Tempo perdido, sonhos que não sonhei - Apon na arte da vida

Bom estar com você aqui no APON NA ARTE DA VIDA!



Leitura sorteada - Nossos vídeos

Postagem em destaque

Conversa

Numa conversa , o viver versa, proseia, a vivência se dá a conhecer. hÁ tanto tempo te conheço e tanto te desconhecia... Só agora compree...

Tempo perdido, sonhos que não sonhei

Publicado em sábado, 27 de fevereiro de 2021


Tempo; ponteiros, engrenagem, transitoriedade. #PraCegoVer

Quero encontrar o tempo perdido;
os abraços sonegados,
as palavras que calei,
as memórias não guardadas,
colher as flores que não plantei.
Quero as oportunidades desperdiçadas,
as possibilidades que ao acaso entreguei;
a sorte malbaratada,
os azares que cultivei.
Quero as orações que silenciei,
a esperança que emudeci,
o Deus que desacreditei,
a fé por mim desdenhada,
os sonhos que não sonhei.
Quero me encontrar nos meus desencontros,
na poesia que não escrevi,
nos passos que não dei…
Antecipar os bônus imerecidos,
retardar os ônus que acumulei,
trilhar os caminhos não construídos,
as pontes que sabotei.
Querer um tolo querer,
ignorante de que o tempo é rio que segue sem detença,
que “águas passadas não movem moinho”.
Só o hoje é presente,
o passado foi a dádiva desencontrada,
o futuro, uma especulação.
Não dá para reencontrar o tempo perdido,
o eu que no tempo se perdeu,
não é permitido retroceder, adiantar os ponteiros,
só o agora é hora,
para sonhar e fazer acontecer,
sem mais “desachar” o tempo,
fazer florir meu real querer.


Se ainda não se inscreveu, inscreva-se em nosso canal, clique no sininho para escolher receber nossas notificações, ser avisado(a) dos vídeos novos. E não esqueça de dar seus likes. Conto com você! Obrigado.


Antonio Pereira Apon.

Siga-nos

Dê uma espiadinha em nossas postagens mais recentes:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

@INSTAGRAM