No Reino da Balbúrdia              

em quinta-feira, 2 de maio de 2019



Azáfama na propaganda, Babel nas comunicações, Barulho na ação social, Clamor na justiça, Escarcéu nos direitos humanos, Estardalhaço nas relações exteriores, Gritaria na casa civil, Vozearia na defesa, Zoada na agricultura, Zorra na ciência e tecnologia, Baderna na agricultura, Bagunça na cultura...


Antonio Pereira Apon.


Retrato do artista “em pose debochada”, pintura de Ducreux.


No desencantado reino da Balbúrdia, o povo pirou na batatinha e subindo na goiabeira, levou ao trono o Tumulto, que adotando o lema: Caos acima de tudo, piração acima de todos. Botou seus filhos: Pandemônio e Rebuliço para “fritarem” o vice-rei, Alarido, um ex-amigo de infância, que sempre estava algumas patentes acima do monarca no jogo de tabuleiro “Combate”.


Alvoroço, era o arauto real, responsável por desdizer o desmentido do dito que não foi falado, ou não deveria ter sido. Algo do tipo. Já Balborda era um ministro aloprado, que por falar embolado e embolar o meio de campo, foi substituído por Balbórdia, que não era muito diferente do seu antecessor. Mas, fazer o que? Indicações do cléro!


Outra ungida pela cúria, era Algazarra, uma ministra do balacobaco, que junto com o guru do reino, o astrólogo Barafunda, divertiam a corte. Enquanto o Grão Vizir, Celeuma, fazia jogo duplo junto ao “pralamento” e Zoeira, não tomava conta da insegurança pública.


No restante do ministério, só nomes de peso, técnicos e sem influências políticas: Azáfama na propaganda, Babel nas comunicações, Barulho na ação social, Clamor na justiça, Escarcéu nos direitos humanos, Estardalhaço nas relações exteriores, Gritaria na casa civil, Vozearia na defesa, Zoada na agricultura, Zorra na ciência e tecnologia, Baderna na agricultura, Bagunça na cultura, Desordem nos assuntos aleatórios, Desorganização na economia, Distúrbio na saúde, Miscelânea nas minas e energia, Mistura na fazenda, Perturbação nos assuntos religiosos.


O povo? Comendo o pão que a Balbúrdia amassou. E sem circo!



8 comentários:

  1. Muito inteligente a crítica bem montada aqui...Não tem mais nada pra eles inventar, agora arrumam desculpas pra cortes alegando balburdia. A pobre educação é que sofre!!! abraços, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A balbúrdia, alegando balbúrdia, para justificar tanta balbúrdia. O Brasil é mesmo surreal. Trocamos o que não prestava, pelo que não vale nada.

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Onde encontrar Deus?

      Excluir
  2. Oi, Tonico!

    É a segunda vez que leio esse teu post e para além de muito bem escrito, reside nele muito humor sarcástico. Não sou brasileira, mas a coisa não é pra menos, segundo vou sabendo.

    Há frases preciosas nele tais como como: "o povo pirou na batatinha e subindo na goiabeira" e Caos acima de tudo, piração acima de todos". Bolsonaro no seu "melhor".

    Do atual governo, só conheço de nome, claro, Aldo Moro, que esteve, recentemente em Portugal, e que não soube se apresentar como juiz. Mal vestido, mal penteado e a conversa foi muito limitada.

    Criaste um reino (no tempo de Imperador D. Pedro II é que foi bom e democrático) "fabuloso", onde a incompetência e a balbúrdia predominam.

    Tenhamos esperança em novos tempos!

    A pintura já a tens colocado alguns vezes nos teus posts, qdo eles merecem gozação, que é o caso desse.

    Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualquer semelhança com o meu conto, é mera coincidência. O Brasil é um país bem governado, tem políticos probos e capazes; um povo honesto, sério e intelectualmente desenvolvidíssimo. Riqueza, segurança, educação, saúde... Por aqui abundam. Já no reino fictício da Balbúrdia...

      O ministro e ex-juiz é Sérgio Moro.

      A imagem é a cara de reinos não sérios, por isso eu a repito. Ainda bem que não se aplica ao Brasil. E para homenagear a Balbúrdia. A abertura de um programa humorístico das antigas:

      https://www.youtube.com/watch?v=cRiOkIt5UG0

      Um abraço sem ironia.

      Excluir
    2. Ah, me deixa rir!!!!!!! Teu post é Brasil.

      Mas, há gente honesta e séria no teu país, só que esses não estão no poder.

      Tens razão, é Sérgio e não Aldo. Aldo Moro foi político italiano.

      A imagem se adapta mto bem a escritos desse género.

      O vídeo é uma trapalhada pegada. Uns correndo pra um lado, outros pra outro. É assim o governo de Bolsonaro?

      Aqui, em Portugal, hoje, o 1º ministro ameaçou que se demitiria, caso tivesse que pagar aos professores 9 anos em atraso. Depois, os outros funcionários públicos pediram, também. O 1º ministro é socialista e está sendo apoiado pela esquerda e extrema esquerda, que está contra ele, agora. A direita e os apêndices de esquerda votaram todos a favor dos tais 9 anos para os professores. Efetivamente, estivemos 9 anos sem sermos aumentados, mas para qualquer governo é impossível dar tanto dinheiro. Espero que o Presidente da República, que tem feito um excelente mandato, e que é de direita, ponha ordem na situação, pke em outubro desse ano haverá eleições legislativas. Há que ter bom senso!

      Beijinho, querido!

      Excluir
    3. Assim não, que nada. É muito pior! Em quatro meses, dois ministros da educação e se ele tiver juízo, providencia logo o terceiro, esse faz muita balbúrdia. Rs rs rs... Esse governo, não sei porque, parece um tantinho com o reino de Balbúrdia. Só um pouquinho! Graças a Deus.

      Um abraço e bom fim de semana.

      Excluir
  3. Olá António!
    Achei interessante essa sua postagem, pena que seja verdadeira, e mesmo ao longe se vá notando essa dita balburdia. Pena que o povo é que paga sempre. Gostei bastante do texto.
    Una braço de paz e haja uma nova esperança também para o Brasil.Obrigada pela visita
    Luisa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Balburdia total, Troca-se kafta por Kafka, o sujo pelo mal lavado, o roto pelo esfarrapado... O povo votou no que não presta, para se livrar do que não valia nada.
      Triste Brasil.

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Leia uma postagem sorteada para você.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.




Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Troféu rosa da amizade/Afeto.


Rosa da amizade/Afeto do Poetizando e encantando da Professora Lourdes..








Topo