chegar a tempo de evitar o pior. Naufrágio, bandidos e outras conspirações do destino não o puderam deter, ali estava para assumir, cumprir a sua sentença.


Espantado, grandemente surpreendido. Dionísio, arrebatado pela força, poder de tamanha lealdade, revogou a sentença e tomado de emoção Em troca pediu uma grande ajuda. Queria aprender a construir tão sólida e valorosa amizade.


Amigos assim, temos? Quantos? Quais? … Que tipo de amigos somos?



Postado aqui em 15 de julho de 2017.




Falando de amizade:



Amiguinhos.


   
 
 

18 comentários:

  1. Difícil... Muito difícil, amigos desse quilate!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil mesmo. Mas, um belo ideal a seguir. Construir uma amizade sincera.

      https://www.youtube.com/watch?v=NPzb_oejCyU

      Um abraço amigo e uma boa semana.

      Excluir
  2. Olá, meu querido amigo!

    Espero e quero que estejas bem, tal como tua família. Eu estou satisfatória, embora acontecimentos que não são esperados, turvem o meu olhar, mas enfim, é o assim o fim do ser humano.

    Muito agradeço suas palavras lá no blog e seu até sempre à Leninha. Do resto, não vou nem falar, porque tu sabes aquilo que penso, nesse aspeto.

    Não conhecia essa fantástica história. A Mitologia nos dá sempre exemplos, que devíamos seguir, para além da moralidade, que encerram.

    Tenho poucos amigos, mas muitos conhecidos. Não, não seria capaz de dar minha vida por um amigo, amiga, portanto, sou bem medíocre, nesse campo, embora considere a amizade um sentimento muito importante e necessário.

    Um abraço, grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo na paz de Deus e apesar desse acontecimento dorido, a vida segue. Ainda não consegui escrever a homenagem que quero para Leninha. Talvez hoje...

      Amizade assim, com tamanha doação é realmente difícil...

      Mas para as amizades verdadeiras, vale a música desse vídeo:

      https://www.youtube.com/watch?v=rBoH_QL-kHw

      Um abraço.

      Excluir
  3. Obrigada, muito obrigada, António, por teres colocado meu mais recente post no Google+. É assim a amizade!

    OBRIGADA, DE ♥.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não seja por isso. Agora vou colocar todos os próximos.
      http://m.aponarte.com.br/gifs/riso.gif

      Excluir
  4. Estive escutando o vídeo fantástico, que colocaste aqui e adorei a letra e a postura dos cantores.
    Amizade é isso mesmo: sorrir e chorar com o amigo.

    TE GOSTO MUITO. TU SABES!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei? Será? ... ... Sei sim, minha querida amiga! E a recíproca é mais que verdadeira.

      Que bom teres gostado do vídeo. Agora, se você colocar o endereço de um vídeo do YouTube aqui nos comentários, ele fica disponível.

      Um abraço.

      Excluir
    2. Só poderia ser, desse jeito, António! OBRIGADA! MUITO OBRIGADA!

      Ah, que bom! Vou tentar, mas como sou zero nessas andanças, não sei se vou conseguir deixar aqui o endereço de um vídeo do You Tube.

      Beijinho pra ti e para mim.

      Excluir
    3. Obrigado a nós! A essa amizade! Postar o link de vídeo é fácil, basta copiar o link como qualquer outro e colar no comentário. Como exemplo, esse endereço é da mais nova postagem aqui, fala de amizade virtual: http://www.aponarte.com.br/2017/07/amigos-nao-tao-virtuais.html

      Se fosse um vídeo, no lugar do endereço, iria aparecer o player para o executar.

      Um abraço especial do dia do amigo. Apesar de vc não se ligar em datas...

      Excluir
  5. A história é bonita, mas está muito bem contada.
    Eu creio que se podem fazer verdadeiras amizades virtualmente o que
    minimiza a imensa solidão em que vivem multidões nas cidades.
    Parabéns pelo texto e pelo tributo à amizade.

    Não pretendendo ''caçar'' nada, mas já que se inscreveu porque gostou,
    talvez queira colaborar com a homenagem a Nelson Mandela no A Vivenciar
    a Vida. Não é por mim, é por ele.
    As meninas poetizas não se interessaram, a mensagem está pouco participada, o
    que lamento porque o que se pretende é honrar a humanidade de um líder.
    Saudações blogueiras.
    ~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Vivenciar a Vida (ver no Google) é um blog destinado à arte,
      mas que inclui temas como este...

      Excluir
    2. A amizade transcende às telinhas, por trás das quais, estão pessoas interagindo. Virtual ou presencial, amizade é amizade, é gente lidando com gente. É a arte da vida no encontro de pensares e sentires.

      Um abraço e bom fim de semana.

      Excluir
  6. Olá, Tonico!

    Sabes k não ligo a datas, pke os sentimentos existem o ano todo, sempre, se forem verdadeiros.

    No século IV a.C. isso aconteceu, mas não sei se d.C. isso alguma vez sucedeu. Tenho dúvidas.

    Tu e eu somos amigos há 7 anos. Desabafos, cumplicidades, alegrias, tristezas, enfim, amizade.

    Qto às questões k colocaste no fim do post, respondo: amigos assim, não temos, não tenho, portanto quantos, será zero. Eu qdo sou amiga, sou mesmo, embora reconheça qualidades e defeitos do amigo e os refira até. O amigo/a pode e deve fazer o mesmo em relação a mim.

    Um abraço enorme e sincero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O importante é a lição por trás do conto, que façamos real a amizade, para a qual o tempo e a distância nada dizem.

      Um abraço sincero e amigo.

      Excluir
  7. Olá, Tonico!

    Deixei aqui, ontem, um comentário sobre esse post do ano passado, que não vejo, agora, mas ele "entrou".
    Sabes me dizer, o k teria acontecido?

    Inté e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  8. Bem, agora "entraram os dois: o de ontem e o de hoje. Viva a fartura e a justiça - rs.

    depois, comento teu mais recente post.

    Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...