Flor que gira ao vento, cata-vento - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

domingo, 2 de setembro de 2018

 

                    Flor que gira ao vento, cata-vento              

     

... encantamento a girar. Não tem pilha, não da corda, basta o vento soprar. Vira, gira; cirandeiro cirandar. Roda lento ou mais ligeiro, alegre e tão faceiro, cata o vento que rolar...


Antonio Pereira Apon.


Cata-ventos.


Cata-vento,

quem mandou catar o vento?

Colorido, colorindo;

brincadeira de menino,

de menina a brincar.

Flor de papel girando ao vento,

encantado cata-vento,

encantamento a girar.

Não tem pilha,

não da corda,

basta o vento soprar.

Vira,

gira;

cirandeiro cirandar.

Roda lento ou mais ligeiro,

alegre e tão faceiro,

cata o vento que rolar.

Brinquedo de criança,

poesia da infância,

adulto a fingir;

não querer, querer brincar.



Postado aqui em 10 de outubro de 2017.



   
 
 

13 comentários:

  1. Linda e pueril lembrança na singeleza da criança de ontem...
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Criança de ontem", que tanta falta faz a nós, adultos de hoje.

      https://www.youtube.com/watch?v=fJrpQcGVa6c

      Um abraço.

      Excluir
  2. Quanta lembrança boa!
    De pequenina, soprando no "moinho" - como lhe chamávamos; de mais crescidinha, fazendo-o para os filhos; de mais e mais crescidinha, fazendo-o para os netos... :)))
    Bom mesmo é recordar...

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recordar é reviver, viver de novo, degustar a poesia das doces lembranças, os tempos de criança que encantaram e encantam os nossos dias.

      Um abraço.

      Excluir
  3. Tão lindas tuas palavras poéticas, Tonico. Nossa infância!

    Cata-vento foi uma "gerigonça", desculpa, um brinquedo, que nunca soube usar, mas não sei qual a razão. No Alentejo, se chamava de ventarolas pois, era o vento o seu motor.

    Quanta magia e alegria na letra e imagens do vídeo. Amei!

    Abracinho como cata-vento. Vamos sonhar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Junto com as bolhinhas de sabão, o cata-vento foi o brinquedo mágico, que encheu de poesia muita infância, a simplicidade lúdica de um brinquedo movido a vento e imaginação; um sopro, um espirro, um sonho de criança, girando colorido, colorindo.

      Por cá, hoje é dia das crianças. Dia da padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida.

      Um abraço.

      Excluir
  4. Só a nossa criança interior para nos resgatar desse mundico adulto tão loucamente enfeiado.

    https://www.youtube.com/watch?v=Tqj9p4FWY2c

    Não podemos aceitar qualquer sacanagem ser coisa normal.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Apon, é verdade, não precisa de o=pilha, é só o vento girar... será por isso que gosto tanto de cata-ventos desde a infância? Por sua magia de se movimentar só com a força da natureza? Confesso que esse é uma das engenhocas que mais me encantam, não por acaso a escolhi para enfeitar os lápis que dei de presente aos meus alunos no Dia das Crianças. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cata-ventos parecem mágicos, encantados, sem maiores artifícios, eles giram ao simples sabor do vento. São sempre uma doce e inspiradora lembrança.

      Um abraço e bom fim de semana.

      Excluir
  6. Oi, Tonico!

    Que estejas tendo um excelente feriado, com paz, alegria e magia.

    Que bom que pensássemos e atuássemos como se fôssemos crianças, dia que hoje se comemora aí, mas com o crescimento e por influência da sociedade a criança se transforma num adulto, por vezes, muito ruim.

    O vídeo, que colocaste é bem elucidativo. Criança é pureza, simplicidade, verdade e autenticidade.

    Grata por teu tão erudito comentário, que precisei usar dicionário até (rs), para o entender. Gostaste do vídeo, que coloquei nessa postagem? Creio que nunca te referiste aos vídeos, que coloco, mas sempre que posto um poema, há por cima do escrito, um vídeo também, que toca automaticamente. Depois, me diga. Tá?

    Continuação de bom feriadão e um mega abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente e desnecessariamente, o adulto sufoca sua criança interior, abdicando da ludicidade e um tanto de sorriso, que a vida pode e deve ter.

      Erudito? Dicionário? Eta exagero! Rs rs rs...

      Sem comentários. Bethânia arrasa não só em português. Em francês também ela dá show.

      Um abraço e bom fim de semana.

      Excluir
  7. Que espaço mais criativo...muito interativo e interessante!
    abraços d e bom feriado pra ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom teres gostado. Aqui está tudo aquilo que pensamos e acreditamos na forma de nossa arte. Procuramos colocar nesse espaço o nosso melhor. Obrigado, Lia, por sua visita. Volte sempre!

      Um abraço e bom fim de semana.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...